1 minuto de silêncio

Emergente de um confortável retiro – ao qual me entreguei depois de muitos anos de trabalho (estou me deliciando em viver na estância balnearia de Ubatuba, que tem mais de 70 praias) –  solto minha voz, alto e bom som, para protestar contra o que acabo de ler em outro site especializado em notícias sobre rádio: a Guarujá, de Florianópolis, vai silenciar a programação de suas emissoras de AM e FM, abrindo mais espaço para a Igreja Universal do Reino de Deus, que já ocupa vários canais da capital catarinense.

Meus pêsames aos radiofusores gestores da tradicional empresa catarinense pelo atentado ao bom-senso e aos ouvintes, muitos deles brasileiros, que está para ser consumado no próximo mês de dezembro. Custa acreditar em mais esta operação desmanche do rádio, que demonstra  total incompetência de gestão.

E, por isso, é preciso gritar contra o ato de “acabar” com a quarta emissora que surgiu em Santa Catarina, uma das grandes da época de ouro do rádio brasileiro.

Será o assassinato de porta-voz da população da Ilha famosa por conta de uns punhados de dólares fáceis de ser faturados*, atingindo o coração do nosso bom rádio, que está de luto desde o fechamento da excelente Jornal do Brasil, a AM JB famosa, que anos atrás passou a transmitir  programação religiosa. Esta intromissão fere a legislação de radiodifusão brasileira e, por certo, vai determinar o desemprego de muitos bons profissionais de um mercado já bastante carente, daí merecer um movimento por parte dos que ainda acreditam numa ação moralizadora do Ministério competente, o das Comunicações.

*A Igreja Universal estaria arrendando a Guarujá.

P.S. Se, ao invés de arrendamento, for compra, é mais um daqueles “negócios” realizados Brasil afora por esta igreja, a qual vem acumulando sob sua direção muitos canais de rádio e TV. Isso também não é permitido pelas nossas leis.

Nota do Editor: Caros Ouvintes vem acompanhando as informações que circulam sobre as possíveis negociações, tendo já publicado matéria na edição do dia 17/11.

 

3 respostas
  1. Gabriel Antunes da Silva says:

    Caro

    Sobre o “P.S.” devo dizer que concordo plenamente. Contudo, antes de chegar na Universal, devemos ir até a RBS e outros canais que com a lei não andam lado-a-lado há muito tempo.

  2. alexandrino barreto neto says:

    …dizer o que?o fim está próximo? Aleluia, aleluia,aleluia?
    Não> a falta de competência em administrar o “desconhecido” simplesmente porque o “desconhecido” é da familia?
    Cada um no seu quadrado e quem não tem conhecimento e competência, pelo menos deveria contratar quem tivesse, quem é do ramo.LAMENTAVEL , é mais uma do na terra do “já tivemos”.

  3. Carlos Augusto dos Santos says:

    Não sei se seria incompetência do Ministério das Comunicações ou da família que dirige a emissora, que sempre sobreviveram às custas das burras do governo do Estado e que foram governo. As emissoras foram benesses do Ministério que brindavam as concessões sabe la com que critérios!!! Incompetência tão grandes que foram sufocados por empresas de comunicações que vieram de fora e dominaram o mercado e que na realidade atende somente a uma emissora de TV. Incompetência porque deixaram o sr. Edir Macedo tomar conta do mercado brasileiro que usa suas emissoras pra lavar dinheiro. Pra que mais emissoras para este dominador, se as que ele tem, não usa para o trabalho que propôs fazer se nem as emissoras dela fazem o que deveria ser feito!!!

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *