A Zininho, o que é de Cláudio Alvim Barbosa (complementação)

Todos nós catarinenses, os familiares, amigos e admiradores de Zininho devemos compartilhar maciçamente das homenagens in memoriam que serão prestadas ao maior compositor popular que Santa Catarina já teve. Um tributo mais do que merecido. Sua música não morre nunca e continua viva em nossos corações.

Realmente, nosso saudoso poeta Zininho estava inspiradíssimo e possuído de muito amor quando compôs os lindos versos de Rancho de Amor à Ilha,  a par de uma melodia simples e dolente. Poucas são as cidades do mundo que têm um hino tão bonito e tão fácil de ser cantado. Nesses versos, apenas uma palavra rebuscada: sestrosa, um requinte que ele encontrou para não chamar a lua de malandra. Que beleza sem par, ao contrário de muitos outros hinos que precisam de “bula” para ser entendidos.

Mas é vasto o repertório de Zininho. Algumas de suas canções são carregadas de paixão, como por exemplo Se amor é isso, que mereceu várias gravações (aqui postada na voz de??? num diálogo com o próprio Zininho) Essa sensibilidade em retratar casos de amor foi responsável por um programa de rádio que Zininho produziu, chamado Bar da Noite, famoso pelas ondas da Diário da Manhã, naqueles tempos em que essa rádio conseguia penetração nacional através de seu potente transmissor de ondas curtas. No imaginário cenário noturno, desfilavam casos e canções de amor.

Cláudio Alvim Barbosa, simplesmente Zininho, múltiplo nos anos de ouro do rádio catarinense

Cláudio Alvim Barbosa, o popular Zininho, não foi só compositor. Ele atuou nos anos de ouro do rádio como cantor, produtor, radioator e sonoplasta. Foi sua aproximação com a técnica de som que o levou a montar um estúdio de gravações, ainda no tempo do disco de acetato, tendo sido responsável pela produção de muitos jingles, comerciais, e pelo registro de importantes depoimentos de personalidades políticas, empresariais e artísticas da época.

E, sempre a procura de novas realizações, Zininho deixou Florianópolis, transferindo sua “oficina de arte” – seu estúdio – como costumava dizer, para Curitiba, onde vivenciamos muitos trabalhos e uma grande amizade.

Lá, ele também se destacou nos setores musical, publicitário e no rádio, nos quais, como se estivesse em sua terra natal, viveu intensamente sempre com alegria e rodeado por seus novos colegas e amigos. E, claro, às vezes bebendo um bom vinho.
Seu grande apego por sua avó, dona Maria Barbosa, e a imensa paixão pela ilha, não deixaram que Zininho permanecesse muito tempo na capital do Paraná. E Deus não queria que ele ficasse longe da ilha querida, sua “musa” inspiradora.

Este nosso comentário, A Zininho, o que é de Cláudio Alvim Barbosa, é um chamamento para que Florianópolis e Santa Catarina reconheçam, mais uma vez, o valor desse seu filho ilustre e de uma forma grandiosa em razão do significado da data. Vamos todos contribuir para o sucesso da programação 80 Anos In Memoriam a Zininho. Um grande show deverá ser realizado com a participação de artistas e músicos que divulgam a sua obra, e outras homenagens que mui justamente lhe serão tributadas na semana de seu octogésimo aniversário.

P.S. Cláudia Barbosa, que herdou de seu pai verve, música, poesia e o apelido de Zininha, vai alavancar esse projeto que se apresenta como extraordinário, ao qual Caros Ouvintes desde já dá seu aval. Não deverão faltar o apoio de empresas, secretarias de Cultura do município e do Estado e de outras entidades culturais. Os caros ouvintes leitores poderão escrever dando idéias e sugestões para o evento anunciado: [email protected]

P.S.S. Se Amor é Isso (de Zininho e Luiz Henrique Rosa), postada aqui na voz do próprio Zininho com acompanhamento de José Ribeiro (Maestro Zezinho), durante ensaio em que o Zininho ensinava a música para cantora Elena Cavalcanti Wanderley quando se preparava para participar do Projeto Pixinguinha no início dos anos de 1980, em Florianópolis. Essa música representa o clima e o estilo do programa Bar da Noite levado ao ar pela Rádio Diário da Manhã nas noites de sexta-feira no final da década de 1950.

1 responder
  1. Cristina Viégas says:

    Adorei os artigos do Jair Brito. Ele é uma enciclopédia da radio brasileira.Ele é um grande mestre na rádio e para quem o conhece na televisão também. Foi ele que idealizou o primeiro grande debate para o Governo em São Paulo com o ex Governador Franco Montoro.
    Adorei os artigos que ele escreve é uma aula de conhecimento.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *