A Cidade da TV do Brasil já é realidade

Yara Lins, primeiro rosto da TV brasileira. 1950.

Índio test-patern da Tupi

O Museu da TV Brasileira ganha espaço físico em S. Bernardo do Campo, na Grande São Paulo quando em dezembro será inaugurada a Cidade da TV no local onde existe (tombada pelo Patrimônio Histórico) a 1ª Cidade Cenográfica do Brasil. Ali a TV Excelsior , em 1964 rodou a  novela “Redenção”, junto aos estúdios da antiga produtora de filmes Vera Cruz. Luiz Francfort que participou dos primeiros momentos da televisão no Brasil e foi mais tarde o diretor que implantou a TV Eldorado de Criciuma, SC, é um dos encarregados do projeto. Ele escreve garimpando colaborações para a formação do acervo do museu: “Será que você ou alguém que você conheça tem alguma “relíquia” das TVs de Santa Catarina?” E acrescenta: “Felizmente conseguimos “salvar” um acervo bem representativo, incluindo a câmera original que inaugurou a TV na America Latina e outras raridades desse evento. O museu será totalmente interativo, e os visitantes vão poder manusear algumas replicas que realmente funcionam – como switchers daquela época, câmeras, mesas de som, etc.” Feito o apelo

O Museu da Televisão Brasileira é um projeto da Pró – TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira. O projeto nasceu próximo da fundação da entidade, em 1995. A presidência inicial da então APITE – Associação dos Pioneiros da Televisão era Vida Alves (presidente) e Blota Júnior (vice-presidente), seguido por outros pioneiros.
Em 1998 a APITE passou a se chamar APPITE, com dois P’s, tornando-se Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira. O nome foi mudado para Pró-TV por orientação do publicitário Mauro Salles, conselheiro da associação. Isto ocorreu em 2000, ano em que a Pró-TV realizou os maiores eventos em comemoração aos 50 Anos da Televisão Brasileira.
Na Internet tiveram incursão em 1998, em uma parceria com SCI/EQUIFAX. O portal saiu do ar e apenas em 2002, com a idéia de se instaurar um departamento próprio de Internet, criando-se o Museu da TV (ou Museu Virtual da Televisão Brasileira), administrado pelo radialista e pesquisador Elmo Francfort. (Wikipédia | Sampaonline).

Categorias: , Tags:

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *