A escolha

Há coisas que são fáceis de decidir ou escolher, já outras podem não ser tão simples assim.

balanceQuantas vezes nos deparamos com escolhas que eram aparentemente simples, mas que o resultado trouxe grandes consequências. Ou quantas vezes uma escolha parecia espetacular, parecia que mudaria para sempre nossa vida, aí fizemos a escolha e tudo continuou igual.

As escolhas na vida não se resumem as melhores frutas ou ao carro do nosso gosto.

Existem outras escolhas difíceis na vida além da famosa “será que eu caso ou compro uma bicicleta?” E em muitas delas sentiremos os resultados lá na frente, assim como sentimos hoje os resultados das fáceis ou difíceis escolhas de “ontem”. Há muitas escolhas das quais podemos falar.

Uma delas é a escolha profissional. Quem tem entre 15 e 18 anos e sabe que profissão quer seguir, talvez para o resto da vida, é muito feliz. Mas muitos não sabem. E quantos de nós, hoje adultos, sabíamos quando tínhamos essa idade? Tenho ouvido muitos jovens nessa idade e a maioria mostra uma dúvida comum: Que carreira escolher? A que mais gosto? O que mais eu gosto? O que vale mais, o que dá mais dinheiro ou mais satisfação pessoal? Dá pra unir as duas coisas? Ou que tal uma que dá mais segurança, como um serviço público?

Testes de aptidão profissional devem ser úteis. Imagino que os pais podem ajudar e muito. Como? Sem fazer muita “pressão”. Uma coisa é incentivar, outra é querer escolher pelo filho. Isso pode acontecer mesmo que os pais não percebam. Nossa maneira de falar pode dar a entender aos filhos que se não fizerem exatamente o que falamos eles vão nos decepcionar. Educamos, damos carinho, mostramos o caminho, mas eles é que seguirão. A escolha final será deles.

O mercado competitivo de hoje. A tal da crise. A dificuldade de escolher pode levar o aluno a não se sair bem devido à pressão. É melhor que eles pensem bem, que conversem com profissionais das áreas que lhes interessam, e aí assim vem à escolha, a decisão. E ainda assim, se um jovem resolver mudar de curso ou de profissão, melhor que faça isso do que se culpar e ficar frustrado mais tarde. Muitas vezes o que nossos filhos querem pode estar bem mais perto do que imaginamos.

Se estiver mais longe ainda assim só saberemos se os ouvirmos “desarmados” e ajudarmos a fazer uma das coisas mais delicadas da vida, as escolhas. Afinal de contas, nosso presente é resultado de nossa escolha. Nosso futuro será resultado das escolhas de hoje. Então pense antes de agir e falar e faça a melhor escolha.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *