A magia imortal da música de Osvaldo Ferreira de Melo

Notabilizado pela relevância que obteve na atividade profissional, Osvaldo Ferreira de Melo também deixou sua marca inconfundível na sonoridade musical de sua terra natal.

Osvaldo F. de Melo

Osvaldo F. de Melo

Com vasta pesquisa e trabalhos acerca das origens, folclore e história de Santa Catarina, o professor Osvaldo Ferreira de Melo teve presença marcante no desenvolvimento cultural catarinense. Foi presidente do Instituto Histórico de Santa Catarina, membro da Academia Catarinense de Letras e do Conselho Estadual de Cultura.

Integrou a Orquestra Sinfônica e a Associação Coral de Florianópolis e o Conjunto Orquestral Matizes Barrocos. Foi membro da Academia Catarinense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, da Academia Catarinense de Filosofia e membro do Instituto Histórico da Ilha Terceira, de Portugal. Foi pesquisador do Folclore Catarinense de Raízes Açorianas e recebeu a Comenda Infante Dom Henrique, outorgado pelo governo português, por seus estudos sobre música de origem Açoriana.

É reconhecido também como compositor notável. Publicou dois álbuns contendo canções com letra e música de sua autoria, harmonizadas para canto coral e canto solo, com acompanhamento e escreveu o Auto da Compadecida em 1966. Suas músicas retratam a cultura popular ilhoa, tendo participado e contribuído com o carnaval de Florianópolis por meio de composições nos gêneros samba-enredo, samba, marcha-rancho e marchinhas nos festivais e concursos do gênero.

Osvaldo F. de Melo

Osvaldo F. de Melo

Osvaldo Ferreira de Melo nasceu em 6 de dezembro de 1929, na Ilha de Santa Catarina, filho de Luis Osvaldo Ferreira de Melo e Ana Bosco de Melo. Descendente de imigrantes açorianos, desenvolveu importantes estudos sobre esse período histórico. Iniciou seus estudos de direito em 1954, na Universidade Federal de Santa Catarina, onde graduou-se em 1958. Especializou-se em Direito Constitucional pela Fundação Getúlio Vargas, em 1967, e ainda no mesmo ano em Política Pública pelo Instituto Latino-Americano de Planejamento Econômico e Social (ILPES), órgão das Nações Unidas ligado à Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Sua carreira docente teve início em 1964, ministrando aulas nas disciplinas de Teoria Geral do Estado e Direito Constitucional na Universidade Federal de Santa Catarina. Conseguiu sua Livre-docência na universidade em 1974, e o direito de ministrar as aulas de Política Jurídica e Instituições de Direito Público no curso de Mestrado em Direito. Integrou os quadros da graduação até 1993, e do mestrado até o ano seguinte. De 1995 até seu falecimento foi professor permanente do curso de Mestrado em Direito da Universidade do Vale do Itajaí, onde foi condecorado Doutor Honoris Causa em 2010.

Ouça a seguir “Canção Praieira nº 4 – Florianópolis”. E uma composição de Osvaldo Ferreira de Melo & Aníbal Nunes Pires. A gravação foi feita pelo Coral Hélio Teixeira da Rosa e músicos de Florianópolis, sob a regência de Rogério Guilherme de Oliveira, em 2007.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *