A Marcha do Esporte

A programação radiofônica se compõe de programas, também denominados espaços. O programa radiofônico compreende um conjunto de conteúdos diferenciados do discurso radiofônico, com uma estrutura própria e uma duração concreta.
Por Clóvis Reis e César Martins

Em geral, os programas se dividem em informativos, de variedades (ou magazines), esportivos, musicais, dramáticos, de entretenimento, formativos e especializados.

O programa “A marcha do esporte” constitui um verdadeiro marco na história do rádio blumenauense, já que foi o primeiro programa esportivo produzido em Santa Catarina.  Criado pelo radialista Manoel Pereira Júnior em 1943, ia ao ar das12h40min às 13h, pela Rádio Clube de Blumenau.

“A marcha do esporte” era o programa de maior audiência da época e, consequentemente, o que tinha o custo mais elevado para a inserção de publicidade. Foi patrocinado com exclusividade durante 38 anos pela Transportadora Vale do Itajaí.

Em 1954, Manoel Pereira Júnior deixou a Clube, tomando o seu lugar o jornalista José Gonçalves, que dirigiu o programa até 1957. Com a sua saída, Tesoura Junior assumiu o cargo de editor de esportes da emissora.

Tesoura Júnior começou na Clube em 1946, sendo assistente direto dos antecessores. Trabalhou na emissora até se aposentar, em 1984, totalizado 38 anos de dedicação ao radiojornalismo esportivo. Nolte (2003) conta que o radialista era muito respeitado: “O Tesoura Júnior derrubava técnico de futebol. Se ele comentava que o jogo estava mal, os dirigentes escutavam muito ele. Ele era inteligente, conhecia tudo sobre futebol”. 

O apresentador implementou um programa com pré-produção e, segundo o próprio Tesoura Júnior (2003), a partir do momento em que assumiu a direção esportiva da emissora as notícias de âmbito local tornaram-se a prioridade de “A marcha dos esportes”.


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por Clóvis Reis

Doutor em Comunicação e professor da Universidade Regional de Blumenau (FURB). É autor dos livros Na fronteira da persuasão: os gêneros jornalísticos nas emissoras de rádio e Propaganda no rádio: os formatos de anúncio. É ainda coorganizador do estudo Realidade regional em comunicação.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *