A produção jornalística em webradios públicas catarinenses: os casos da Rádio AL e da Rádio Ponto

Ao pensarmos em rádio, é normal que a atenção volte-se para o modelo tradicional, que está ao nosso alcance há mais de 90 anos.

Fabíola Thiebes

Fabíola Thiebes

Mas ao entrar no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PosJor) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) deparei-me com a discussão sobre as webradios. A ideia de estudar este assunto como tema da minha dissertação partiu de uma conversa com meu orientador, prof. Dr. Eduardo Meditsch.

Num primeiro momento, não tinha conhecimento suficiente sobre o assunto. Mas, depois de dois anos e meio de estudos, chego à conclusão de que esta é uma alternativa viável ao futuro do rádio brasileiro. Porém ainda há muito a evoluir.

Na dissertação “A produção jornalística em webradios públicas catarinenses: os casos da Rádio AL e da Rádio Ponto” são abordadas as potencialidades das webradios da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Rádio AL) e do curso de Jornalismo da UFSC (Rádio Ponto) aliadas ao rádio informativo; ou seja, tenta-se identificar de que forma os elementos característicos das webradios são utilizados nestas duas webemissoras.

Caracterizadas por terem transmissão exclusivamente digital, a Rádio AL e a Rádio Ponto são exemplos de pioneirismo em Santa Catarina, tendo sido, respectivamente, a primeira webradio de uma Assembleia Legislativa no país e a primeira webemissora em cursos de Jornalismo de universidades brasileiras.

Apesar dessa importância histórica para as webradios, identificou-se que ambas as webemissoras apenas reproduzem o modelo já praticado pelas emissoras tradicionais que possuem sites na internet. Entrevistas com a equipe de profissionais das rádios ratificaram a conclusão da pesquisa, demonstrando que, no campo sonoro, podemos ser mais criativos e experimentar, tentando trazer novas estratégias discursivas para retratar um fato jornalístico aos ouvintes-internautas.

A pesquisa ainda é limitada e deve ser continuada por outros pesquisadores que, assim como eu, são apaixonados por rádio. Com estudo e reflexão será possível propor novas possibilidades para o rádio, convergindo-o com outros meios de comunicação, mas sem descaracterizar seu elemento principal, o áudio.

Clique na imagem para fazer o download e conferir a Dissertação de Fabíola Thiebes:

fabiola

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *