A radiodifusão no Paraná

A Rádio Clube Paranaense de Curitiba, a terceira emissora de rádio AM no Brasil é hoje a primeira da lista das emissoras em funcionamento no país. Hoje, após setenta e nove anos, é a única em operação. As outras duas, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro e a Rádio Clube de Pernambuco, fundadas quase na mesma época, há muito tempo, deixaram de existir.
Por Caique AgustiniA Rádio Clube Paranaense, como as demais instaladas na década de 1920, também nasceu com objetivos educativos.

As primeiras transmissões oficiais, com um transmissor de apenas 3 Watts na antena, foram realizadas na residência de Livio Gomes Moreira. Até 1925, funcionava somente das 8:30 às 9:30, nas quartas e sextas-feiras. Aos domingos, a transmissão acontecia das 14:00 às 17:00 horas, com uma programação basicamente de música clássica.

No início, a Rádio Clube Paranaense não possuía uma sede e estúdios fixos e como a diretoria do clube mudava de tempos em tempos com novas eleições, era mais cômodo cada diretor levar os equipamentos para sua residência, de onde a emissora passava a funcionar. Até 1934, os integrantes do grupo de fundadores, se alternavam na direção da emissora.

Ao longo de sua história, a Rádio Clube Paranaense, passou por diversos donos expressivos, que a mantinham com grandes dificuldades como sociedade civil, sem fins lucrativos.

Em junho de 1973, a Cúria Metropolitana de Curitiba, adquiriu a emissora. Em 1978, a Rádio Clube Paranaense, passou a atuar também, através da FM Freqüência Modulada. De uma linha mais romântica, até 1993, passou para uma programação mais popular e voltada para o público adulto. Após 19 anos, novas dificuldades obrigam a Arquidiocese, no final de 1992, a passar os direitos da Rádio Clube Paranaense para os Irmãos Maristas, com a Fundação Nossa Senhora do Rocio, podendo assim continuar funcionando como uma emissora católica.


Bosque Alemão, em Curitiba

Segundo Ir.Clemente Ivo Juliatto, presidente da Fundação Nossa Senhora do Rocio, Mantenedora da Rádio Clube Paranaense, duas foram as razões fortes que levaram os Irmãos Maristas a assumirem o Clube: dar um apoio ao Arcebispo de Curitiba e à Igreja local. O sonho Marista culminou quando a Rádio Clube Paranaense passou a ser vinculada à PUC PR Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Desde 1993, a Rádio Clube Paranaense está ocupando as modernas e amplas instalações da Rua Rockfeller 1113, no Bairro Rebouças. A partir desse mesmo ano, dentro da implantação de uma nova filosofia de trabalho, a Rádio Clube, começou o processo de uma programação voltada mais para o jornalismo e à prestação de serviços. Em 1995, com sua programação 24 horas no ar a ao vivo, a FM Clube, atinge um público jovem urbano, que vai dos 14 aos 39 anos, oferecendo os últimos lançamentos das músicas nacionais e internacionais, intercalando a cada dez minutos com um noticiário. O atual presidente do Conselho Diretor da Rádio Clube Paranaense, Ir. Clemente Ivo Juliatto, se pronuncia novamente afirmando que a Rádio Clube continua sendo uma emissora católica e uma emissora empresarialmente organizada, com qualidade, a serviço da igreja, com boa audiência e que atenda às necessidades de população dentro dos valores humanos e cristãos.

Para Ubiratan Lustosa, a Rádio Clube nasceu como emissora independente e apartidária. Não se engajou como instituição, em apoiar qualquer candidato que fosse em período eleitoral.

Sua isenção política não significa que ela seja apolítica. Ao contrário, acompanha de perto todos os fatos políticos. A grande diferença está em que, democraticamente, abre seus espaços a todas as correntes políticas e ideológicas. E continua ainda Ubiratan Lustosa, “A clube é uma rádio legitimamente paranaense, nasceu do coração e da vontade do paranaense, do idealismo e da paixão de pessoas que desejavam expandir a comunicação e queriam comunicar-se. Um historiador do quilate de Romário Martins fez inúmeras palestras através da Rádio Clube”.

Muitos intelectuais, políticos, engenheiros, advogados, juízes, artistas, locutores, apresentadores de programas e outras pessoas que passaram e as que atualmente passam pelos estúdios da Rádio Clube Paranaense, sem dúvida, deixaram e deixarão sua marca e contribuição para a cultura e o desenvolvimento da história do Paraná.

*Porto União, SC  e União da Vitória, PR, são consideradas cidades gêmeas porque nasceram praticamente juntas e estão separadas apenas pelas águas do rio Iguaçu. A expressão Porto União da Vitória é usada de maneira carinhosa para se referir à fraternidade existentes entre as duas cidades e os estados que representam.

Sites relacionados:
http://www.curitiba.pr.gov.br
http://feriasbrasil.terra.com.br
http://www.citybrazil.com.br/pr/regioes/uniaodavitoria/
http://www.clubeb2.com.br/historia.php


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *