… a terra será tua e os bens que se não somem

Se puderes guardar o sangue frio diante de quem fora de si te acusar/ e no instante que duvidam de teu ânimo e firmeza tu puderes ter fé na própria fortaleza/ sem desprezar, contudo, a desconfiança alheia/ se tu puderes não odiar a quem te odeia/ nem pagar com a calúnia quem te calunia, sem que tires daí motivos de ufania…

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *