A touca do arcebispo

O locutor esportivo Mauricio Fruet, um dos maiores improvisadores do rádio e televisão no Paraná, era um craque em transmissões externas.

Tanto na narração de um jogo como na inauguração de uma loja ou num comício. Mauricio desempenhava suas funções com grande entusiasmo e vibração. Quando foi inaugurada uma nova sede da Federação Paranaense de Futebol, na rua Marechal Deodoro, bem no centro de Curitiba, Mauricio estava lá com o microfone na mão anunciando a chegada das autoridades e convidados.

Como todo bom locutor esportivo se esmerava no detalhamento de cada cena que observava, carregando na adjetivação sobre as personalidades que davam brilho a grande festa. Falando muito rápido como se estivesse transmitindo um disputado jogo de futebol, contava entusiasmado para os ouvintes quem chegava e até como estava vestido; os homens, quase todos, de terno, gravata, traje padrão de todos os cidadãos, o que dava a impressão de que todo mundo comprava roupa na mesma loja.

Os militares, como era costume chegavam em trajes de gala, decorados com muitas medalhas e alguns adereços indefinidos, as poucas mulheres todas muito chiques a bordo de vestidos feitos com grande capricho pelas melhores costureiras da cidade e equilibrando na cabeça um enorme topete, que era moda na época.

Num determinado momento chegou o Arcebispo Metropolitano, Dom Manoel da Silveira Delboux. Mauricio Fruet registrou o fato do seu jeito;  

– E agora, senhoras e senhores ouvintes, quem esta entrando no recinto para fazer a benção da nova sede da Federação Paranaense de Futebol, é o Arcebispo Metropolitano, Dom Manoel da Silveira Delboux, vestindo batina preta e com sua TRADICIONAL TOUCA ROXA.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *