Ai que saudade do meu carnaval

Os tempos mudam, os costumes se adaptam, as pessoas passam e a saudade vai chegando, chegando e se instalando devagarinho e tomando conta do nosso coração.

Vivo o carnaval de Florianópolis desde 1956. Nascido e criado no interior com reduzidas passagens por pequenas cidades sem vocações carnavalescas, me apaixonei de imediato pelo clima descomprometido, leve e brincalhão da Ilha de Santa Catarina.

Participei por oito anos seguidos das transmissões pelo rádio, dos desfiles dos blocos de rua, das escolas de samba, dos carros alegóricos e das Sociedades Carnavalescas que abriam os festejos abrindo-se literalmente e transformando-se aos nossos olhos deslumbrados em figuras inimagináveis.

PHILARMONICA-PRETO

Orchestra Philarmônica

E a Orchestra Philarmônica Desterrense? Formada visualmente clássica, com seus músicos em trajes cerimonias vestindo fraques com longas abas atrás, gravatas “borboleta” pretas sobre camisas imaculadamente brancas, passadas e engomadas à capricho, encimadas por vistosos chapéus coco e outras raridades.

E os instrumentos musicais? Autênticas obras primas saídas das oficinas de notáveis artífices de renome internacional. E o que dizer do programa do concerto? Obras clássicas de autores consagrados, nada amenos do que Beethoven, Sibelius, Rossini, Schumann, Mozart, Mendelssohn e por aí à fora.

A execução, esta merecia especial cuidado e dedicação: o fundamento é que quando mais desafinada melhor, mais empolgante e definitivamente consagradora.

Antunes, Emílio, Brito / Créditos: Acervo Instituto Caros Ouvintes

Pois foram essas lembranças, saudades e sonhos que me levaram a participar do programa Papo de Redação que o Emílio Cerri e o Paulo Brito apresentam todos dos dias, do meio dia a uma da tarde pela Rádio Guarujá AM 1420, de Florianópolis.

A pauta do programa foi música Carnavalesca de autores catarinenses ou aqui residentes. O resultado do programa você poderá ouvir no player abaixo onde apresento trechos de conhecidas marchinhas e sambas de nossos compositores, conforme segue relação a seguir.

Carnaval-da-Ilha

Capa do LP com músicas carnavalescas da Ilha de SC

LP 150 anos de alegria – Carnaval da Ilha – 1985

Lado B – Faixa 2: Abertura carnavalesca

Garota Foliona de Abelardo de Souza e Antônio de Pádua Pereira

Princesinha da Ilha e a Rosa e o Jasmim de Zininho

Canção do Regresso de Mirandinha

Magia do Morro e Quem é que não Chora de Zininho

Largo 13 de Maio de Zininho e Aldo Gonzaga

Lagartixa de Tuca e Deto

Trepa na Parede de Osmar Silva

Pó de Giz de Zequinha

Biguaçu encheu de Nilton Ferreira

Turma da Zueira de Wilmar Garcez

Paga Já de Osvaldo Soares

Sandália de dedo – Agobar Martins

Ponta pé de José Cipriano da Silva e Ivo Gandra

Sereia do Bom Abrigo de Waldir Brazil e Nabor Ferreira

Rancho do amor à Ilha de Zininho

Vai no cordão de Rui Neves e Deto

Chega de João Carlos de Souza (Carvalho)

  • Ficha técnica

Produção fonográfica: Propague

Produção executiva: Aldírio Simões

Técnico de gravação: Chocolate

Mixagem: Chocolate

Ilustração da capa: George Alberto Peixoto

Violão 7 cordas: Toni

Cavaco: Paulinho Som 7

Ritmo: Samba Som 7

Coro: Samba Som 7 e Libretes

2 respostas
  1. Laudelino José Sardá says:

    Bem, quando propusemos ao nosso amigo Roberto Costa a edição dos 150 anos do carnaval da Ilha, acreditamos em dois grandes talentos: Bernadete Santos na pesquisa e Aldírio Simões na produção. E não deu outra: um grande e belíssimo LP que marcou a presença da UFSC e da Propague na disseminação da cultura da nossa terra. Falta agora Roberto sensibilizar-se e transformar o bolachão em CD. LJ.Sardá

  2. Laudelino José Sardá says:

    O Jovem Antunes

    Se toda a cidade tivesse um jovem como Antunes Severo, apaixonado pela história e valores da sua terra, com certeza não estaríamos hoje mergulhado na amnésia. Por que a prefeitura e o governo do estado não apostam no trabalho desse guerreiro para difundir a nossa cultura? Ou será que Antunes não tem voto? O melhor voto neste tempo é o do resgate da nossa identidade cultural,esquecida porque a Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, (denominada não sei porque de SOL)nãoa faz nada senão política eleitoral

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *