Ameaça Invisível

Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira
Milton – Ethevaldo, por que o perigo de ataques cibernéticos é hoje muito maior do que há cinco anos?
Ethevaldo – Por várias razões, Milton. Resumidamente, podemos dizer que vivemos a convergência de quatro forças tecnológicas, que são:
– Redes Sociais, que crescem de forma exponencial e ampliam a cada dia o relacionamento humano. Em apenas uma década, Milton, elas deram um salto de 40 vezes no mundo, passando de pouco mais de 50 milhões de usuários para mais de 2 bilhões.
– Mobilidade, que multiplicou por dez o número de dispositivos móveis na última década, de 700 milhões para mais de 7 bilhões.
– Nuvem, que nos permite a computação em todo lugar, e
– Informação, representada pela massa de dados do Big Data e da internet.

Milton – E por que esse aumento é tão perigoso?
Ethevaldo – Porque cada novo dispositivo é um novo veículo de ataque para os hackers. E pior do que isso: a maioria das empresas não tem a menor consciência dos riscos atuais por que passam e, assim, não se preparam para detectar, identificar e combater os ataques. A maioria das corporações se recusa a investir o mínimo necessário em tecnologia e em segurança cibernética, Milton.
Apenas os grandes bancos parecem ter consciência de que as ameaças são realmente grandes – até porque perdem milhões por dia – e, por isso, já se preparam para enfrentar o problema. O mesmo não acontece com outras empresas. Veja o caso do New York Times, o mais prestigioso jornal dos Estados Unidos, que foi atacado durante quase um ano por hackers chineses, exatamente por não acreditar que isso seria possível ou provável.

Milton – Você é otimista quanto ao futuro da segurança dos dados?
Ethevaldo – Não sou nem otimista nem pessimista. A posição correta nesse caso é ser realista. Temos de preparar-nos: governos, empresas e cidadãos. O futuro é cada vez mais ameaçador.

Milton – Você ouviu alguns especialistas que pensam dessa mesma forma?
Ethevaldo – Ouvi diversos, Milton. Entre eles, vou citar os diretores de duas grandes empresas da área de segurança cibernética: Art Coviello, presidente da RSA, empresa de segurança da EMC; e John Frymier, vice-presidente de segurança cibernética da Unysis. Este último diz com todas as letras: o mal está vencendo esta guerra. Nossa esperança é que o futuro seja melhor, Milton.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *