André Machado e o Gaúcha Atualidade

No final de 2006, o jornalista André Machado aceitou um desafio ao substituir Armindo Antônio Ranzolin na apresentação do Gaúcha Atualidade, um dos principais espaços de informação política e econômica do rádio do Rio Grande do Sul. Deu seguimento assim à história do programa que, neste ano de 2007, completou 30 anos no ar. Por Luiz Artur Ferraretto

Filho de Dilamar Machado, um dos grandes radialistas do estado, bastaria a André ter continuado com o Gaúcha Atualidade nos moldes anteriores. Já seria garantia de sucesso. No entanto, a exemplo do que fizera com o Correspondente Ipiranga, noticiário totalmente modernizado por ele, o apresentador foi ousando, sem descuidar do que já havia sido construído por seus antecessores.
Em Brasília, segue Ana Amélia Lemos, uma das principais jornalistas do país, que, como poucos, conhece os meandros do poder na capital federal. No estúdio de Porto Alegre, junto com André, está Rosane de Oliveira, contraparte de Ana Amélia no âmbito do Rio Grande do Sul. Um dos acréscimos é a abertura para o futebol com a participação de Pedro Ernesto Denardin. A aposta constante na reportagem completa os aprimoramentos do Gaúcha Atualidade, garantindo o futuro desta atração que tem muita história.
Há três décadas, no dia 1º de agosto de 1977, às 8h, a Gaúcha lançava o programa, então apenas Atualidade. Até 1992, Jorge Alberto Mendes Ribeiro seria o apresentador, intercalando opiniões às entrevistas e reportagens. Ao longo deste período de 15 anos, a trajetória de Mendes Ribeiro é marcada pela defesa do salário mínimo unificado, de aposentadorias e pensões dignas, da contribuição sindical voluntária e do ensino superior público e gratuito, posições explicitadas também em espaços diários de outros veículos da RBS – uma coluna em Zero Hora e um comentário na RBS TV. Todos estes elementos vão garantir o maior número de votos – 325.497 – entre todos os deputados federais eleitos para a Assembléia Nacional Constituinte em 1986.
Ao se reeleger em 1990, então como o deputado federal mais votado pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro em todo o país, Mendes Ribeiro começa a almejar a candidatura ao governo do estado, o que vai de encontro à nova postura oficial da Rede Brasil Sul anunciada na época: comunicadores que optassem pela carreira política deviam a partir de então deixar a empresa. O jornalista transfere-se, assim, em julho de 1992, para o Sistema Guaíba-Correio do Povo. Em seu lugar, com o programa sofrendo uma leve mudança na denominação – Gaúcha Atualidade –, a direção da Rede Brasil Sul coloca como apresentadores, a partir de 9 de agosto daquele ano, Armindo Antônio Ranzolin, no estúdio da emissora em Porto Alegre, e Ana Amélia Lemos, no de Brasília.
É toda esta tradição e história que recai sobre André Machado e seus colegas, todos os dias, das 8h10 às 9h30, o que não parece afetar o desempenho deles. Um exemplo: em setembro, após a absolvição de Renan Calheiros, a habilidade de Ana Amélia garantiria um furo nacional com a primeira e exclusiva entrevista com o senador.
 


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por Luiz Artur Ferraretto

Nasceu e cresceu ouvindo rádio e as histórias do rádio. Aos poucos foi descobrindo que não queria ser só ouvinte. Formou-se em jornalismo pela UFRGS e começou a trabalhar no rádio. Doutor em Comunicação e Informação é professor do curso de Jornalismo da Universidade de Caxias do Sul/RS. É autor de vários livros.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *