Ao Mestre Archimedes Messina, o jinglista da Varig. Com Carinho.

Quem viveu os anos 60 e 70 certamente ouviu jingles que se tornaram  antológicos e que faziam  do rádio uma mídia  vibrante. Hoje vamos falar de um compositor emérito de jingles da Varig. Como todos devem estar acompanhando, A Varig, um raro ícone empresarial brasileiro, está sangrando e, neste  presente momento não se sabe se vai desaparecer ou não.

Está na Folha de São Paulo de hoje, dia 8 de julho: “Nova proposta para a compra da Varig não pode ir a leilão”.

Pois é, a Varig, uma empresa que conquistou em nosso País uma imagem que envolve sentimentos de brasilidade, cordialidade, confiabilidade, excelência no atendimento e outros quesitos, e que se transformou após quase 80 anos de vida num verdadeiro ícone em nosso País tem estado diariamente na mídia. Ameaçada de ter o mesmo destino de outras empresas aéreas brasileiras como: Panair, Vasp e Transbrasil.

Entretanto, ao ouvir alguns dos jingles que marcaram a  história da Publicidade da Varig, é impossível não se comover com o destino da empresa.

Mas, ao lado de lamentar a crise da Varig e um possível desfecho trágico, a falência, desejamos hoje  homenagear o compositor de jingles (e de spots) ARCHIMEDES MESSINA. Assim mesmo, tudo em maiúsculas! Messina está vivo, vivíssimo, a bordo de seus 73 anos de idade, vivendo em São Paulo.

Dizem que Messina nunca viajou por outra companhia que não a Varig. Em declarações recentes à mídia, Messina declarou que calcula ter composto para a Varig cerca de 100 obras, entre jingles e spots.

Naqueles bons tempos da Varig, anos 60,  toda vez que a empresa abria uma nova linha internacional, chamava o Messina para criar um jingle temático. Só por aí, dá para perceber a importância do Rádio naquela época.

Em 1967, a Varig começou a voar para Portugal e o Messina imortalizou essa rota com o famoso jingle Seu Cabral. Que, como os mais velhos lembram, até virou marchinha de Carnaval.

Mas hoje, queremos contar um pouco da história do jingle que fala sobre a rota da Varig para o Japão pois, a nosso ver, ao lado da assinatura musical VARIG, VARIG, VARIG (criação genial atribuída ao conjunto musical Titulares do Ritmo) e da  inesquecível e sempre atual canção natalina Estrela  Brasileira no céu azul, o jingle Urashima Taro é uma verdadeira obra prima de composição.  Antológico. Poesia pura!
Prestem atenção na letra:

Urashima Taro, o pobre pescador
Salvou uma tartaruga
E ela como prêmio
Ao Brasil levou
Pelo reino encantado
Ele se apaixonou
E por aqui ficou

Passaram muitos anos
De repente a saudade chegou
E uma arca misteriosa
De presente ele ganhou
Ao abri-la quanta alegria
Vibrou seu coração
Encontrou uma passagem da Varig
E voou feliz para o Japão

Esse jingle memorável e que também virou marchinha de carnaval foi criado pelo Messina em 1968.  Já casado, ele viajou  naquela ocasião sem a esposa para o Japão e de lá  trouxe na bagagem o jingle Urashima Taro, inspirado numa lenda japonesa.

Em 2003, a Varig ainda sem crise, queria comemorar os 35 anos da linha para o Japão e pediu ao Messina autorização para usar novamente o jingle. Desta vez, o pagamento foi feito através de duas passagens. Finalmente ele poderia, 35 anos depois de sua primeira viagem, realizar o sonho de levar a esposa para Japão. Mas, por motivos particulares, a viagem não aconteceu e o Messina e a esposa estavam se preparando recentemente para a viagem quando a Varig deixou de voar para o Japão.

Mas, o carinho de Messina para com a Varig está acima de tudo. Em matéria publicada no dia 30 de abril de 2006 na  Folha de São Paulo, fonte principal deste artigo, Messina,  reagiu assim à provocação do jornalista sobre o fato de que a sua viagem com  a esposa possa ter ido para o espaço e o que ele pretendia fazer a respeito: “Agora vamos esperar. Mas você vai colocar isso na reportagem? Não sei… Não quero que pareça uma reclamação, nada disso… [A Varig] é meu xodó. Acho que de todos os brasileiros“.

1 responder
  1. celia chiodarelli says:

    Tive a alegria e o prazer de assistir pessoalmente à entrevista do Messina no programa Mundo da Publicidade, feita pelo competente Décio Clemente, na rádio Jovem Pan. Figura sensível, inteligente e talentososa. Seus Jingles marcaram época, diria mesmo, desde seu início, década de 60 até nossos dias. Foi um prazer inesquecível vê-lo sentado naquela cadeira, balançando seus pés, que não alcançavam o chão e falando sobre sua tragetória profissional e mostrando alguns de seus maravilhosos jingles. Muita saúde e alegria a todos!!

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *