Araguaia pioneira

Sétima emissora de rádio de Santa Catarina, a sociedade Rádio Araguaia de Brusque chega aos 67 anos fazendo história.

A sociedade Rádio Araguaia de Brusque Ltda. foi fundada em 6 de setembro de 1946. A estréia em transmissão ao vivo aconteceu no dia seguinte, com a cobertura do desfile do Dia da Pátria. Seus primeiros proprietários foram Raul Schaefer, que era o maior acionista, Otto Reginaldo Renaux, Guilherme Renaux, Adriano Schaefer, Nievert Debrassi, além de Luiz Otto e Euvaldo Schaefer. No início, a rádio funcionava das oito às 14 horas e das 16 às 21 horas. Registrada na Junta Comercial do Estado em agosto de 1947, a empresa somente conseguiu a licença oficial para funcionamento definitivo em 29 de julho de 1950.

Como primeiro locutor a emissora contou com a voz de Nivert Debrassi, conhecido como “Salsicha”. O segundo funcionário da Araguaia foi Celso Teixeira, que mais tarde tornou-se cronista esportivo. A sonoplastia ficou com João Luiz Schaefer, primo do proprietário da Araguaia. Junto com ele trabalhava Waldemar José Duarte, depois batizado de J. Duarte, mais tarde transformado em noticiarista e figura ligada ao esporte. O departamento técnico ficou sob a responsabilidade de Erondino Fagundes de Moraes, exímio conhecedor dos aparelhos transmissores. Também Ciro Gevaerd, ex-prefeito da cidade, colaborou com a radiofonia nesta fase embrionária, dando idéias para a criação de alguns programas. O destaque da Araguaia ficou por conta de Maria Iracema, primeira mulher a ocupar o microfone e cuja capacidade de improviso chamava a atenção dos ouvintes.

Dois programas musicais atingiram grande popularidade na época, relembra J. Duarte. Alma Gaúcha, que apresentava tangos argentinos, no horário das 13 às 14 horas, era patrocinado pelo expresso Rio Grande – São Paulo. Igualmente o quadro Música Alemã, alcançava larga audiência na região. Às 18 horas, era levado ao ar a Oração da Ave Maria, apresentada por Euvaldo Schaefer, e posteriormente por Érico Contezine, Osni Pereira e João Alfredo Medeiros Vieira.

No ano de 1947, a emissora importou de Blumenau Wilson Erasmo Quintino dos Santos, considerado como o primeiro profissional do rádio brusquense. Com a chegada dele, começaram os programas ao vivo, predominando as atrações de auditório, com artistas conhecidos no estado e a presença de calouros. Também cantores e instrumentistas populares como Manoel Pêra – exímio violonista, Docinho – o mágico da gaita de boca, e Vitório Fifa – com timbre vocal inigualável, vinham da PRC-4 Rádio Clube de Blumenau para participar das programações de auditório, no Cine Real e na sede do Carlos Renaux.

O período de 1947 marcou a história do rádio brusquense com passagens hilárias. Uma delas aconteceu no aniversário da secretária da emissora, Dulcinéia Gonzaga. Após o fechamento da emissora, ela ofereceu uma festa em sua casa, para onde todos os radialistas se dirigiram. Em determinado momento, por volta das duas da manhã, a Araguaia entrou no ar inesperadamente. Era Erondino de Morais. Depois de alguns tragos a mais, ele resolveu prestar uma homenagem à aniversariante, declamando, empolgado, versos de amor.

Texto transcrito do livro: história do rádio em Santa Catarina de Ricardo Medeiros e Lúcia Helena Vieira. Editora Insular, 1999. Páginas 54 a 56.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *