As Pioneiras: Rádio Jaraguá de Jaraguá do Sul

A história da ZYP-9, ao contrário da maioria das emissoras pioneiras aqui focalizadas, tem espaço e registro destacados no site da emissora. Aliás, uma boa parte das emissoras, sequer têm site; e das que têm, são poucas as que se referem à história da emissora.
Por Antunes Severo

A seguir um destaque da história da Rádio Jaraguá, contada pelos seus próprios historiadores.

No início de 1948, Jaraguá do Sul entrava na era do rádio, com a instalação, em fase experimental, do equipamento da Bynhgton & Cia., que funcionava em ondas longas de 1510 quilociclos, 196,8 metros, 250 watts, com a antena instalada no Morro do Brunhns.


Na década de 50 o então candidato a governador
Nereu Ramos, fazendo comício defronte à ZYP-9.

Na manhã de 31 de julho de 1948, tinha lugar a benção e inauguração da rádio com prefixo ZYP-9. Os sócios-fundadores, Werner Stange e Homero Camargo de Oliveira, organizaram um esplêndido  programa que culminou com as irradiações à noite, nos salões do Clube Atlético Baependi, abrilhantado pelo elenco artístico da PRB-2, Rádio Clube Paranaense, de Curitiba.

Foi o maior acontecimento da época na região. Com o passar do tempo, a contratação de locutores como Motta, Arruda Neto, Antônio Pereira, da radiofonia paulista, aumentaram ainda mais os níveis de audiência, incrementando a venda de aparelhos de rádio.

A cidade pulsava na magia do rádio proporcionando informação e uma saudável distração aos seus radiouvintes com programação variada: transmissões esportivas, noticiários, “Rancho do Dadi”, radioteatro, “Brindes sonoros”, entre outros; além dos programas de variedades ao vivo, no auditório da rádio ZYP-9, na Cel. Emílio Carlos Jourdan, especialmente aos domingos. Dessa forma, na época o rádio era o principal elo de comunicação com o mundo, as famílias se reuniram ao seu redor, influenciando o meio social fortemente, papel este que a televisão viria a assumir décadas mais tarde.


Integrantes da Orquestra de Acordeons do Rio de Janeiro, que vieram
se apresentar no Auditório da ZYP-9, nos idos de 1952.

A Broadcasting da ZYP-9 na época, até os idos dos anos 60, mesmo contando com profissionais do nível de Walter Franco, Augusto Sylvio Prodohl, e outros, era formado, em sua maioria por jovens da cidade, que reuniam-se em torno do rádio, como locutores, comentaristas esportivos e radionovelas.

Dentre outros: Antônio (Ico) Zimmermann, Senira Mafra, Edith da Silva, Ruth Braun, Ritta Maller, José Cláudio Giostri, Souza Miranda, José Castilho Pinto, Senízia Mafra Pinto, Olívia Wuenderlich, Arlete Müller, Eugênio Victor Schmokel, Otto Mey, Ademar da Silva, Neide, Helena, Aldo Prada, Evanira e Clodtilde Sansão, Douglas e Miltom Stange…

Mesmo que não fosse para perpetuar-se no microfone, o rádio representava para muitos a realização de um sonho dourado, e muitas vezes servia de trampolim para outras profissões devido a horários menos rígidos e mais flexíveis, possibilitando muitas vezes, a continuação dos estudos.

A Rádio Jaraguá mereceu também o registro de Ricardo Medeiros e Lúcia Helena Vieira, no livro História do Rádio em Santa Catarina:

No final da década de 40, Jaraguá do Sul possuía pouco mais de 20 mil habitantes. Os parques ajardinados integravam o cenário da cidade, bem como a estação ferroviária, parte da linha que ligava Rio Grande do Sul a São Paulo. A economia girava em torno da agricultura.

Neste ambiente nascia a Rádio Jaraguá, cuja inauguração aconteceu na manhã de 31 de julho, nas dependências do Clube Atlético Baependi. A festa contou com a participação do elenco artístico da PRB-2, Rádio Clube do Paraná.

A primeira sede da ZYP-9 foi à rua Emílio Jordão, de onde  se ouvia as vozes de Cícero Motta, Arruda Neto e Antônio Pereira, precursores no microfone da emissora.

Seus transmissores, com antena instalada no morro Bruhns, tinham potência de 250 watts. Na freqüência de 1510 quilociclos, um dos programas da Rádio Jaraguá era a Hora Alemã, que daria origem mais tarde ao Musical Alemão. Ataíde Machado comandava , a partir de 1954, o Rancho do Dadi. Conhecido como o poeta do sertão, o apresentador abria espaço para os novos valores da música agreste.

Aos poucos a emissora começou também a cobrir eventos externos, como manifestações sociais diretamente do salão paroquial Cristo Rei.

Participaram da história da Rádio Jaraguá nos primeiros tempos  Walter Franco, Augusto Sylvio Prodohl, Antônio Zimermann, Cenira Mafra, Edith da Silva, Ruth Braun, Rita Maller, José Cláudio Geostre, Margarida Paterno, Souza Miranda, José Castilhos Pinto, Olívia Wunderlich, Arlete Muller, Eugênio Vítor Schnockel, Otto Mey, Ademar da Silva, Aldo Prada, as irmãs Ivanira e Clotilde Sansão, além de Douglas Stange.

Fontes:
http://www.jaraguaam.com.br/

Vídeo Jaraguá do Sul no tempo do Rádio. Realização do Grupo Adulto de Teatro SCAR. Roteiro e direção de Gilmar Moretti, 1997.


{moscomment}

Categorias: Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

1 responder
  1. edith dasilva giostri says:

    Edith da Silva Giostri viu e apreciou com saudades o texto…

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *