As rádios do governo brasileiro

Você sabia que a República Federativa do Brasil possui diversas emissoras de rádio e canais de televisão? Vou repercutir hoje o que fazem as rádios do Governo Federal para que todos tenham a oportunidade de tomar conhecimento e até de dar suas opiniões.
Por Edemar Annuseck

A grande Rádio Nacional
Quem não se lembra da Rádio Nacional do Rio de Janeiro das décadas de 40 e 50. De lá para cá ela já não está entre as mais importantes e ouvidas do país. Vejam o que o próprio site diz a respeito dela.
“Principal veículo de comunicação brasileiro nas décadas de 40 e 50, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro foi reinaugurada no dia 3 de julho de 2004, quando terminam as obras de restauração feitas por meio de contrato firmado entre a Radiobrás e a Petrobrás. Um processo que devolveu à emissora o seu encanto. A reforma garantiu a recuperação do famoso auditório, de estúdios de rádio e teatro, a construção de novos e a restauração do imóvel onde está instalado o parque de transmissores de Itaóca, no município de São Gonçalo.
Atualmente, o principal programa jornalístico radiofônico da Radiobrás é ancorado diretamente do Rio de Janeiro. É o Notícias da Manhã, no ar de segunda a sexta-feira, em rede com as outras emissoras do sistema.
Programas de auditório
Resgatando um dos maiores sucessos do rádio brasileiro, o programa “Ponto do Samba”, apresentado pela cantora Dorina e pelo cantor e compositor Rubem Confete, trouxe de volta o “Concurso de Calouros”. Ao todo, 100 calouros disputam o concurso. As classificatórias são realizadas às quintas-feiras, ao vivo, no auditório Radamés Gnattali,  precedidas pelo  show da semana. Em cada etapa são selecionados cinco candidatos para participar das duas semifinais, previstas para os dias 15 e 29 de maio. A grande final está marcada para o dia 10 de junho, e deverá ser realizada no Teatro Rival, com  show  de artista a ser confirmado.
Rádio Nacional da Amazônia
A Missão da Rádio é informar o/a cidadão/ã da Amazônia, a partir do diálogo permanente entre a população desta região e a do restante do País, realizando uma comunicação objetiva e adequada às realidades regionais. A emissora transmite em Ondas Curtas para a região amazônica, com cobertura de mais de 50% do território nacional. Atinge, potencialmente, 60 milhões de habitantes, da região Norte, além de Maranhão, Piauí, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, entre outros. Foi inaugurada em 1º de setembro de 1977.
Rádio Nacional de Brasília
Na capital federal o Governo Brasileiro mantém duas emissoras. A Rádio Nacional AM e a FM. Vejam o que os sites de ambas fala a respeito.
A programação jornalística da Rádio Nacional contempla assuntos de interesse do cidadão, respeitando a diversidade do povo brasileiro. Os noticiários locais tratam de temas relevantes para a comunidade do Distrito Federal e Entorno. Muitos assuntos são sugeridos pelo ouvinte. Aqui, o jornalismo tem foco no interesse público. Os programas da emissora trazem entrevistas e reportagens focadas nos acontecimentos importantes do Brasil e do mundo.
Tradição e credibilidade
A Rádio Nacional faz história. Emissora tradicional, popular e jornalística, está desde 1958 integrando o País pela informação, pela boa música e veiculação de utilidade pública. A emissora abre espaço na programação para a participação do ouvinte. A Rádio Nacional é a emissora companheira e confiável. Acima de tudo, útil.
Informação de utilidade pública
Em toda a programação, a Rádio Nacional divulga fatos relevantes e de interesse do cidadão. Leva a informação útil para o dia-a-dia da comunidade. Ajuda o ouvinte a compreender melhor a realidade que o cerca. Muito mais do que informações sobre trânsito, tempo e temperatura, as de utilidade pública tem caráter educativo e função social: informa, alerta, orienta e estimula o ouvinte a exercer seus direitos e deveres de cidadão. A Rádio Nacional leva a informação de qualidade para uma vida melhor.
Em FM
No ar desde 1976, a Rádio Nacional FM de Brasília foi há primeira emissora em freqüência modulada de Brasília e cobre todo o Distrito Federal e entorno, transmitindo sua programação com 20 kW de potência. Ao longo de sua história, a Rádio Nacional FM se tornou uma emissora diferenciada pela sua programação musical, que não se rende a modismos de época, aos interesses da indústria fonográfica. Apesar de constantes atualizações em sua programação, a rádio mantém desde a sua fundação características marcantes: a maneira singular de aproveitamento de um disco em todas as suas virtudes, e a valorização de todos os ritmos e grandes autores da música brasileira. Novos discos e novos artistas são bem divulgados na programação musical, sem ligação com músicas de trabalho, temas de novelas, temas de filmes ou músicas ligadas a esquemas promocionais que interfiram na diversidade musical da emissora. Nossa programação musical é baseada em MPB diversificada e seus grandes nomes, sambas tradicionais e contemporâneos autênticos, chorinho e outras vertentes da música instrumental, bossa nova tradicional e novas tendências baseadas nesse ritmo, novos nomes da MPB com identificação com o perfil da emissora, música independente em edições identificadas, música de artistas de Brasília, músicas latino americanas e de países de língua portuguesa, lançamentos de novos artistas e novas músicas.
Só jornalismo
Tomei conhecimento durante a semana que o Governo Federal pretende implantar uma Rádio excluvisamente noticiosa. Diz a notícia. “O Governo Federal pretende desenvolver uma Rádio recheada exclusivamente com programação noticiosa. A Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), ligada ao Palácio do Planalto, tem atualmente oito emissoras radiofônicas e a expectativa é que uma delas transmita notícias de forma ininterrupta. A informação foi repercutida por Mônica Bergamo, nesta quinta-feira (15), pelo jornal Folha de S.Paulo. Segundo a jornalista, as outras Rádios não devem sofrer adaptações significativas e continuarão a transmitir programações culturais como música clássica e brasileira.
É isso aí. Visite: www.edemarannuseck.blogspot.com


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por Edemar Annuseck

Edemar Annuseck, jornalista, narrador esportivo que iniciou na Rádio Nereu Ramos de Blumenau em 1964 e depois atuou nas Rádio Jovem Pan, Tupi, Record de São Paulo, Clube Paranaense, Cidade e Globo/CBN de Curitiba, TV Jovem Pan e SPORTV, Editor da página de esportes do Jornal A CIDADE DE BLUMENAU, cobrir 5 Copas do Mundo (74, 78, 82, 86 e 90).
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *