Por Agilmar Machado

Seresta com Humberto Mendonça

Bravas equipes de rádio dos anos 50! Aperturas de todo jeito, mas ninguém perdia o bom humor e o romantismo. E é neste último tema que desejo me deter hoje. O romantismo era usado e abusado pelos radialistas da época, como Humberto Mendonça, como lembra Agilmar Machado neste texto.

Valores catarinenses: Gilberto Martinho

Quando Gilberto Martinho deixou sua bucólica Cangicas (hoje distrito de Hercílio Luz, Araranguá – (SC) para galgar os degraus da fama na TV Tupi (depois Rede Globo), era apenas mais um a tentar a sorte e apostar em seu talento no Rio de Janeiro. Foi o mais autêntico “coronelaço” nos papéis centrais das novelas e […]

Coisas da tradição campeira – 2

A paisagem do pampa foi algo de encher os olhos e de fazer qualquer ambientalista sorrir deslumbrado: tudo era natural, nativo, quase que intocado. Poucas coisas destoavam da paisagem, entre estas as taipas (muradas de pedras naturais irregulares, que dividiam os piquetes, as divisas entre fazendas e a velha BR-290 que leva à divisa internacional, […]

Coisas da tradição campeira – 1

Cá, no sul, herdamos muitos costumes legados por velhos tradicionalistas pampeiros (do extremo sul da América) naturais da também chamada, geograficamente, de “depressão gaúcha”. Essa imensidade de terra, praticamente sem acentuados acidentes geográficos, se estende desde a cidade de Santa Maria (da Boca do Monte, como era chamada, por terminar em seu território a Serra […]

Segue o Baile da saudade

Muitas coisas belas e reconfortantes passam pela nossa vida e, de forma incoerente com os nossos sentimentos, não as valorizamos devidamente. Adoro recordar tempos idos e intensamente vividos e recordar o que – se não for lembrado – irá caindo no esquecimento e acaba no completo ostracismo. Acompanhei todos os passos da TV-Tupi, desde os […]

Quem é Agilmar Machado (Seqüência da Parte 2)

Em 1954, a Rádio Difusora de Laguna estava sendo transferida de Nelson Almeida, seu proprietário então exclusivo, para um grupo ligado a um partido político da época. Meu mano Ariovaldo já integrava a equipe.

Gregório Barrios… E as emoções continuam!

Comentei, tempos atrás, em Caros Ouvintes, ao elaborar matéria sobre a trajetória de Gregório Barrios “O Rei do Bolero”, muitos aspectos da vida profissional e dos contatos que mantive com o grande artista espanhol, casado com uma catarinense.

Do emblemático Nelson Almeida – Final

Não seria em apenas quatro comentários que se ousaria resgatar a legendária passagem de Nelson Almeida pelo rádio catarinense. Seu caminho foi muito mais longo, sua vida propiciou ensinamentos a muitos iniciantes em rádio, sempre com absoluta correção e competência.

Do emblemático Nelson Almeida – 3

Prédio sede da Rádio Difusora adquirido do antigo Cine Arajé em meados da década de 1940 Nelson Almeida jamais deixou de transpor barreiras que se antepunham a sua trajetória profissional. Nunca foi de muitos amigos. Tinha sua rodinha mais íntima a quem relatava algumas idéias, sem jamais expor os planos integrais que tinha na cabeça.

Do emblemático Nelson Almeida – 2

Em capítulo dedicado a Nelson Almeida em meu livro “História da Comunicação no Sul de Santa Catarina” (relatos de 1831 a 1970), tive a oportunidade de traçar um breve perfil desse extraordinário profissional do rádio.