Por Marcio Santos

Flor do sereno, Raio da manhã e outras canções

Estimulados pela “Ilha dos Sons Raros”, Aldo e eu resolvemos formar um grupo no estilo do Capuchon, com instrumentos acústicos, percussão e muitos vocais. Procuramos o Neno (Clodoaldo Correa Filho) em sua casa na Agronômica, onde tinha um bom local e equipamento para ensaios. Neno tinha participado com Aldo na banda Eclipson, onde conheceram João […]

Ilha dos Sons Raros e encontro no verão

Foi a primeira vez que foi montado um bar típico no palco (depois copiado outras vezes), onde os músicos se distribuíam entre as mesas, atendidos por um garçom que os servia.

O boi de mamão vai ao Teatro Guaíra, em Curitiba

O auge foi um convite para participarmos de um Festival Nacional de Dramaturgia Infantil, realizado no Teatro Guaíra de Curitiba.

Pé na estrada com os shows do Capuchon e Folk

Com a mudança do Batatinha para São Paulo, a BAM foi desfeita, marcando época como a primeira empresa de produções da Capital a trabalhar só com artistas locais.

BAM Produções Artísticas

Nesta época, afora o Nelson, os demais integrantes do Capuchon participaram do coral da UFSC, para assimilar os arranjos vocais e aproveitá-los nas nossas músicas.

Capuchon: os novos rumos dos nossos caminhos

Nesta época, o Capuchon, cujas composições já haviam evoluído e necessitavam de mais “peso”, se apresentava acompanhado por Mazzola (baixo), Zequinha ou Sidney Nocetti (teclados) e Zico (bateria), músicos que costumavam acompanhar também Eliana Taulois. [ Por Márcio Santos ] Foi após uma grande decepção, em 1976, que resolvemos acabar aquele Capuchon: foi anunciado um […]

Sai Capuchon, entra Benito de Paula

Enquanto isso, Zuvaldo ganha, em concurso televisivo, o direito de se apresentar em rede nacional no Programa Silvio Santos, convidando Reinaldo, Nilo Kachias e Erico para acompanhá-lo na apresentação.

Os primeiros a chegar ao Palhostock

A polícia estava infiltrada na plateia. Foi o suficiente para os policiais dirigirem-se ao palco para prendê-lo, mas o avisamos a tempo e ele rapidamente desceu e se escondeu. A polícia estava infiltrada na plateia. [ Por Márcio Santos ] Aliás, nossos amigos Luiz Henrique, Deto e Tuca também não saíram de sua barraca até […]

Em 1976 é criado o “Palhostock”

Tínhamos um sistema diferente de ensaios, o que assustava os amigos músicos que nos visitavam. Nos reuníamos todas as terças e quintas, das 19 às 22h00, não com a obrigação de trabalhar, mas de nos divertir tocando e cantando.

O Capuchon passa a ser nossa base

Passamos a usar apenas o nome Capuchon e continuamos a compor, em duplas ou trios, o repertório do grupo, além incluir canções compostas anteriormente.