Brasil nomeia paisagens culturais do Rio para Patrimônio Mundial

Iphan e representação do país junto à Unesco apresentam candidatura nesta terça-feira, em Paris; Floresta da Tijuca, Pão de Açúcar e Baía de Guanabara formam as “Paisagens Cariocas entre a Montanha e o Mar.”

MÍDIA | Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York

O Brasil nomeia nesta terça-feira o conjunto “Rio de Janeiro, Paisagens Cariocas entre a Montanha e o Mar”, para a lista do Patrimônio Mundial da Unesco. A apresentação foi programada para ser feita na sede da agência, em Paris, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Iphan e pela representação do Brasil junto à Unesco. As paisagens culturais vão desde a zona sul do Rio até ao ponto oeste de Niterói. O Maciço da Tijuca, com o Corcovado e o Pão de Açúcar, a Baía de Guanabara, o Parque do Flamengo e a Praia de Copacabana estão no grupo.

De Paris, o presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, definiu a proposta do Brasil como “inovadora.”

“É a primeira candidatura de uma paisagem cultural urbana a ser proposta para a avaliação do Comitê do Patrimônio Mundial. Ela é inovadora porque ao invés de tratar natureza e a cidade como coisas estanques, ela trabalha a relação direta entre a cidade e natureza. E ela envolve principalmente as áreas que já têm proteção, marcos da cidade do Rio de Janeiro, e territórios que melhor explicitam essa relação direta entre cultura e natureza.”

Segundo o presidente do Iphan, a candidatura começou a ser elaborada há 10 anos.

Se a nomeação for aceita pelo Comitê da Unesco como está previsto, o conjunto de paisagens culturais do Rio vai concorrer à lista de Patrimônios Mundiais. A decisão final vai ocorrer em junho, em São Petersburgo, na Rússia.

 

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *