Brasil tem 127 milhões de usuários de Internet, ou 70% da população

Com avanço especialmente do acesso por rede móvel nas classes C e D/E, o Brasil passou a ter 126,9 milhões de usuários de Internet, o que corresponde a 70% da população.

Os dados são da pesquisa TIC Domicílios 2018, divulgados pelo Comitê Gestor da Internet (CGI.br) na quarta-feira, 28/08, e indicam que houve um crescimento de 3 pontos percentuais na penetração em relação ao ano anterior. Houve ainda um avanço na penetração em regiões rurais, embora a desigualdade continue. Pela primeira vez, quase metade (49%) da população nessas áreas já utilizam a Internet.

A pesquisa também indica que o Brasil encerrou o ano passado com 46,5 milhões de domicílios com acesso à Internet, o que representa 67% da população, um aumento de 6 p.p. em relação ao ano anterior. Novamente, há desigualdade geográfica: enquanto na área urbana a penetração é de 70%, na área rural esse percentual cai para 44%.

O coordenador de projetos de pesquisas do Cetic.br, Fábio Senne, entende que, com 70% da população com acesso, ainda não é possível afirmar que a Internet está universalizada no Brasil, uma vez que ainda está abaixo da média da OCDE de 86% da população. Mas ele destaca que o avanço da penetração tem sido inabalável no contexto de crise no País. “O que eu acho interessante notar nos dados é que, a despeito de fatores de políticas públicas e crises econômicas, o crescimento da Internet foi mais ou menos constante no período. Não notamos grande interferência de fatores conjunturais políticos e econômicos”, disse. “O problema está em faixas específicas da população, os mais vulneráveis, e tem a ver com questões geográficas, como nas áreas rurais, e com pessoas que têm mais de 60 anos. Aí precisa de políticas públicas, pois a tendência é que o crescimento fique estagnado nas áreas vulneráveis.”

Dispositivos

Nas residências que têm acesso, o computador já não é mais o principal meio de conexão desde 2017. Mas agora tem crescido o acesso dos que só usam o smartphone: 28% da população, contra 19% no ano anterior. Os que usam tanto o celular quanto o computador são 39% dos entrevistados.

Dentre os usuários de Internet, 97% possuem celular. Os que usam computador são 43%, cenário bem diferente de 2014, quando chegou a ser 80%. Cresceu também o acesso pela smart TV: de 22% em 2017 para 30% em 2018, explicado pelos pesquisadores com o aumento do consumo de vídeo over-the-top. “Quando cruzamos os dados de celular com computador, é possível ver como a maioria dos usuários de Internet o fazem exclusivamente pelo celular (56% contra 49% no ano passado)”, declara o coordenador da TIC Domicílios, Winston Oyadomari.

Metade da classe D/E agora utiliza a Internet, a maioria (85%) pelo celular, mas o meio de acesso é predominantemente a rede Wi-Fi gratuita. “Eles não necessariamente conseguem pagar um pacote de dados móveis”, avalia Oyadomari. Isso implica na frequência de uso: enquanto nas classes A, B e C há mais de 90% que utilizam diariamente, esse percentual cai para 78% na D/E.

Acessos

O comércio virtual foi um dos destaques da TIC Domicílios 2018. A pesquisa indicou que 43,7 milhões de pessoas utilizam a Internet para fazer compras. A pesquisa de preços de produtos foi feita por 60% do total de usuários de Internet, enquanto 34% efetivamente realizaram compras e 19% divulgaram ou venderam produtos. Os aplicativos de mensagem foram muito usados para transações comerciais (26%), apontam os pesquisadores.

Vale ressaltar que a contratação de serviços também se inclui nessa categoria. Tanto que foram 40,8 milhões de usuários pedindo táxi ou serviços como o Uber, o que corresponde a 32% do total da base. Serviços de streaming de vídeo foram 28%, enquanto de entrega de comida como o iFood foram 12%, e música como Spotify, 8%. “Se a gente considerar os novos serviços, são 48% dos usuários de Internet. Isso mostra a gama de oportunidades”, afirma Oyadomari.

(Teletime, 28/08/2019)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *