Cadê a égua? ainda que mal pergunte…

Não sei porque, de repente, me vêm à mente frases esparsas cujos significados fico devendo. Você conhece algumas, além destas?

Walmir, filho de “pai-de-santo”, amigo meu, contando não sei o quê muito bom: – É da gota! (E nem chovendo estava!).

No restaurante cascavelense de comida mineira, do homem de televisão Neto, o garção disse que um amigo dele gostou tanto da comida que: – Comeu feito um padre… E bebeu feito uma vaca!

A Dora, secretária do presidente do Sindec, Paulo Morais, falando do estado de espírito do patrão naquele dia: – Cuidado… Ele tá fulo da vida!

O Paulo Sasso chamando a atenção do empregado na loja: – Você só vai e vem… Parece couro de sanfona! (Acho que não é sanfona, não!).

Foi pego pelo patrão olhando a lua. O companheiro João Oliveira conta: – Ele levou um susto dos diabos!

Na sala de bilhar o proprietário Ademar dos Santos me diz do cara que estava ganhando bastante: – Aquele cara tá lavando a égua! (Olhei pros lados e não vi égua nenhuma).

No ponto de ônibus, ouvi por acaso: – O cara errou o bote e se esborrachô no chão!

O Batatinha, repórter policial na TV Tarobá (Cascavel/PR), tentando obter informações do preso: – Vamos… Desatarracha o verbo seu ponta de corda!

Meu genro, Carlos Pinto, gerente da Sanepar, falando de uma historinha acontecida: – Essa é das miudinhas…!

Chego em casa e digo pra mulher que estou procurando frases incompreensíveis que todos falam sem saber porque. E ela: – Assim de cara não me lembro de nenhuma! (Parece que se lembrou sem saber).

Meu Neto Daniel me empresta um livro de crônicas do Mário Prata, editado pelo Estadão. Logo após escrever as linhas acima, abro o livro e, lá está – com outras e melhores palavras – a minha crônica recém escrita!

Falando sobre expressões verbais, lá estava:

Inteligente pra burro! Metido a sebo! Fechar-se em copas! Conversinha de cerca Lourenço! Comigo não, violão! Meia dúzia de gatos pingados! Chorar pitangas! Enganei um bobo na casca do ovo!

Agora, você, caro leitor, fiquei pensando: vai tentar explicar o que tudo isso significa “até queimar as pestanas…”.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *