Campeche ganha uma rádio comunitária

A Rádio Campeche inicia suas transmissões em caráter experimental no sábado, 2/4/05, às 14 horas. É a primeira emissora comunitária de Florianópolis licenciada segundo a lei 9612/98.
Da RedaçãoA Associação Rádio Comunitária Campeche foi fundada em novembro de 1998 e o pedido de autorização ao Ministério das Comunicações foi feito em janeiro de 2000. Após cinco anos e dois meses de tramitação, a licença de operação foi recebida na última terça-feira. A freqüência de transmissão é 104,9 em FM.

Conseguir a licença de funcionamento para a Rádio Campeche foi um trabalho persistente, árduo e voluntário de dezenas de pessoas ao longo de sete anos. Quando o Ministério das Comunicações abriu a oportunidade para as entidades interessadas em executar o serviço de rádio comunitária em Florianópolis, em janeiro de 2000, dez associações da Capital iniciaram o processo. Só a Rádio Campeche superou todas as etapas.

Enquanto estiver operando em caráter experimental, a rádio transmitirá música e informação. Para agradar a todas as pessoas que compõem a comunidade, a programação musical será a mais variada possível, do sertanejo ao clássico, mas com ênfase nos músicos locais. A Campeche tem como meta ser a emissora que mais rodará músicos de Florianópolis, pois o incentivo aos artistas locais é uma disposição estatutária.

A grade de programação tem sido debatida em seminários e enquetes e será fruto da colaboração coletiva. Além disso, a programação terá de ser aprovada pelo Conselho de Entidades Comunitárias, que tem representantes de associações do bairro.

Logo após entrar no ar em caráter experimental depois de tão longa luta, inicia-se outra batalha: conseguir uma sede própria. Por não dispor de um local, nos primeiros meses a Rádio Campeche funcionará em uma residência particular. Só com a sede própria poderão ser desenvolvidas a contento as atividades jornalísticas e de produção de programas. ANcapital, 2/4/2005, p. 5. [CO]


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *