Casemiro, a “voz do oeste”: nasci para ser radialista

Marcos Bedin

Dono da voz mais famosa do grande oeste barriga-verde, o radialista chapecoense Casemiro Serafim Roberto Vieira será um dos homenageados pela Associação Catarinense de Imprensa (ACI) na 4° Festa da Imprensa de Santa Catarina em Chapecó. A comemoração está programada para o próximo dia 27 de agosto, um sábado, às 10 horas da manhã, na sede campestre da CDL Chapecó e faz parte dos festejos dos 180 anos da imprensa catarinense. O evento é promovido pela ACI, MB Comunicação e CDL. A programação incluirá solenidade, homenagens, lançamento de obra literária e almoço festivo. Essa edição está sendo coordenada pelo presidente da ACI, Ademir Arnon e pelo diretor regional, Marcos A. Bedin.

Conhecido profissionalmente como Casemiro Roberto, o comunicador tem mais de meio século de profissão e persevera na atividade, condição básica para receber a honraria. Nascido de uma família humilde, filho de pescador e com cinco irmãos, aos seis anos de idade já havia descoberto sua paixão pelo rádio. “Eu ouvia a rádio Cultura da cidade de Joinville. Um dia fui conhecê-la, por acaso, e a partir daí não tive dúvidas: seria um radialista. Dias depois, montei em minha própria casa, em um dos cômodos, uma pequena “emissora de rádio”, a qual todos os dias brincava, narrando fatos e experiências que escutava na vizinhança”.

Com 14 anos, seu irmão mais velho, ao saber do sonho do caçula, teve a ideia de  construir-lhe uma caixa de engraxate. “Depois que meu irmão me fez a caixa, todos os sábados eu ficava na entrada da emissora Cultura, esperava o dono, e engraxava seus sapatos. Assim, depois de muita conversa e insistência ele me convidou para trabalhar com ele na emissora”, relembra Casemiro quando questionado sobre os primeiros passos de sua carreira.

Depois disso, Casemiro trabalhou em mais de 17 emissoras de rádio. A primeira foi a rádio Colon em Joinville.  Em sua carreira, conta que passou por diversas etapas, de operador de som até as narrativas de noticiários. Colecionador de histórias, diz que apreendeu muito durante esses 50 anos de rádio. “Tudo que sei vem de dentro de uma cabine de rádio. Meus professores eram meus colegas de profissão”, comenta.

Todas essas histórias e vivências radiofônicas lhe renderam outras premiações. Em 2007 ganhou o prêmio Microfone de Ouro da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão de Santa Catarina (ACAERT), o título de melhor comentarista de notícias pela Assembleia Legislativa. Também foi homenageado pela Câmara Municipal de Vereadores de Chapecó.

Com sua voz marcante, Casemiro continua na profissão. Narrando histórias e notícias na Rádio Chapecó, pela qual se diz apaixonado. “Estou aqui desde 1977 e pretendo ficar por aqui. Não me arrependo de nada do que fiz. Faria tudo de novo, pois nasci para ser radialista, é disso que vivo e é disso que gosto”, finaliza emocionado.

Categorias: , Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *