Falando em rádio

Você, caro leitor, deve ter ouvido muitas definições que procuram identificar o sentimento das pessoas com relação aos serviços prestados pelo rádio e, também pelos serviços prometidos e não entregues pelo rádio. Ou a falha seria dos empresários, radialistas ou anunciantes?

Saber – Pra quê?

Há quase 50 anos acredita-se que o homem pela primeira vez pisou na lua. Há quem acredite com tranquilidade e quem duvida seriamente, mas há também quem diz: “Que diferença faz saber? O que mudaria em minha vida?” Muitas pessoas e cientistas creem em Deus, outros não. E existem muitos que creem que o homem […]

Olhos

Abrem-se quando nascemos e se fecham quando morremos: os olhos. Para alguém privado da capacidade de ver, cerra-se essa abertura crucial para o mundo de cores e formas. Desliga-se a luz que nos invade na claridade das manhãs, na ofuscante iluminação de um meio-dia ao sol, no lusco-fusco do fim do dia e início da […]

Aquela voz no rádio

Nasci em janeiro de 1973, em Florianópolis, mas sempre morei em São José. A infância dos meninos dos anos 70 e 80 foi muito especial. É claro que a das meninas também foi muito diferente das de hoje, especial.

A voz da jovem guarda

Em primeiro lugar, muito obrigado ao PC, fonte da inspiração que trouxe esse título. Me refiro ao trabalho do Paulo Clóvis Schmitz, A voz da velha guarda publicada no caderno Plural do Notícias do Dia, edição de segunda-feira, 5 de junho de 2017. Para quem não leu, a matéria se refere ao lançamento da série […]

Amor mané

O audiovisual está ancorado na tradição da História Vista de Baixo e da História do Tempo Presente. Este audiovisual está ancorado na tradição da História Vista de Baixo e da História do Tempo Presente. Parte do principio de perceber e realçara presença de pessoas que em diversas situações passam desapercebidas ou foram esquecidas. Pretende, igualmente, […]

Mãos ao alto, Bela vista!

Quem sabe se essa frase ainda é usada pelos bandidos; inúmeras outras expressões Mãos ao alto, Bela Vista! podem ser usadas, e nada mudará a sensação de impotência, de frustração, decepção, raiva; um desejo por justiça, mas onde ela está? Moradores de todo e qualquer bairro que passe pela crescente violência não fique se perguntando […]

Os três nódulos

Pois é. Quem está vivo sempre aparece. Eu que estou na janela da vida há 67 anos, desaparecer – como desapareci – dá na vista. Se, você que acompanha as minhas vidas de cidadão e profissional, ficou surpreso, imagina o que isso representou para mim. Sou um cara saudável, nos limites da média brasileira.

Experimente!!!

Dizer que todos somos especiais pode deixar dúvidas. Ser ou não uma pessoa especial pode envolver até que ponto estamos dispostos a aceitar algo novo.

Um gancho diferenciado

Custou mas apareceu o gancho que eu precisava. Estive ausente da função de cronista colaborador do Caros Ouvintes desde dezembro de 2016. Foi uma lasqueira daquelas!