Instituto Caros Ouvintes lança série de E-books sobre profissionais da comunicação de Santa Catarina

Volume 1 de Astros e Estrelas conta, em material inédito, a trajetória de seis profissionais que fazem parte da história da mídia catarinense.

TV Coligadas: Hora de recordar uma aventura da comunicação

Para um jornalista, resgatar uma história do passado sempre é um prazer. Duvido que haja um profissional da notícia que não se encante ao descobrir elementos de outros tempos, personagens influentes de outras décadas, fatos, fotos, causos, tudo e mais um pouco que constitui-se na parte da memória de um povo em qualquer canto deste mundo.

Um gancho diferenciado

Custou mas apareceu o gancho que eu precisava. Estive ausente da função de cronista colaborador do Caros Ouvintes desde dezembro de 2016. Foi uma lasqueira daquelas!

Ascânio Seleme: Gestor com faro de repórter

Ascânio Seleme tinha 16 anos e nem sabia que profissão teria quando viu o nome impresso pela primeira vez em um jornal. Foi em 1972, no Correio do Norte, semanário de sua cidade natal, Canoinhas.

Morre fotógrafo que ‘apresentou’ a neve de São Joaquim ao país

Totó Godoy fez história: na década de 1960, com sua primeira câmera, registrou e mandou foto da neve para a revista O Cruzeiro.

Projeto leva o rádio para a escola

Alunos do 6º ano do Colégio Alinor Vieira Côrte de Papanduva, no norte catarinense, estão aprendendo português de uma maneira diferente. Através de uma proposta pedagógica alternativa, o projeto “Rádio Atividade” desenvolve habilidades de comunicação e linguagem utilizando o rádio como fonte de inspiração.

Só um toque

Era uma bela manhã de terça-feira e vários amigos estavam reunidos na barbearia. Três clientes mais o barbeiro. As idades variavam entre 40 e 65 anos. Todos estavam na expectativa pela chegada de Renato. Tudo começara na sexta-feira anterior. As conversas sobre a saúde do homem, doenças, morte e falta de cuidados permeavam o diálogo […]

Coruja: o primeiro cronista de Porto Alegre

No século XIX, grande parte do cotidiano de Porto Alegre foi registrado em crônicas presentes nas publicações da época. Este tipo de narrativa teve na figura de Antônio Álvares Pereira Coruja (1806-1889), cuja alcunha era “Coruja”, o seu pioneirismo entre os porto-alegrenses.

Pioneiros do Fotojornalismo: Paulo Dutra

Manezinho da Ilha, começou a fotografar aos 17 anos e diz que chegou a ser o “fotógrafo mais vem pago do Sul do Brasil”. Atuou em jornais diários, na revista Manchete e nos Governos Federal e do Estado.

Jornalista José Nazareno Coelho

Aos 18 anos Nazareno Coelho inicia a mais longa jornada de sua vida profissional ingressando como técnico de som (operador de áudio) na Sociedade Rádio Guarujá – a mais popular – como era conhecida a pioneira e então única emissora de rádio da Capital.