‘Testemunha ocular da História’, ‘Repórter Esso’ fez sucesso no rádio e na TV

O programa ”Repórter Esso” foi ao ar pela primeira vez às 12h55 do dia 28 de agosto de 1941, pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, quando a voz de Romeu Fernandes anunciou o ataque aéreo da Alemanha à Normandia, na França, durante a Segunda Guerra Mundial.

iran manfredo nunes

Rádio Catarinense perde mais um dos seus pioneiros

Iran Manfredo Nunes morreu nesta terça-feira (24/08) às 20h20 vitimado por uma parada cardio respiratória, aos 82 anos.

Fiori Gigliotti e o pênalti perdido por Garrincha

José Paulo de Andrade, famoso âncora de radiojornalismo, era repórter esportivo em 1966 e complementou o relato do pênalti.

O suspense no Teatro de Mistério, da Rádio Nacional

Curta áudios e curiosidades na primeira parte de ‘O rádio faz história’ sobre a série policial que fez sucesso no Rio de Janeiro. Com colaboração de Rose Esquenazi, professora da Faculdade de Comunicação da PUC-RJ, o programa Todas as Vozes contou curiosidades e mostrou trechos do Teatro de Mistério. É a primeira parte da edição […]

Como as rádios lançavam os grandes nomes da MPB

O rádio fez muita história não apenas como forma de comunicação, mas no lançamento de muitos cantores, principalmente nas décadas de 40 e 50, onde a música e as notícias eram movidas boa parte pelas ondas da radiola.

Neide Mariarrosa: a voz de Santa Catarina

Nascida em Florianópolis no dia 11 de abril de 1936, Neide Mariarrosa é considerada uma das principais cantoras da história de Santa Catarina. Neide começou a carreira artística ainda menina, aos 14 anos, incentivada por amigos e pela família, participou de um concurso de calouros da Rádio Guarujá e ganhou.

1° de abril: a resistência ao Golpe de 64 na Rádio Nacional

A partir da madrugada do dia 31 de março e durante o 1º de abril de 1964, quando o golpe de Estado já estava em curso, com tropas militares em direção ao Rio de Janeiro e adesões no meio civil, a Rádio Nacional, vinculada à presidência da República, se tornou um espaço de resistência democrática. Assim como fez Leonel Brizola em 1961, como governador do Rio Grande do Sul, que montou a “Rede da Legalidade” para defender a posse de João Goulart, os microfones da emissora do Rio de Janeiro ficaram abertos para as manifestações de diferentes segmentos da sociedade contrários à derrubada de Jango.

Álvaro Correia: quem deve tocar a história somos nós

“A história tem que ser tocada para frente, não pode parar. E quem deve tocar a história para frente somos nós: a geração de hoje”. “Foi com esta impactante frase que o jornalista e ex-parlamentar, Álvaro Correia, iniciou o emocionado discurso na noite de lançamento de seu primeiro livro: Homens que fizeram a história, lançado na noite da última terça-feira, 6/12/2011”, registrou a reportagem do jornal Cruzeiro do Vale, da cidade de Gaspar/SC.

Rádio KGEI, uma emissora desaparecida

Hoje, nas nossas reminiscências, vamos lembrar a Rádio KGEI, uma emissora desaparecida. Gostaria de lembrar que a hemeroteca do Memorial Landell de Moura possui a coletânea da “QSP revista de rádio e comunicações”, editada na cidade de Viseu, em Portugal e que está à disposição dos pesquisadores. Por hoje ficamos por aqui.

Digitalização de fitas doadas por Zininho permite resgate da memória do rádio

O poeta e compositor, que morreu em 1998, doou 1.200 fitas de rádio à Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes. Foi por meio desse canal que muitos florianopolitanos puderam testemunhar a transformação urbana operada da metade do século passado para cá, os principais fatos políticos locais e nacionais e a vida social da Ilha, em permanente ebulição.