Saiba quando o rádio começou a ser ‘incrível, fantástico e extraordinário’

Henrique Foréis Domingues, o Almirante, mexia com o imaginário dos ouvintes nas décadas de 1940 e 1950, com o programa semanal ‘Incrível, fantástico, extraordinário’, na Rádio Tupi do Rio de Janeiro. A atração contava histórias de terror e mistério enviadas pelos ouvintes, conforme explicou Rose Esquenazi, professora da PUC no programa Todas as Vozes.

Rádio Nacional revive os 100 anos do samba em programas diários, até dezembro

Materializado em , com a gravação de Pelo Telefone, de autoria do músico e compositor carioca Ernesto dos Santos, o Donga, o samba está completando o seu centenário neste ano.

Blota Jr. A elegância no ar

Chega o momento. Por um instante, tudo para. O relógio marca 21h40. A orquestra da TV Record começa a executar o tema de abertura do festival, composta por Luiz Chaves, do Zimbo Trio. Lentamente, a Cortina sobe. De um monitor escondido, nota-se que a câmera abre o pano também de forma lenta.

Saudades… Luiz Lopes Corrêa

Numa bela manhã de outono do mês de abril de 1949, surgiu não sabemos de onde, na PRG-5 Rádio Atlântica de Santos, um jovem franzino e de baixa estatura, ostentando, como complemento do seu terno alisadinho, uma vistosa e colorida gravata borboleta, desejoso de se submeter a um teste para speaker, antiga denominação dada aos locutores de rádio.

Inconfidências de um compadre inconformado

De um lado uma comadre obstinada por uma poesia de Ghiaroni e de outro, lá longe no Rio de Janeiro, um compadre se preparando para um tour europeu. Entre os dois – eu, este escriba – confidente de um sonho de uma noite de verão do dia 13 de dezembro de 1981.

Discurso de Vargas em 1949 no rádio é assunto no Todas as Vozes

Era abril de 1949. O repórter Murilo Antunes Alves e o técnico de som Paulo Fagundes, da Rádio Record de São Paulo, conseguiram encontrar o ex-presidente Getúlio Vargas em uma fazenda no Rio Grande do Sul, quase na fronteira com a Argentina. Getúlio estava distante da imprensa, após ter deixado a presidência do país em 1945 e o Senado em 1947.

Exposição virtual relembra atuação e importância da Rádio Cacique

A Fundação Pró-Memória promove a partir do dia 3/11 até o dia 30 a exposição Rádio Cacique: um microfone e muitas histórias!, no site da instituição. A exposição celebra o Dia do Radialista e faz homenagem aos profissionais da radiofusão e resgata flagrantes de uma rádio que teve papel fundamental do desenvolvimento da música popular no município de São Caetano do Sul, São Paulo, a Rádio Cacique, que operava nos 1.330 KHz, na frequência ZYR-41.

Retorno em 1974: de Osmar Santos para Joseval Peixoto

Diretamente da Alemanha, após transmissão da Copa do Mundo, Osmar anunciou a volta de Joseval Peixoto na Rádio Jovem Pan. Uma situação pouco comum no rádio dos anos 1970. Um jovem de 24 anos era o narrador esportivo titular da Rádio Jovem Pan de São Paulo na decisão de uma Copa do Mundo de Futebol. […]

O dia em que o rádio deixou um país em pânico

O programa de maior repercussão na história do rádio foi a ‘Guerra dos Mundos’, veiculado no dia 30 de outubro de 1938, um domingo. A criação foi de Orson Welles (1915-1985), que tinha apenas 23 anos de idade quando passou a dirigir o programa de teatro radiofônico chamado Mercury Teatre on the Air (Teatro Mercury no Ar) da rede de emissoras norte-americanas CBS.

O início da ‘Inclusão Brasileira’ pelo radiojornal

“Repórter Esso, o primeiro a dar as últimas” e “testemunha ocular da historia”. Eram esses os slogans que não saiam da boca, ou melhor, dos ouvidos do povo brasileiro entre as décadas de 40 e 60. E o dono desses famosos slogans era o Repórter Esso, o mais famoso noticiário transmitido pelo rádio nas décadas entre […]