Fiori Gigliotti e o pênalti perdido por Garrincha

José Paulo de Andrade, famoso âncora de radiojornalismo, era repórter esportivo em 1966 e complementou o relato do pênalti.

O suspense no Teatro de Mistério, da Rádio Nacional

Curta áudios e curiosidades na primeira parte de ‘O rádio faz história’ sobre a série policial que fez sucesso no Rio de Janeiro. Com colaboração de Rose Esquenazi, professora da Faculdade de Comunicação da PUC-RJ, o programa Todas as Vozes contou curiosidades e mostrou trechos do Teatro de Mistério. É a primeira parte da edição […]

1° de abril: a resistência ao Golpe de 64 na Rádio Nacional

A partir da madrugada do dia 31 de março e durante o 1º de abril de 1964, quando o golpe de Estado já estava em curso, com tropas militares em direção ao Rio de Janeiro e adesões no meio civil, a Rádio Nacional, vinculada à presidência da República, se tornou um espaço de resistência democrática. Assim como fez Leonel Brizola em 1961, como governador do Rio Grande do Sul, que montou a “Rede da Legalidade” para defender a posse de João Goulart, os microfones da emissora do Rio de Janeiro ficaram abertos para as manifestações de diferentes segmentos da sociedade contrários à derrubada de Jango.

Saiba quando o rádio começou a ser ‘incrível, fantástico e extraordinário’

Henrique Foréis Domingues, o Almirante, mexia com o imaginário dos ouvintes nas décadas de 1940 e 1950, com o programa semanal ‘Incrível, fantástico, extraordinário’, na Rádio Tupi do Rio de Janeiro. A atração contava histórias de terror e mistério enviadas pelos ouvintes, conforme explicou Rose Esquenazi, professora da PUC no programa Todas as Vozes.

Rádio Nacional revive os 100 anos do samba em programas diários, até dezembro

Materializado em , com a gravação de Pelo Telefone, de autoria do músico e compositor carioca Ernesto dos Santos, o Donga, o samba está completando o seu centenário neste ano.

Blota Jr. A elegância no ar

Chega o momento. Por um instante, tudo para. O relógio marca 21h40. A orquestra da TV Record começa a executar o tema de abertura do festival, composta por Luiz Chaves, do Zimbo Trio. Lentamente, a Cortina sobe. De um monitor escondido, nota-se que a câmera abre o pano também de forma lenta.

Saudades… Luiz Lopes Corrêa

Numa bela manhã de outono do mês de abril de 1949, surgiu não sabemos de onde, na PRG-5 Rádio Atlântica de Santos, um jovem franzino e de baixa estatura, ostentando, como complemento do seu terno alisadinho, uma vistosa e colorida gravata borboleta, desejoso de se submeter a um teste para speaker, antiga denominação dada aos locutores de rádio.

Inconfidências de um compadre inconformado

De um lado uma comadre obstinada por uma poesia de Ghiaroni e de outro, lá longe no Rio de Janeiro, um compadre se preparando para um tour europeu. Entre os dois – eu, este escriba – confidente de um sonho de uma noite de verão do dia 13 de dezembro de 1981.

Discurso de Vargas em 1949 no rádio é assunto no Todas as Vozes

Era abril de 1949. O repórter Murilo Antunes Alves e o técnico de som Paulo Fagundes, da Rádio Record de São Paulo, conseguiram encontrar o ex-presidente Getúlio Vargas em uma fazenda no Rio Grande do Sul, quase na fronteira com a Argentina. Getúlio estava distante da imprensa, após ter deixado a presidência do país em 1945 e o Senado em 1947.

Exposição virtual relembra atuação e importância da Rádio Cacique

A Fundação Pró-Memória promove a partir do dia 3/11 até o dia 30 a exposição Rádio Cacique: um microfone e muitas histórias!, no site da instituição. A exposição celebra o Dia do Radialista e faz homenagem aos profissionais da radiofusão e resgata flagrantes de uma rádio que teve papel fundamental do desenvolvimento da música popular no município de São Caetano do Sul, São Paulo, a Rádio Cacique, que operava nos 1.330 KHz, na frequência ZYR-41.