Celso Freitas desfaz dúvida e Ricardo vai pagar o jantar no Le Dome, em Paris.

Salve Antunes e Ricardo,
Coitado do Ricardo! Vai ter bancar o jantar. Se puder escolher, eu prefiro o Le Dome, onde a variedade de frutos do mar é divina. :-))
Vamos elucidar a questão.Cheguei em Florianópolis no final de 1970, mesmo. Poderia ter sido no início do ano, mas declinei de um convite da Rádio Sta Catarina, pois ouvindo os colegas de rádio de Criciúma, eu não estava preparado para a rádio da capital. Daí a razão de ter passado seis meses na Rádio Colon de Joinville. Se o tivesse feito em 60, teria sido um garoto prodígio, pois estaria com sete anos de idade. Sou de 1953. Além disso, em 60 a Diário estava instalada na Praça XV com auditório e tudo mais, não é isso, Antunes?
Gostaria de receber informações de vocês a respeito de algo que sempre me impressionou e que não está sendo resgatado na história de Florianópolis. Cadê as Sociedades Carnavalescas? Mais precisamente os carros de MUTAÇÃO. Acabou aquela rica tradição?  Um forte abraço a todos!
 
Caro Celso:
Isto está ficando muito interessante. E vai exatamente ao encontro do objetivo de nossa pesquisa: clarear uma porção de coisas de que se fala, mas que não há elementos de comprovação. A primeira vitória está aqui, Ricardo pagará o jantar. Olha, apesar de gaúcho grosso da fronteira, também sou chegado a uns frutos do mar. Ricardo, por favor, Le Dome.
 
Que belo tema você levanta quando pergunta pelas Sociedades Carnavalescas. Sinceramente não sei o que dizer, mas sei o que podemos fazer: colocar no site www.carosouvintes.com um espaço reservado para falar disso. Pode ser em forma de Fórum, Blog ou qualquer outra maneira de discussão. O que importa é que isso é importante e merece a nossa atenção. Alexandre e Emílio, nossos anjos-da-guarda, desenvolvedores e administradores do nosso site, que dizem vocês meninos? E o que dizem vocês parceiros de pesquisa? AbrSvr

Categorias: Tags:

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *