Centenário de nascimento de Jacob do Bandolim é destaque no Bossamoderna

O Bossamoderna deste domingo (22) homenageia o centenário de nascimento de Jacob do Bandolim. Ele viveu entre 1918 e 1969.

O programa começa com o sucesso “Treme-treme”, de 1947. A composição foi a primeira obra solo de Jacob do Bandolim. No ano seguinte, em 1948, ele lançou outra composição de destaque. Esta edição apresenta “Remelexo”.

Ao longo da vida, Jacob do Bandolim foi vendedor, prático de farmácia, corretor de seguros, além de ser considerado uma das principais referências do choro. O Bossamoderna destaca “Cabuloso”, mais uma brilhante composição do artista.

No começo da década de 1950, Jacob passou a atuar junto com o “Conjunto Regional do Canhoto”. O programa destaca a magnífica regravação de “Lamentos”, de Pixinguinha, em gravação de 1951.

Esta edição conta também com a participação do conjunto “A Cor do Som”. O grupo formado por Armandinho Macedo (Bandolim), Mu (teclados), Dadi (baixo), Gustavo (bateria) e Ary (percussão), apresenta “Assanhado”, de Jacob do Bandolim, em faixa do disco “Frutificar”, de 1979.

O grupo paulista “Quatro a Zero” revisita nesta edição “O vôo da mosca”, do homenageado Jacob, em faixa do disco “Choro elétrico”, de 2004. Já o conjunto de vanguarda “Tira Poeira” apresenta nesta edição, a “Receita de samba”, composição do próprio Jacob do Bandolim, em faixa do disco “Tira poeira’, de 2003.

O paulista Paulo Moura revisitou “Simplicidade”, que Jacob lançou em 1960, em faixa do disco “Estação Leopoldina”, de 2003. O carioca “Trio Madeira Brasil” formado por Marcelo Gonçalves (violão de 7 cordas), Zé Paulo Becker (violão de seis cordas) e Ronaldo do Bandolim, destaca nesta edição a valsa de 1948, que Jacob do Bandolim intitulou como “Feia”. O Bossamoderna apresenta a obra em faixa do disco “Trio Madeira Brasil e convidados ao vivo”, de 2004.

O pianista Laércio de Freitas participa desta edição junto com o violonista Alessandro Penezzi. Eles apresentam nesta edição “A ginga do Mané”, em faixa do disco “Laércio de Freitas homenageia Jacob do Bandolim”, de 2007.

Alguns temas instrumentais de Jacob foram gravados por grandes vozes da música brasileira. Esta edição destaca “Noites cariocas”, na voz de Gal Costa. Os versos foram escritos por Hermínio Bello de Carvalho. O Bossamoderna apresenta a obra em faixa do disco “Gal tropical”, de 1979.

Ataulfo Alves foi parceiro de Jacob na composição da música “Meu lamento”, gravada por Nora Ney em 1956. Elizeth Cardoso gravou outro de tema de Jacob do Bandolim. O repertório desta edição apresenta “Doce de coco”. A música foi letrada por Hermínio Bello de Carvalho.

Esta edição do Bossamoderna destaca também “Inocência”, letra e música de Jacob. O programa apresenta a obra em gravação de 1968, que reuniu Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim, o grupo “Época de Ouro” e o “Zimbo Trio”.

Neste primeiro programa em homenagem ao artista, o Bossamoderna encerra com “Jamais”, de Jacob e Luiz Bittencourt. O programa destaca a obra na apresentação de Elizeth Cardoso, do próprio bandolinista e do conjunto “Época de Ouro”.

O Bossamoderna vai ao ar todo domingo, às 22h, pelas Rádios MEC e MEC FM. Envie seus pedidos de músicas, participação ou informações da programação também pelo Whatsapp (21) 99710-0537.

(Fonte: Rádios EBC, 19/07/2018)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *