CEO do NYT prevê, no mínimo, dez anos de vida para jornal impresso

O CEO do New York Times, Mark Thompson, afirmou que acredita que o jornal impresso durará mais 10 anos apenas nos Estados Unidos e que, mesmo querendo manter “por mais tempo possível”, admite que o tempo do jornal físico já está expirando.

A declaração foi dada em entrevista à CNBC, poucos dias após a divulgação de um aumento de mais de 50% na receita com assinaturas digitais.

“Eu acredito (que o jornal impresso terá) muitos anos no futuro, pelo menos dez anos. Não vamos decidir apenas na lógica econômica. Mas a questão chave é que não estamos nos baseando apenas no produto impresso, estamos avançando no digital”, afirmou Thompson na entrevista.

Na semana passada, o jornal americano divulgou que ultrapassou a marca de 2,5 milhões de assinantes digitais, a maior base entre as publicações de todo o mundo. Nos três meses até dezembro, foram 157 mil novas assinaturas. Foi sob a gestão de Thompson que o “New York Times” passou de um milhão de assinaturas digitais. As receitas de assinaturas de produtos apenas digitais, incluindo notícias, assim como palavras cruzadas e as receitas culinárias do jornal, aumentaram 51,2%, para US$ 96,3 milhões.

“Nosso desejo é atender às pessoas que querem notícias sérias da maneira que for boa para ela. Temos uma ótima plataforma impressa, ela pode ter um prazo de tempo, pode chegar um momento em que não faça mais sentido econômico, mas nosso plano é continuar servindo nossos leitores fiéis pelo maior tempo possível. Enquanto isso, estamos construindo o negócio digital, para termos uma operação crescente e de sucesso de notícias muito além do impresso. E estamos otimizando isso”.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *