Cinema: ‘Um alguém apaixonado’

Abbas Kiarostami é um cineasta que explora a alma humana como poucos, sendo que o filme ‘Um alguém apaixonado’ é a prova definitiva desse fato. A narrativa visual nos apresenta personagens que, acima de tudo, despertam no telespectador o desejo de entender suas respectivas personalidades, o porquê e como se tornaram aquelas pessoas.

weO diretor constrói a história a partir de minúcias, é o gestual que proporciona ao telespectador mergulhar no âmago dos personagens, é através dos movimentos acelerados do namorado da protagonista que vemos nele uma eterna impaciência, um homem que é regido pelo ciúme e que transmite uma forte instabilidade, o telespecador fica apreensivo a todo o momento quando ele aparece em cena, até mesmo os momentos em que ele conversa com sua namorada pelo telefone, onde apenas a voz do jovem aparece, isso já é o bastante para que cresça uma tensão que mexe com os nossos centros nervosos.

No caso da protagonista, temos uma jovem que estuda Sociologia e trabalha como prostituta, seus gestos são sempre comedidos e vagarosos, funcionam como uma espécie de freio para os demais personagens e seus respectivos comportamentos a sua volta, a jovem parece a todo o momento evitar o caos e a explosão que habita na personalidade dos outros, especificamente do seu cafetão e também do namorado violento.

É como se ela dissesse a si mesmo: “-Não se preocupe, está tudo bem.” Mas infelizmente não está, as pessoas que fazem parte de sua vida são perigosas e instáveis, sua vida encontra-se num perigo eminente. O estado de letargia também se faz presente na personagem, é como se ela estivesse se entregando as circunstâncias da vida, sendo que suas expectativas por algo melhor acabassem virando pó e cinzas esquecidas.

No personagem do professor aposentado, temos uma doçura e a experiência como elementos que acalentam os que estão a sua volta, que fazem eles refletirem sobre suas raízes e sobre o que há de melhor em cada um deles. É como se ele buscasse no interior da jovem prostituta sua verdadeira faceta, tentando fazê-la entender que ela merece algo melhor para si, que deveria se desvencilhar da relação de submissão e violência com o namorado.

O idoso expõe seus conselhos também para o rapaz ciumento, ele enxerga facilmente que a relação entre o jovem casal pode terminar de forma drástica, por isso, conduz o diálogo de forma cadenciada, para que o jovem diminua seu ritmo frenético e se acalme.

É impressionante como o idoso emana uma paz de espírito que faz com que até mesmo o rapaz violento se torne mais racional, a atmosfera de tensão diminui, mas ainda está lá, afinal a concepção machista que o rapaz nutre de que seja o possuidor da jovem é muito forte.

O idoso após oferecer seus conselhos ao rapaz, destaca que aquilo é apenas sua opinião, através dessa fala e também de outros momentos do filme, como por exemplo, o fato de que ele acaba sempre abdicando de suas vontades para atender aos desejos dos outros, entende-se que o senhor assemelha-se com a jovem prostituta, no que se refere a característica da submissão, talvez seja por isso também, que ele crie uma empatia pela jovem e queira ajudar ela a sair ilesa da relação com o namorado. Ele entende que ela não está apta a resolver a problemática sozinha.

‘Um alguém apaixonado’ merece ser visto e revisto inúmeras vezes, já que oferece inúmeras leituras e interpretações, é uma obra detentora de excelente roteiro, com personagens enigmáticos, que fazem com que o telespectador sinta-se como um verdadeiro explorador da alma humana ao tentar decifrar o que habita na mente dos personagens da narrativa visual.

Confira abaixo o trailer do filme:


0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *