Começa a Formatação do Projeto

De imediato temos que fazer um questionário para aplicar com três pessoas dessas quatro emissoras: Anita Garibaldi, Jurerê, Jornal a Verdade e Santa Catarina.Parabéns grande amigo Severo. 71 anos de muita inteligência, humildade, simpatia e de um grande ser humano. Eu me sinto também muito feliz, por ser teu amigo. Acho que inclusive já te disse isso em uma outra oportunidade. Espero que você esteja com a gente até no mínimo 150 anos.

Severo, quanto à parceria ai vão alguns toques:

1. De imediato temos que fazer um questionário para aplicar com três pessoas dessas quatro emissoras: Anita Garibaldi, Jurerê, Jornal a Verdade e Santa Catarina.
2. Acho, sinceramente, que não precisamos, entrevistar mais ninguém em relação à Diário e a Guarujá. Temos muitas informações sobre essas duas.
3. O que perguntar para essas três pessoas de cada emissora? Coisas simples e obvias:

– Se lembraM quando iniciou a emissora em questão

– Fatos marcantes na emissora (tristes ou engraçados)

– Quais os principais programas da emissora

– Detalhar cada programa: conteúdo, apresentador e se o programa era de qual gênero: de auditório, humorístico etc.

– Já entrevistei as seguintes pessoas referentes às emissoras pendentes: Heloisa Cruz Lima, Picolé, Cyro Barreto, Walter Lange Junior, Walter Souza (que trabalhou na Jurerê e em outras é claro, como a Anita e a Jornal a Verdade). Desses aí, vale à pena, quem sabe voltar a falar com o Cyro Barreto e com Walter Souza. Por que? Porque o Cyro poderia detalhar os programas que ele apresentava e outros da Anita Garibaldi. Já o Walter Souza poderia nos fazer um relato sobre alguns programas que ele lembre da Anita e da Jornal A Verdade.
4. Fora esses nomes, é preciso catar outros para compor a lista de entrevistados.
5. Com as entrevistas gravadas, eu peço para um irmão meu (Ivan) fazer a transcrição das fitas.
6. Fitas transcritas, eu começo a fazer os encaixes de informação dos depoimentos em cima do que eu já tenho a respeito de cada emissora.
7. Depois disso, eu te passo, todo o material sobre todas as rádios.
8. Tendo em mãos todo o material, você faz uma análise daquilo que conseguimos  e acrescenta ou retira aquilo que te convier.
9. Mais tarde fazemos mais um balanço, para termos certeza se está tudo okei.
10. Para cada entrevistado, temos que pedir se eles têm fotos para nos emprestar, pois um livro sobre o radio de Florianópolis sem fotos…
11. Quando começar as entrevistas? Já, exatamente quando você puder iniciar.
12. Quando lançar o livro? Você já cantou a pedra: devemos aproveitar os 60 anos de radio de Florianópolis. Isto é, ele deveria ser lançado este ano. Se não der, no ano que vem.
13. Como são dois autores, eu não preciso estar ai para que o livro seja lançado. Você é uma das almas do radio da capital, Severo.
14. Viabilização do lançamento. Eu conheço muito bem o Nélson Rolim, da Insular. Acho que ele pode topar essa idéia. Mas antes de falar com ele, temos que estar com todo o material em mãos. Fora da Insular temos que partir para conversar com a ACAERT. Em algum momento, acredito que eles podem nos ajudar.
Ah, que belos dados esses teus sobre as emissoras de Floripa. Parabéns por isso também. Ricardo. Sempre alerta.

Categorias: Tags: ,

Por Ricardo Medeiros

Doutor em Rádio pelo Departamento de História da Université du Maine (Le Mans, França). Radialista, jornalista, escritor e professor de rádio do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina e assessor de imprensa da Prefeitura de Florianópolis. É um dos fundadores do Instituto Caros Ouvintes.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *