Começa o Carnaval! ZY Consulado nas ondas do Rádio

Carlos “Duda” Vieira, de Florianópolis

Rei Momo, ensaio geral, Praça XV, Cidadã Samba, Philarmonica Desterrense, blocos de sujos, Lic Gay e o rádio tocando as marchas e sambas selecionados em mais um concurso de músicas carnavalescas de autores locais. Sonho? Saudosismo? Não! A cidade desperta para mais um “tríduo momesco”, como nas “antigas”, sem preconceitos. Livre, leve e solta. Simples, para todos que ainda têm sensibilidade para ver, ouvir, sentir e viver. Participe.

Em 1995 o GRES Consulado optou por efetuar uma grande homenagem a memória do Rádio enfocando mais precisamente a “Fase  Áurea” do Rádio Florianopolitano.
A carnavalização materializou a paixão e a saudade que os ouvintes sentiam desta época de ouro do rádio que não volta mais.
Ouso afirmar que a grande virtude desse carnaval foi prestar “em vida” uma homenagem aos homens e mulheres que efetivamente fizeram o rádio florianopolitano.

É preciso destacar a maneira carinhosa e fraterna com que a “Musa” do rádio CACILDA NOCETI, nos recebeu em sua residência quando efetuávamos a pesquisa, disponibilizando todo o seu acervo pessoal para que pudéssemos obter informações fidedignas de quem contribui para o sucesso  e o engrandecimento do rádio.

Para o lançamento do enredo o GRES Consulado organizou uma festa na quadra do Caeira onde estiveram presentes diversos locutores, radioatrizes e pessoas ligadas ao rádio.

Creio piamente que foi um carnaval emocionante, tanto para quem trabalhou para sua materialização, quanto para os componentes e convidados que desfilaram. Em síntese conseguimos resgatar uma memória adormecida nas mentes e corações da gente da Ilha, bem como dos artistas que viveram a fase áurea do rádio, emocionando a todos.

O enredo em sua primeira parte destacava os Programas de  Variedades, como  “VARIEDADES J7” apresentado por Edgard Bonassis, onde os ouvintes tinham  as previsões astrológicas, e outro que falava do dia a dia feminino com Lígia Santos.

A Hora do Despertador, brilhantemente apresentado todas a manhãs por Dakir Polidoro, destacando também as jornadas esportivas apresentadas pela grande equipe composta por Mário Inácio Coelho, Luiz Osnildo Martinelli, Roberto Alves e Fernando Linhares da Silva, entre outros.

A Segunda parte destacava os Grandes Musicais, dando ênfase aos programas musicais apresentados ao vivo dos estúdios das rádios Anita Garibaldi, Guarujá e Diário da Manhã.

O saudoso Oscar Berendt, com sua voz grave apresentava “Noite de Gala”,  Darci Costa comandava Rapsódia Noturna e também o “Encontro com o Cinema”. Bem cedinho Aldo Silva espalhava sua voz pelos lares da cidade apresentado “Alma Sertaneja”. Nas noites de sexta-feira Antunes Severo, um ícone do nosso rádio, juntamente com Neide Maria nossa estrela maior e Zininho, o grande poeta comandavam “Bar da Noite”, sucesso que esteve no ar por mais de 6 anos.

A terceira parte do enredo resgatava os programas de auditório, como Seqüências a Modelar onde se apresentavam grandes intérpretes como Neide Maria, Helinho, Edi Santana, Claudino Silva, Zanzibar Lima, Dilzo Silveira e Jairo Silva.

Na linha de programas onde os ouvintes participavam destaque para “O Céu é o Limite” onde os participantes respondiam “cabeludas” perguntas sobre temas variados selecionados por Francisco Mascarenhas e apresentados por Antunes Severo.

As manhãs de domingo eram reservadas “a petizada” com show ao vivo animado por Pituca, Maria Alice Barreto e Edgard Bonassis na rádio Guarujá.

Na década de 60 os programas de auditório conquistaram fãs de todas as classes e idades e esse sucesso teve ícones como Zininho, Neide Maria, Edi Santana, Tânia Martinez, Néli Silva, Luiz Flávio, Júlio Marino e Irmãs Sardá, entre outros.

A quarta  parte  do enredo trouxe de volta à passarela Nego Quirido a emoção da radionovela.

Tramas e mais tramas que mesclaram paixão, ódio, amor, intrigas e ação, unindo diariamente famílias inteiras que emocionadas acompanhavam as lágrimas de Isabel Cristina e Albertinho Limonta em o “O Direito de Nascer” sucesso nacional. As grandes novelas de Gustavo Neves Filho, como “As Lágrimas de um Coração” e “O Pecado Daquela Noite” com interpretações maravilhosas das nossas radioatrizes com destaque para Cacilda Nocetti, que desfilou num carro alegórico dessa vez brilhando no palco da Passarela do Samba Nego Querido.

E foi assim que o GRES  Consulado materializou seus enredo e homenageou nossos astros e estrelas da radio difusão.

E foi bastante emocionante ver o público cantado alegremente o Samba Enredo.

Caeira, Ô
Seu universo é poesia
da história trago a poesia  (BIS)
se liga, o Consulado está no ar.

Que saudade dá
na sombra da figueira ouvir
“O Direito de Nascer” amor
Vai começar o show de novo
no auditório da Nego Querido
o carnaval é o programa preferido
e o povo é o astro principal

Mais que amor, virou paixão
e mostro neste carnaval             (BIS)
o rádio era mania nacional

Voa, vai meu pensamento
através do tempo, pra recordar
radionovelas, notícias,
esportes, artistas
e novamente a estrela vai brilhar

Nós somos os cantores do rádio
Levamos a vida a cantar

No rádio do Caeira
O samba é de primeira
E faz o povo delirar.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *