Conclusões

Ele era conhecido como homem inteligente e discreto. Pessoas assim costumam ser observadoras. Na profissão de garçom essas qualidades são especialmente importantes.

garcomPerceber o momento certo e como se aproximar de um cliente, conhecer seus gostos e preferências, tudo isso era comum a Pascoal, garçom há mais de 30 anos.

Embora já tivesse atendido algumas pessoas famosas ao longo da carreira ficou especialmente contente quando soube que o hotel onde trabalhava como garçom receberia a cantora da qual Pascoal era um grande fã.

Chegado o grande dia o hotel estava lotado. Havia outros eventos que trouxeram muitos hóspedes.

O gerente do restaurante deu a Pascoal, seu mais experiente garçom, a tarefa de ir até o quarto da famosa cantora para saber se desejava seu jantar no quarto ou viria até o salão.

Pascoal ficara nervoso com a tarefa que até então era corriqueira. Já em frente ao quarto ajeitou a gravata, passou levemente a mão sobre os cabelos e limpou a garganta.

Ele bate a porta e ela o convida a entrar. Diante a sua admirada cantora e com o coração disparado ele mantêm a classe e o profissionalismo. Pergunta a ela se preferia o jantar em seu quarto ou no restaurante do hotel. Ela, gentilmente e com sua voz delicada agradece a Pascoal e diz que não há com o que se preocupar. Preferia ir até o restaurante por volta das 20h.

Aquela noite de quinta-feira era especial para Pascoal. Por mais que já tivesse atendido tantos famosos nenhum se comparava aquela cantora. Na realidade parecia que a cantora era mesmo especial na vida e nos sonhos do garçom.

Por volta das 19h Pascoal olha para a porta e vê uma mulher aparentando pouco mais de 60 anos, roupas muito simples, principalmente para um hotel daquela categoria e acima de tudo ao julgamento do elegante garçom. Poderia ser uma das empregadas do hotel que fora pedir alguma informação, mas deveria estar de uniforme, seria menos constrangedor, pensou Pascoal. Ele se aproxima da modesta senhora e pergunta o que ela deseja.

A senhora com toda simplicidade diz que deseja jantar. Pede com muita educação que Pascoal a ajude conseguir um lugar. Diz ainda que não tem preferência por um em especial.

Pascoal não quer tratar mal aquela senhora, mas conclui que ela escolhera um lugar e noite impróprios, principalmente pela celebridade que receberiam ali dentro de uma hora aproximadamente. Diz sem piedade que não há vagas aquela noite. Sugere inclusive que procure outro lugar para jantar e discretamente se afasta.

Minutos depois ao retornar ao salão não vê a senhora e se tranquiliza. Conclui que agiu bem em dispensar a mulher tão mal vestida. Mas ao olhar para as mesas observa a senhora já acomodada. Ele se aproxima e contem sua irritação. A senhora sorri e sem ares de condenação diz que um colega havia conseguido o lugar. Ela gentilmente pede água, chá e biscoitos. Pascoal diz que seu pedido pode demorar devido ao grande movimento da noite. Pensa que ela poderia se cansar e ir embora. Assim poderia se concentrar na grande cantora, para ele, digna de toda sua atenção àquela noite.

Ele vai até a cozinha, entrega o pedido da senhora e diz que não devem ter pressa em atender aquele pedido. Havia outros mais importantes.

Os minutos passam como que voando e um silêncio seguido de cochichos tomam conta do salão. As pessoas discretamente olham para a porta onde está a cantora tão admirada.

Ela, antes de dar o primeiro passo deixa que seus belos olhos verdes percorram todo o salão como uma câmera de TV. Pascoal rapidamente se aproxima preocupado com o constrangimento pela senhora vestida de maneira inadequada ao local e ocasião. Estava até preparado para dizer algo se a cantora visse a senhora. De repente, os olhos da cantora se fixam na humilde senhora. A senhora olha para a cantora parada a porta. Pascoal nota a troca de olhares e prepara-se para justificar uma presença um tanto indesejável aquela noite.

Quando abre a boca é interrompido pela cantora que não se importa em levantar um pouco o volume da voz e olhando para a humilde senhora, diz:

– Mamãe. Que bom que pode vir!

Pascoal, exímio garçom e homem muito observador fica perplexo. A cantora aproxima-se da mesa da senhora e é recebida com um caloroso e materno abraço.

Pascoal começa a entender a situação. A cantora troca carinhosas palavras com a mãe e diz a Pascoal:

– Mamãe já foi atendida? Já fez algum pedido?

Pascoal novamente ajeita a gravata e engole a saliva enquanto olha para a humilde senhora que apenas sorri para Pascoal. Ele diz a cantora:

– Sim. E a meu pedido um amigo a ajudou escolher seu lugar. Vou verificar porque ainda não trouxeram seu pedido.

Quando chega a cozinha um colega diz:

– O pedido de velhinha ali está quase pronto. Posso mandar?

Pascoal com cara deslavada deixa o colega confuso ao dizer:

– Ainda não levaram? Se apressem. Aquela senhora sentada com a cantora é nossa cliente mais importante da noite.

O colega pergunta o motivo. Pascoal com as mãos na cintura, diz:

– Ora que pergunta. Ela está sentada com a maior celebridade que já recebemos. O que você conclui?

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *