Congresso Catarinense de Rádio e Televisão discute novas mídias e o futuro da comunicação

Começa nesta segunda-feira (16) no Costão do Santinho Resort o 16º Congresso Catarinense de Rádio e Televisão, promovido pela Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão).

16-congresso-radio

O futuro da televisão, a migração das rádios AM para a FM, o jornalismo investigativo e o momento de Santa Catarina no contexto nacional serão os principais temas abordados ao longo dos três dias de encontro, que contará com a presença de profissionais gabaritados e autoridades do poder público.

Na primeira noite, a partir das 20h, haverá a abertura solene, seguida da entrega das comendas da radiodifusão para cinco personalidades escolhidas pela diretoria da Acaert e um jantar especial com a presença do presidente do Grupo Bandeirantes, Johnny Saad, do prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior, do presidente da Alesc, Gelson Merisio, e do governador Raimundo Colombo.

As palestras e debates começam na manhã de terça-feira (17), a partir das 9h30, quando a jornalista Sônia Bridi, da Rede Globo, falará sobre como conseguiu um furo de reportagem mundial ao entrevistar Edward Snowden. Em seguida, a conversa será sobre a migração das rádios AM para o FM.

“Hoje, a qualidade de transmissão do AM se perde nas grandes cidades. Com a mudança para o FM, as rádios ganham qualidade e uma sobrevida. É uma reivindicação que começou em Santa Catarina há cinco anos, e uma vitória sem precedentes na radiodifusão”, disse o presidente da Acaert, Rubens Olbrisch.

Como o congresso acontece na semana seguinte à posse do presidente interino Michel Temer (PMDB), a atual situação política do país e a crise econômica não poderiam ficar de fora. Assim, a quarta-feira será reservada para esse debate.

Às 17h, os secretários de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni, e da Comunicação, Walter Bier, comandam a palestra “Santa Catarina no contexto nacional”. Eles vão detalhar como estão as contas públicas, os desafios na tentativa de manutenção do equilíbrio fiscal e qual a projeção para o ano de 2016, que se desenha preocupante em função da recessão econômica e da consequente queda na arrecadação.

(Notícias do Dia Online, 16/05/2016)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *