Crimes cibernéticos se agravam a cada dia em todo o mundo

MILTON – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Milton, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

MILTON – Ethevaldo, você tem dados sobre a situação dos crimes cibernéticos em todo o mundo?

ETHEVALDO – As pesquisas mostram que o problema se agrava a cada dia em todo o mundo, Milton. Uma das novidades mais negativas foi revelada na semana passada pela IBM Trusteer, que identificou diversos ataques cibernéticos às petroquímicas no Oriente Médio por meio de uma variante do malware Citadel.

Aliás, entre os alvos preferidos desses ataques estão as empresas do setor financeiro, as grandes refinarias de petróleos e empresas governamentais. O que assusta todos os dias são os novos malwares, cada vez mais destruidores.

MILTON – Quais são os objetivos desses ataques?

ETHEVALDO: Podem ser de dois tipos: de pura fraude ou com objetivos político-ideológicos. O sistema financeiro norte-americano, por exemplo, sofre uma média de 40 mil ataques por dia, quase todos provenientes da Ásia. O Brasil já sofre cerca de três mil ataques diários em seu sistema financeiro.

Nos últimos anos, as maiores refinarias de petróleo do Oriente Médio, têm sido atacadas com maior frequência, em especial as da Arábia Saudita, país aliado dos Estados Unidos.

MILTON – Como é feito esses ataques.

ETHEVALDO: O caso específico da variante do malware Citadel consiste no ataque persistente e repetitivo mais avançado, para acessar dados empresariais, roubar propriedade intelectual ou obter acesso a recursos corporativos, como sistemas de e-mail ou de acesso remoto.

O código malicioso identifica e intercepta os endereços URLs no momento em que eles conectados à internet, antes de serem criptografados, e enviados ao servidor.

MILTON – Até amanhã.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *