Curió: Coisas de Mané

Nosso projeto experimental em radiojornalismo se iniciou com a inspiração de um professor nosso, na sala de orientações da Unisul na Pedra Branca, quando o Murilo e eu (Rubens) pensávamos em um tema para o nosso trabalho.
Por Rubens Cardiga Alves

Ele havia sido nosso professor de Técnica de Reportagem em Telejornalismo no semestre anterior, seu nome é Delmar Goulart.
Como também é professor da UFSC, Delmar tinha orientado uma reportagem sobre os curiós em televisão, e achou que seria ideal para um programa de rádio a respeito dessa veneração dos manezinhos da Ilha de Santa Catarina.
O programa ganhou forma ao escolhermos o nome: Coisas de Mané. Seria um programa semanal a propósito das peculiaridades e costumes dos primeiros habitantes de Florianópolis, advindos das Ilhas dos Açores. A primeira emissão iria mostrar a paixão do manezinho pelo canto dos pássaros, em especial o curió.


Rubens Cardiga Alves

O lugar ideal para começarmos nossa pesquisa certamente era o Curiódromo de Florianópolis, pertencente à S.A.C (Sociedade Amigos do Curió), localizada no Bairro Trindade. Nosso contato era o presidente da associação, Aldo Machado, e com ele obtivemos acesso irrestrito nas dependências do clube, bem como maior facilidade na abordagem com os sócios.
A arena construída às margens da Avenida Beira-Mar Norte é considerada o maior espaço destinado especificamente para abrigar competições de canto de pássaros. Ao visitá-la nos fins de semana encontramos muitos amantes de  curiós e  coleiras, dentre outros pássaros. Foi nesse ambiente que fomos colhendo os depoimentos e histórias que fariam parte do nosso hall de entrevistados.
Um dos personagens escolhidos foi o Seu Marlon, proprietário do curió denominado Trovoada, que atingiu a marca de 10 títulos nacionais consecutivos nas competições de canto. Seu Marlon se emociona ao lembrar do momento em que seu estimado bichinho morreu. Essa é uma das histórias contadas no programa.


Murilo Roso

Em pesquisas que realizamos durante a produção do programa descobrimos o grande divertimento que o curió traz para seus donos.
No caso de quem é sócio da S.A.C, além de apreciarem as competições de canto, que normalmente acontecem de setembro à março, que é quando o curió macho tenta impressionar a fêmea com seu canto. Além disso, os sócios têm a sua disposição um ambiente para realizar suas festas familiares, fazer um churrasquinho no fim de semana e tomar uma cervejinha. Existem ainda os amantes dos curiós que não possuem tanto poder aquisitivo, e que não poderiam despender considerável quantia por mês para se tornarem sócios. Esses apenas curtem seus curiós e seu belo canto, levando-os para passear freqüentemente no Curiódromo.
Essa pequena descrição de como se desenrolou nosso trabalho é apenas uma introdução para o prato principal, que é o nosso programa. Ele falará muito mais que as inúmeras palavras que poderiam ser escritas aqui.
:: Áudio 1
:: Áudio 2


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *