Década de 50 (ainda para os nostálgicos e iniciados)

Você lembra o que rolava na cidade? O que o beautiful people falava e como falava? Então prepare seu coração.

[Por Raul Caldas Filho]

Hotel Magestic, na esquina da Trajano com a Conselheiro Mafra. 1951.

Luz na cidade. Bar e restaurante Rosa. Irineu. Frechando. Ju Ramos. Transcorreu ontem. Confeitaria Chiquinho. Não faça assim, D. Judite, use Super Flit. Gibi mensal. Poema bar. Concurso de seios. Outros concursos. Fuxico. Baião. Canja americana. Madame Zuleika. Quer me dar o prazer? Soirée Blanche. Óculos tartaruga. A banda do Figueiró. maria Mole. Quinze anos. Love is many splendored thing. Feito para dançar. Adolfo Marinho. Não te micha. A Gruta de Fátima. Marrequinha. Aniversariou ontem. Rádio Diário da Manhã. Chiquito Mascarenhas. Empório Rosa. Tim-Tim por Thim-Thim. Edifício do Montepio. Rádio Anita. Mentirosa mulher que tanto amei. Osvaldo Robim. J. J. Barreto. Cine São José. Toca da Onça. Acontecimentos Sociais. Zury Machado. A verdade.

Governo ladrão. O maior Governo de todos os tempos. O que dizem e eu não afirmo. Manoel de Menezes. Sua majestade a dança. Volney Colaço de Oliveira. Viaje pela TAC. Tomar uma baga. Festinha americana. Caruso. Cinema do Doze. Um tango à meia-noite. Aldo Gonzaga. Ponto Chic. Cinemascope. Boite Plaza. Baton Eglantine. Carta Anônima. Cabelo aparado. Dijáhoji. Sofri, passei fome, mas nunca roubei. Carnaval do Fogo. Aviso aos Navegantes. Atlântida. Óculos de gatinho. Bar do Quido. Tenente Viegas. Caravana do Ar. Pão de forma. Sapato de cobra. Nego Pantera. Roda de Pneu. Praia da Capitania. Tolentino do Senhor dos Passos. Guerra da Coréia. Cabelo escovinha. Hemorragia (um bar). Frieiras e eczemas? Pomada Minâncora. Aves vous. Carnaval! Lança Perfume. Tens pente aí, Sansão? Bola de meia. Pituca. Os Demônios do Ritmo. Comício de Getúlio. Confusão generalizada. O carro da carne verde. Retalhos da vida. Bar da noite. Paulo Porrada. Hopalong Cassidy. Vestiu a roupa da cabra. Os três Mosqueteiros. As três mosqueteiras. Rabo de cavalo. Duas polegadas a mais. Marta Rocha. Sinfonia de Paris. Ballet da D. Albertina. Confeitaria Belo Horizonte. Radinho de pilha. Monsenhor Frederico Hobold. Iapetc. Neide Maria. Cantando na Chuva.

Sessão das duas do Ritz. Sessão das 3/45 do São José. Mona Lisa. Assim também não! Casa Moellmann. Da vantagem de ser jovem no Estreito. Tás com a mala. Narciso Lima. Seqüências A Modelar. Café Otto. Qual é o Parangolé? Waltrudes, o nauta veneziano, ou a filha do suposto traidor. Idelfonso Juvenal. Bar do Pitoco. Depois do Vendaval. Professor Anibal. Circular contra. Lira (motorista). Vais acabar Pavilhão. Quininha. Ou babete. Bambolê. Leonardo da farmácia. Rancho da Ilha. Palmério da Fontoura. O céu é o limite. Antunes Severo. Retreta. Dr. Radar capta e comenta tudo. Lázaro Bartolomeu. Sorvete do Poli. Missa só para homens. Egas Godinho. Kolynos. D. Maria Madalena Moura Ferro. Quo Vadis? Flirt. Afina o sangue e dá brilho aos cabelos. Gumex. Perobo. Tenente Bandeira. Toneleiros. Um tiro no pé e outro no coração. Morre Getúlio. Café Filho assume. Café Filho é deposto. Nereu no Catete. Estado de sítio. Convair. Jorge Lacerda. Frente Democrática. Francisco Gallotti. Aliança Social Trabalhista. A Marcha dos Acontecimentos. Os irmãos Zigelli. Blue Jeans. Marlon Brando. Topete. Rock Around the Clock. Juventude Transviada. James Dean. O Direito de Nascer. Tafetá de pura-seda. Bar Elite. Trotes. Orquestra de Castelan. Rosto colado. Mirandinha. Orquídeas ao luar. Palácio da Agronômica.

Aquela guria tá charlando comigo. Está lá fora um inspetor. Americano Bar do Querência. Nylon. Retalhos da vida. Crônicas de Ilmar Carvalho lidas por Ciro Marques Nunes. Armazém. Dunas Hotel. Fiuza Lima. Bambu. Baile do Pierrot. Beatriz Luz. Timbuca. Soçaite. Blue Gardenia. Sabino’s Bar. Atos Jacinto. O peru tá queimando. Assembléia em chamas. A bailarina dança. Já deste um beijo nela? Princesinha da ilha, tu és uma maravilha. Sereia do Bom Abrigo, teu maiô é um perigo. Pode ser ou tá difícil? Marilyn. A Sapataria Prodigiosoa. Elisabete Gallotti. Strogonoff. Paulinho Bornhausen. Tem bububu no bobobó. Salto de carretel Bacond. Encontro dos brotinhos. Iara Pedrosa. “Senador” Alcides Ferreira. Tens cartaz com ele? Claudinho. Pó de giz. Aí vem a marinha. O Preço da Ilusão. Convair cai em Curitiba. Bar do Pitoco. Rabo de Galo. Festinha de quinze anos. Feito para dançar. Picolé Peixoto. Cocota. Réveillon no Querência. Bossa Nova. João Gilberto. JK. É proibido suicidar-se na primavera. Pausa para meditação. Chega de saudade.

Do livro “Delirante Desterro”, Lunardelli/UFSC, 1980. A crônica originalmente foi publicada em O Estado, de 12 de agosto de 1973. Raul Caldas Filho, jornalista e escritor.

27 respostas
  1. FLAVIO BOVO says:

    CANJA AMERICANA, era vendido na Praça Tiradentes nos anos 70 e 80, era um doce duro, na cor amarela, que era feito em uma forma e o doceiro, com um martelinho, batia em cima de uma faca, para tirar os pedacinhos, eram vendidos no tamanho que o cliente podia pagar. Era um doce “puxa-puxa”. Quem se lembra ? Gostaria de que se alguém souber quem faz esse doce, passar a receita ou se pode informar quem faz.
    estarei no aguardo de resposta.
    E-Mail. [email protected]

  2. FLAVIO BOVO says:

    escrevi sobre o doce “puxa-puxa” de cor amarelo, que não sei do que era feito, mas que era saboroso e tenho saudades daqueles tempos que era vendido na Praça Tiradentes, nos anos 70 e 80 em CURITIBA, ESTADO DO PARANÁ. Quem souber como se faz ou quem ainda faz, entrar em contato comigo.
    E-Mail. [email protected]

  3. Jullyana says:

    Flavio, que legal que vc falou sobre a famosa CANJA AMERICANA. Meu falecido pai falava muito, mas nunca descobri nada disso. Gostaria mesmo de saber. Se vc tiver alguma novidade. Me avisa. Me envia e-mail se quiser. Valeu!!! Abraços

  4. Mauricio says:

    oi, timber Tenno interesse em saber quem ainda faze a canja Americana, na decade de 70, minna Mae enconmendava com uma senhora que so repassava a receita para sua filha.

  5. Marilia C. Barranco says:

    Olá gente,
    Hj resolvi entrar no google para procurar saber sobre a canja americana, q no meu tempo de adolecente, comprava-se nas ruas de Curitiba. E, foi uma surpresa para mim encontrar outras pessoas procurando pela mesma coisa. Se por acaso algum de vcs conseguiu, por favor me mandem a receita, postando nesse site.
    Obrigada!!!

  6. PEDRO WACULICZ says:

    Oi! pessoal,que bom saber que tem CURITIBANOS que se lembram da tão gostosa CANJA AMERICANA. Um dos ditos doceiros era meu pai. Hoje as já senhoras vão se lembrar quem era. Papai vendia doces na frente do INSTITUTO DE EDUCAÇÃO na rua Emiliano Perneta,eram: balas de leite, cocada, torrão de amendoim, meleca de coco, puxa-puxa etc. e a dita CANJA AMERICANA; que era quebrada com um martelinho e enroladas em um papel especial 5 ou 6 pedaços. Papai expunha os doces em uma caixa com vidro que chamavamos de vitrine,ficava na calçada sobre um cavalete. Lembro que os doce eram bem distribuidos na vitrine pois era eu que ajudava papai nesta parte. Todos os doces eram fabricados em casa. Mas quanto a receita da CANJA AMERICANA era bem sijilosa, só papai e mamãe sabiam, hoje até eu estou a cata dela. Qualquer novidade colocarei no ar….. ATÉ.

  7. Mena says:

    Olá Flavio Bovo,também sou desta época e, até hoje não sei aonde encontro este tal de puxa-puxa, o negócio era bom demais, se souber onde encontrar ou como se faz, me dê um toque, valeu!

  8. Miriam Ione says:

    Oi pessoal também estou atrás da receita da famosa canja americana eu sou da cidade de Mafra-Sc e lá havia uma familia que produzia a mesma que era os Cassu, sei que aqui em Joinville tem gente desta mesma familia que até uns anos atrás faziam só que hoje não tenho mais noticias talvez alguem saiba e consiga a receita.
    Miriam Ione

  9. Laura says:

    Puxa vida, pensei que só eu tivesse saudade da deliciosa canja americana. Pela cor, tinha que ter alguma essência de abacaxi, em minha opinião. Pena que as pessoas da época não repassassem as receitas como fazemos agora. Também estou atrás. Quem souber avisa o outro, por favor! Eu lembro também que em Florianópolis tinha a Casa dos Confeitos, na esquina da Praça XV, e eles vendiam a Bala Sabiá. É outra que eu adorava e desapareceu completamente.

  10. MAURO KAEFFE says:

    MUITO INTERESSANTE ESSE DOCE “CANJA AMERICANA” EU OUVIA MINHA MÃE FALAR DESSE DOCE, QUE ERA VENDIDO NA PRAÇA TIRADENTES, DEFRONTE A LOJA PERNAMBUCANA, SEMPRE NAS SEXTAS FEIRAS, MINHA FINADA MÃE, COMPRAVA E LEVAVA PARA CASA, ERA DE FATO UMA DELICIA,PARECIA CICLETE, PUXA-PUXA. MAS ISSO FOI LÁ PELOS ANOS 60,70 EU INDA ERA CRIANÇA. DEPOIS NINGUEM MAIS SOUBE DESSE DOCE. BACANA, TANTA GENTE LEMBRAR DESSE DOCE. CURITIBA É ASSIM MESMO, CIDADE DA AMIZADE. SEU UM DIA SOUBER, VOU COLOCAR A RECEITA NESSE ESPAÇO.
    ATÉ MEUS AMIGOS.
    MAURO KAEFFE.

  11. eno josé tavares says:

    COMO ROUBAR GALINHA,PARA UMA GALINHADA NO VELHO CEMITÉRIO

    lá…onde hoje chamam de Parque da Luz,na cabeceira de la vechia signora ,A PONTE HERCILIO LUZ,em priscas eras, existiam dois cemitérios adjuntos:um Cemitério Alemão ,e, um Cemitério Brasileiro….Foi dessa área,que o Poder Público extraiu o barro daquela colina sobranceira,para aterro do que é hoje a Praça Tancredo Neves…Pois bem…Era no Cemitério Velho,hoje Parque da Luz,que nós os moleques da Rita Maria,Figueira,Rua Duarte Schutel e Rua Almirante Lamego,soltávamos pandorgas,corriamos de carretões,batíamos bola ,e,toda sexta feira,promoviamos uma Galinhada à Bella Polenta…Nas noites de lua cheia,catávamos as galinhas, nos pontos onde os moradores tinham seus galinheiros,inclusive nas casas da”Turma”,quando um ficava encarregado, de organizar o “grupo dos sequestros galináceos”…Outro membro do Grupo,ficava encarregado de requisitar”manus latronis”,no velho Mercado Publico,as louças de barro,tais como caldeirões,pratos,canecas,bules,alguidares e outros utensílios….Os talheres cada um trazia de casa…O Grupo de Ação Direta,que eram os requisitadores de frangas alheias(naquela época,as casas de Florianópois,tinham pomares,hortas,jardins e criava também coelhos,cabritos,além das santas frangas)…Então o Grupo de Ação Direta,munido de um caniço,linha de pescar ,e, um punhado degrãos de milho para servir de iscas,sorrateiramente rodeava o galinheiro e espargia o milho pelo chão do rancho…As mais ranzinzas,que preferiam continuar seus cochilos,eram nossas vitimas…O “Pescador de Galinhas”empunhava o caniço ,tendo um ajudante às suas costas…E o líder cutucava a dorminhoca,ela,inconsciente dizia”croc”,levantava o pézinho e agarrava o caniço…Vagarosa e docemente,o operador cutucava mais uma vez,agora a outra patinha…Ferrada a menina,ela vinha passeando em sonhos,até as ripas que faziam o cercado…O “Auxiliar,”a quem cabia a parte operacional mais técnica,metia as mãos entre as ripas,e quando “o comboio”ficava ao alcance de suas mãos…zap…pescoço quebrado ,e, nem um ai da vítima…Galinha morta,galinhada à la bella polenta,garantida ,para cinco comensais…Mas éramos em vinte malandrins…
    mais quatro galinhas ,se faziam necessárias,e ,era assim que tinhamos o principal…Antes,durante o dia,outros da troupe,caçavam nas hortas alheias,ceboinha verde,mangericão,e,outros temperos e cheiros verde…A farinha de milho, e, respectivo panelão de la bella polente,eram devidamente requisitados aos comerciantes atacadistas,que tinham suas casas comerciais de secos e molhados,na Rua Conselheiro
    Mafra…E na calçada/passeio, da rua,expunham os sacos lindos da dourada farinha de milho…Tudo ia bem,até que um dia,alguém da turma errou o caminho,e,invadiu a nossa casa e os atoleimados , sequestram a LONG HORN BRANCA,centenária galinha perua,da minha mãe,a Galega Braba…Quando descobriram,que os autores do nefando crime,eram meus companheiros de aventuras,apanhei uma semana inteira,com a famosa pá de padeiro…Um troço de madeira bruta e pesada,que cantava no meu lombo….Cheguei a planejar um galinheiro moderno, para a Véia,mas,quando sugerí o ato,o pau roncou ,mais intenso…De tanto apanhar,jurei para todos os meus ídolos,que nunca mais saborearia ,o quitute GALLINA A LA BELLA POLENTA…Vote tentazzione….Por necessidade,só urubu!!!

  12. eno josé tavares says:

    FESTAS JUNINAS, NA ILHA ENCANTADA,DE TÃO BELAS VIRAVAM FICÇÃO…
    um antigo escoteiro do mar,o Messias Seroa da Motta,produziu um livro(o meu ,foi parar nas mãos do meu filho Fernando,lá na Dinamarca),sobre bruxas e bruxos.Era assim mesmo…Dos Tempos de Dias Velho ,até os Dias Novos,aprontar alguma aventura amorosa, extra conjugal,tinha que ter quem fizesse o papel de bruxo e de bruxa,para espantar os curiosos,os históricos “voyeurs”,que não gostando da fruta ,e ou, da Confraria da Penca(haviam-nas muitas), nos recôditos da Ilha Encantada).E eram eventos, sempre nos meses, dos Arrastões da Tainha,Farinhadas e Cachaçarias….Lá pelas madrugadas enluaradas ,e ,geladas das geadas,uns gritos agônicos e esganiçados,masculinos,femininos e outros nem tanto,que os haviam já naquela época,os genéricos extraviados…E tudo passava ,pelas cantigas de roda,pau de fita, e ,da ratoeira…Trocavam-se furtivos anéis,fugia-se muitos para cantinhos mais escuros,para saborear rebuçados,pés de moleques,quebra queixo,e,os puxa puxas afrodisíacos…Então Janeiro e Fevereiro,eram os meses dos Verões de Nascituros e Nascituras…A Ilha Encantada, era invadida por ternos de reis e inebriantes festas de batizados,para homenagear janeirinhos e janeirinhas,gerados amorosamente no quinto ou no sexto mês, do ano anterior…E tudo à luz das pombocas ,e ou ,daqueles sóis dourados e luas enormes, em sua plenitude ou plenilúnios…Até a década de “50”do Século Vinte,éramos assim,meio que simplórios,meio que adeptos das queimadinhas,da canelinhas e dos quentãozinhos,com as moçoilas em seus muxoxos,a transigir com as doces ingenuidades, adolescentes,plenos de vícios e idéias romanticas e amorosas,naqueles meses de entrada dos Invernos Ilhéus…E bota viola e sanfona nisso…No contraponto dos gemidos dos engenhos ,e, de moçoilas e moçoilos nos matinhos, logo adiante…Eram quase uma, antecipação dos famosos filmes da dolce vitta,mas,com atores e atrizes, bem ao Estilo Ilhéu,todos nativos aborígenes de uma térrinha perdida no sul do mundo e perdida em suas paixões naturais…Vestidos de Chitas berrantemente coloridas,lacinhos gentís, nos cabelos, e, la vitta se vá…

  13. eno josé tavares says:

    BRINQUEDOS E FOLGUEDOS DE UMA CRIANÇA POBRE,POR ELA MESMA

    minha Doce Musa em Biguaçu,a Karólzinha Ramos,dias destes, assim como um bambuzinho de beira de rio,suspirava o tempo que já aconteceu…Criança de uns seis anos de idade,quando sonhava com uma bola de futebol,ia à meias de malha e zás,embrulhando uma dentro das outras,tínhamos uma bola para nossa pelada, de fundo de quintal.Sonhava que era um passarinho”BEIJAFLÕRMARAVILHOSO”,ia às malhas de bambús e ou canas do reino,que os haviam muitos e muitas…E…Lasca uma pandorga no ar…Vi no Cine Roxy,uma reportagem sobre o Grande Chico Landi,em suas magníficas vitórias de corrida de automóveis,e,lá fui eu,pedaço de tábua de madeira ,de lá,galhos de goiabeira e laranjeira ,prá cá,e eis um”carretão de corrida morro que te parta…”Minhas irmãs,com menor idade que eu,adoravam bruxas de panos…Lá íamos nós,atrás dos trapos da Tia Heliete,e,de lá saía a horrenda figura ,de uma medonha bruxa,bem na moda da Ilha Encantada…Dava vontade comer uma Canja Americana?Necas Pitibiribas…A Galega Braba,Dona Hilda Minha Mãe,empurrada para o fogão,e a fazer PUXA PUXA,COM ASSUCAR MASCAVO,lá do engenho do Seu Pinheiro,na Reta da Armação….Nada de psiquiatria,mas,quando nos sentimos sós conosco mesmos,o negócio é partir ,para o artezanato rudimentar…Bonéquinhas de pano,estilingue de câmara de pneu de carro,carretão de quebrar as fuças na barranqueira,e,por aí vai….No tocante à Sra Mariana Mondini,o bixinho(bichinho?) é beija flor mesmo,nada de “Beia Flor”…Ou então na falta da beleza,a simplicidade dos pardaizinhos e pombinhos e pombinhas, das praças da cidade…Nenhum deles canta,porém sua comunicação é admirável….Ainda conseguimos brincar de “bate lata”,”esconde esconde”e “Beijinho Roubado no Escurinho”…?Claro que conseguimos…É só soltarmos nossa criatividade…E a Franga….Onde andará meu sabiá do entardecer?Sua árvore/Casa secou…O vizinho derrubou o tronco da ameixeira, e, o ninho esfarelou-se nas trevas do anoitecer de nossas vidas…

  14. eno josé tavares says:

    “SELINHO NO ESCURINHO”,PARA DRIBLAR O PATRULHAMENTO PATERNO

    por certo,cada geração criou artimanhas, para cada momento específico…Assim,quando éramos criancinhas no Prézinho de Alfabetização,as falsas dores de barriga ou de cabeça…Já no Curso Primário,uma indisposição inexplicável,nos salvava das tribuzanas do vento sul vagabundo,e,aproveitávamos as delicias de uma caminha quentinhas,nas madrugadas hibernais…Mas na pré ou na plena adolescência,éramos ardilosos e criativos…Olhou…Gostou…Azarou…Tudo começava,com aquele beijinho inocente,a moda gaúcha:um para gostar,dois para querer e três para casar…Mas nada disso…Gostou ,engatou de primeira e vamos ao “Selinho”…Beijos tipo furacões cinematográficos,em que a “mocinha” em grande perigo,era salva pelo “mocinho”,e,resgate esse ao preço de violento,demorado e comprometedor beijo hollywoodiano…E depois como é que era?Selinho de lá, Selinho para cá , e,aquelas Aulas Gazeteadas, para um escurinho na sessão da tarde do Cine Ritz…Enrêdo dos filmes?Turbilhões de Beijões e Amassões,que os “Lanterninhas”devidamente remunerados,faziam de contas que ali não tinha ninguém….

  15. eno josé tavares says:

    AS RÍGIDAS REGRAS DE BONS COSTUMES ,E, AS BURLAS AOS OLHEIROS…
    dias desses,em que detesto estar na rodinha ,de velhos falando de remédios,exames invasivos,médicos e cirurgias,larguei uma das minhas, e a rodinha foi para as cucuias…Do alto da Idade Diamantífero,75 anos idosos,cheguei à óbvia conclusão…Tudo que é bom ,é pecado e é proibido…Pois…Pois…Nada melhor e vivificante ,que uma boa olhada na dona da vizinhança…E aquele sabor sem
    preço, que é uma burla aos tais de bons costumes,regime disso,regime daquilo…Ora,ora porcaria,como é que eu vou fingir que não gosto, dos requebros da popozuda da esquina?Como é que eu não vou me afundar ,naquela magnífica topografia feminina,onde cada monte,cada reentrância,cada pulsar, é a satisfação de um desejo…O meu sobrinho mais velho,sempre meu crítico,dentro de sua visão caquética prematura,tenho eu mais olhos que barriga…Esse tio não cria jeito mesmo…Nessa idade já quase póstuma,não pode ver mulher, que os volumes masculinos, que deveriam primar pela discreção,se estufam qual bode velhoà caça de cabritinha…Dia desses,contraiando meu estilo de vida fui a um velório e posterior funeral,de histórico contemporâneo…Ao invés da face alegre da libedrtação do espírito,aquela flacidez,aqueles olhos mortos e aquela apa rencia de ansiedade mórbida…E aí uma vontade de gritar-lhe pubicamente…Então “seu M”,te afastastes dos prazeres da carne,e,o que levas para tua eternidade?Fuzarqueiro como eu,não fostes…Libidinoso,nem pensar….E agora,com esses ouvidos moucos,de defunto insatisfeitos,ficar naquela…Do pó ,viestes e ao pó voltarás,sem uma pobre molhadinha feminina,nestas pelancas flácidas de um homem puro e acima de qualquer tentaçao terrena….Requiescate in Pacem Amicus….

  16. eno josé tavares says:

    MELHOR IDADE, É OU NÃO É MAIS UM INSTRUMENTO DE DOMINAÇÃO

    Nesses momentos inacreditáveis, que estamos testemunhando em nossos bairros,municipios,regiões ,estados e país,com insegurança,crises na saúde pública,na educação em geral,o chavão MELHOR IDADE,pessoalmente,parece uma tentativa de bloquear os idosos,no tocante a raciocinar com clareza.É que,criaturas como no meu caso,tendo acumulado uma bagagem enorme de ídéias,tendo testemunhado as violentas mutações,políticas,sociais,econômicas e esportivas das épocas recentes,dizer que depois dos sessenta anos de vida,bem vivida ou não,é uma ferramenta para jogar idosos e idosas,para fora do tatame da vida.Nada desse negócio de melhor idade…Melhor idade,era quando jovens chegados aos vinte anos,lutando com todo o entusiasmo e arrôjo, para vencer na vida.Melhor Idade,era aquela dos primeiros namoricos inconsequentes,dos primeiros empregos,da vibração natural a respeito de valores da época.Hoje,idosos,muitos de nós ainda somos “Âncoras”de filhos e filhas,netos e netas e por aí vai.Mas,gostemos ou não,saudáveis ou não,somos peças patrimoniais ,do museu da vida meio parecido com o museu de cêra…Se duvidam,se não concordam,ótimo,continuem a pensar que o dourado pássaro da juventude,ainda está entre nós…È só prestar atenção, nos comportamentos nos locais que frequentamos ou simplesmente transitamos,para sentir essa suave porém incisiva alienação, de quem já apresenta suas rugas testamentárias,cabelos encanecidos ,e, idéias,se nos deixam expressa-las,ou não…É bom ser idoso?A resposta é uma pergunta:Quanto custa ser idoso?Se ficamos idosos,é por que ainda não morremos,mas,alimentação especial,planos de saúde caríssimos para um casal idoso,remédios pela hora da morte, e ,em quantidades cavalares e escravizantes…E aí,na idade provecta,volta aquele teorema…tudo que é bom,gostoso e bonito, é proibido,não é de bom tom ,e, não fica bem para respeitáveis testemunhas desse maravilhoso mundo novo ,de celulares,tablets,lap tops e por aí vai…Se um “véinho”ou “véinha”,estica os “zóios”,para essa juventude linda que aí está,é alvo de forte reprimenda e quiçá, ameaçados com algum código moralizador, ou, até mesmo,no mínimo,um pedófilo ou pedófila fora do seu tempo…Ser da “melhor idade”,é parecido com aquela música de Dorival Caymi…”É doce morrer no mar…”Deveras?Às veras….

  17. eno josé tavares says:

    MEUS QUATRO GATOS,QUE FAZEM A CENSURA PRÉVIA DO VÉINHO

    gatos,gatas e netos, são meio parecidos…Sentado diante dessa máquina maluca,o tal de computador,meus dedos correm céleres ,sobre o teclado,como se fosse um pianista maluco,tocando os imortalizados, SAMBA DO CRIOULO DOIDO,ou,molemente, o SAMBA DE UMA NOTA SÓ…O Gato mais velho,se aboleta sobre a tela,o mais moço dos bichanos,em sua majestade juvenil,esparrama-se sobre a tela ,e ,as duas gatinhas manhosas, esfregando toda a sua candura,controlam o CPU e o Teclado…Aí de mim…O Gato Mais Velho,tal e qual aqueles burros censores de antanho,esgotado e irritado,pula sobre o teclado e chama a chusma…Todos juntos,passeiam jubilosamente,sobre a MÁQUINA DE DIGITAR DOIDICES…Até parece que ouço aquela musiquinha,da década de “70”,aquela…prá frente Brasil…Viva a Seleção…E agora?Temos Brasil?Temos Seleção?Temos Paz?Cadê o meu mundo?

  18. eno josé tavares says:

    RUDYARD KIPLING,EDGAR RICE BURROUGHS E OUTROS FICCIONISTAS,VOLTARAM?
    aqui na Ilha Encantada,eram bruxas e bruxos,homens da capa preta e pássaros negros,enormes,aterrorizando nossos aborígenes…Na Varginha de Minas Gerias,os Extra Terestres…Agora na Europa,descobritam(ou produziram?)uma Menina Loba-Mowgly de Rudyard Kipling? Um Menino Macaco a lá Tarzan de Edgard Rice Burrougs?Recentemente,em grandes cultivos de trigo,marcas misteriosas,querendo sugerir naves espaciais,colhendo grãos em nossa agro indústria?Na verdade na verdade,Jungle(Jangal)de cimento das grandes metrópoles,já são realidades,com indivíduos agindo como animais predadores dos seus semelhantes…Já se vão mais de cem anos,e,os autores j´pa estão mortos,porém uma televisão sensacionalista européia,vem com essa de Menino Macaco e Menina Loba…Não precisa ir tão longe…Nos cidades,grandes ou pequenas,´com o assustador fenômeno de gente brutalizada e moranda na rua…Animais domésticos aos milhares,infestando ruas,praça e avenidas…Qual será a mensagem,que aqueles espantadiços repórteres querem passar,sobre essa menina e esse menino,preferindo a jangal ao conforto urbano?Ou métodos burlescos e apelativos,para atrair turístas e ou vender o que não tem?SÓ para ilustrar,recentmente foram desmascaradas,tentativas de falsos profetas e falsos santos vertendo sangue pelos olhos,para aumentar o turismo religioso,mundo afora….

  19. eno josé tavares says:

    NOSSOS”CIENTISTAS”DESCOBRIRAM MAIS PORCARIAS NA ALIMENTAÇÃO já disse e repito:”tudo que é bom,bonito e gostoso,é proibido…Como é que vão ficar os”fast foods”,principalmente os das cadeias multinacionais…Decretaram,que os embutidos tais como linguiças,finas o grossas,morcilhas,salsichas e por aí vão,todas aquelas nojeiras dos matadouros clandestinos ou não?Agora outro TERROR:os gostoso milhos de pipoca e verdes,os morangos,as maçãs,as pêras,as uvas,melões e melancias “tá” tudo envenenado com agrotóxicos multinacionais….(sic)Ainda bem,que “véinho”como estou,já não vou na tentação…Imagina só,um namorado lambisqueiro como eu,nos meus bons tempos,chegar bem de leve,na ninfetinha, e, requisitar um beijinho, e,ela zelosa da vida natural,candidamente perguntar ao romântico…”Com ou Sem Agrotóxico?”POBRE E DESVALIDA JUVENTUDE DO TERCEIRO MILÊNIO…

  20. eno josé tavares says:

    E A FRANÇA CONTINUA COM SUA MANIA DE ARRUACEIRA, NA GEOPOLÍTICA

    Disseram…LE BRÈSIL NES PAS UN PAIS SERIEU…Nós dizemos que somos um país sem memória e outros dizem que continuamos COLONIALISTAS HISTÓRICOS.Para começo de conversa, não colonizamos ninguém, não praticamos genocídio de populações indefesas, que não sejam de “comunidades” indígenas ou inimigos dos eventuais regimes ditatoriais que vicejam de vinte em vinte anos… Mas a Dona França,tal e qual prostituta de beira de cais, vive a arranjar confusão e de memória curta, parece que esqueceu as porradas nazistas na Segunda Guerra Mundial no século vinte, E as corridas com o rabo no meio das perna em Dien Bien Phu-Indochina, quando os Estados Unidos assumiram o rebu e resultou no Viet Nan do Norte e Viet Nan do Sul… Agora, Síria, Iraque e arredores sofrem bombardeioss até da Rússia…Mas o episódio do Hebdo e agora do ataque terrorista ao coração da França, nos parece um Terceira Guerra, onde os recursos tecnológicos sobre põe-se ao espírito de humanidade… E quem está no epicentro dos fatos, aparecendo como mocinha virgem e violentada? Le France, dans Le Egalité, Fraternité et Lyberté… Pobres populações civís desses terrores das grandes potencias… E nós, até quando?

  21. eno josé tavares says:

    NO DIMINUTO POMAR DA MINHA CASA UM UNIVERSO DIVERSIFICADO DE “AVOANTES”

    Eles agora não são mais como funcionários públicos que têm hora para chegar ao trabalho e dele se livrar. Minha passarada e passarinhada de pardais, curruiras, siriris, corujas, bem-te-vís, canarinhos, bicos de lacre, e um ou outro sabiá, tié, azulão e por aí vai minha fortuna ornitológica… Amanhece, lá vêm eles e elas aos pipilos, gorjeios e trinados, em liberdade plena, em autêntico coro orfeônico, que algum ente travestido de “condotieri” magistralmente rege… Desligados rádios, tvs, computadores e tabletes, eis um universo de plunagens e gargantas e bicos em extaziada matinada… Quero mais é vê-los nas proximidades do meu quarto, desafiando a gatarada caçadora…

  22. eno josé tavares says:

    EMFIM SÓS…ONDE ESTÁ AQUELE INTIMISMO, DE PRISCAS ERAS?
    chega a multa de trânsito…estava dirigindo com uma mão só…onde estava,essa mão safadinha,hein?Multa:desacato à autoridade…mandou beijinho ,para a agente da central operadora de câmeras de segurança…Multa:incapacitado para dirigir…Imagem captada por raio X,via satélite(GPS)…Recente cirurgia o deixou com uma perna só…Ainda não estava com veículo adaptado,para deficiente físico…Entrou uma abelha no carro,durante rush no trânsito…Matou a abelha,cometeu crime ecológico…Tirou as mãos do volante,mesmo com o veículo trancado na muvuca do trânsito?Infração grave…Multa ,com ameaça de perder a carteira de habilitação…Deu um beijinho na namorada,mesmo com as castas mãos ao volante?Infração leve,mas,leve ou pesada,multa …Afinal,vamos começar uma Campanha Contra o Sorriso?Hipocrisia essa,SORRIA VOCE ESTÁ SENDO FILMADO…Por mim,vou amarrar a cara,não vou cumprimentar ninguém,não vou beijar minha parceira de viagem,e,deixar que uma abelha só não,mas,um enxame invada meu carro ,e,vou sair na disparada,como em uma maratona olimpica, e ,deixar o veículo para quem quiser…Portanto estamos sendo filmados no trânsito,na igreja,no clube,no futebol,na cama onde ela estiver…FAÇA UMA CARETA,MOSTRE A LÍNGUA ,MAS, NÃO RIA,AFINAL NÓS ESTAMOS SENDO FILMADOS E RADIOGRAFADOS,E SÃO CAPAZES DA ACHAR QUE AO SORRIR ESTAMOS DEBOCHANDO…até no bacio do mictório público…Duvidam Olhem o Zóinhos…

  23. eno josé tavares says:

    COM QUANTAS VARETAS NÓS FAZÍAMOS UMA VARETA DE COMPETIÇÃO
    Somos hoje dinossauros de dois séculos… Nascemos no século XX, de duas guerras mundiais e outras nem muito… Hoje tudo é comprado feito, não tem aquele sopro especial, nas mãos peladas pelo grude fervente… As varetas da melhor cana da índia, mais flexíveis, mais resistentes, mais leves… O encordoamento feito de fios de algodão, requisitado ao saco de aniagem do Grego George Korfú… Para cada tipo de exibição e ou competição, tinha que ter um vento. Afinal, a Ilha Encantada tem quatro ventos oficiais… O Terral, o oestino… O vento sul vagabundo, fresco tão fresco, que gela até pinguim, e que só prestava para uma coisa… levantar saias das meninas nas esquinas da Praça XV… O Nordestão ou Papo Amarelo (homenagem a Nereu Ramos), fedorento e chato… E a Lestada, vento marinheiro, vindo inteiramente do mar, derrubava até topete de coqueiro… Então, manjas tempos de mãos cheias… Lá íamos nós para a Barreira do Cemitério da Ponte Hercilio Luz, quando o vento era leve… E para o Pasto do Bispo, quando a ventania vinha com mil demônios nas guampas… Aí empinávamos tudo: barrilotes, periquitos, papagaios e as tão efeminadas pipas… Grude acabado, dúzias e dúzias de aparelhos voadores, voltávamos ao redil familiar, anchos de felicidade e aí vinham as cobranças da Véia Braba… Se querem mais grude, só o famoso, para mesa da janta… Naqueles dias a raça endiabrada dormia cedo, sonhando com uma nova pandorgada nos espaços livres, que hoje os espigões de aço e concreto fingem que formam uma metrópole… Hoje ainda temos pouquinhos, mas temos aqueles ares de aldeota, que algum idiota nomeou de Ilha da Magia… A Ilha Encantada, ainda tem boas recordações, em que São José espiava do Lado da Terra Firme os quapos pandorgueiros e baloeiros, de todas as épocas e idades… Saudade é ventinho danado, para empinar imaginação e manias abstratas…Imaginem uma FESTA DE FOGUEIRA DE SÃO JOÃO… BALÕES SOLTOS NOS CÉUS, CÉUS NOTURNOS, COMPETINDO COM AS ESTRELAS DO SUL DO MUNDO… e AS PAnDORGAS, TADINHAS, LOUCAS PARA SE SOLTAREM ATRÁS DAQUELAS COISAS BARRIGUDAS E INCANDESCENTES DE PAPEL DE SEDA COLORIDO E UMA BUCHA QUEIMANDO RESINA, PARA DAR GAZ E GANHO DE ALTITUDE…

  24. eno josé tavares says:

    FALÊNCIA DA MORAL E DA DECÊNCIA,SÓ TEM UM CAMINHO:FECHAR O CONGRESSO NACIONAL E CONVOCAR UMA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSITUINTE,NOS MOLDES DA CONSTITUINTE DE 1946,QUANDO JOSÉ LINHARES-PRESIDENTE DO STF ASSUMIU O PODER EXECUTIVO ,E, DESTITUIU CÃMARA DOS DEPUTADOS E SENADO.AFINAL DE CONTAS,O PREIDENTE DA CÃMARA JÁ ESTÁ CASSADO.O PRESIDENTE DO SENADO, JÁ TEM CASSAÇÃO GARANTIDA E OS DOIS RECENTES MANDATÁRIOS E MANDATÁRIA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA TEM CONTAS A AJUSTAR COM A LEI.OU POR ACASO O “EPISODIO PASTA ROSA”DO FHC,E,”MENSALÃO DO LULA”,SUCUMBIRAM AO TEMPO E AO ESPAÇO?QUE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,SEJA UM MINISTRO DO STF E OU ALGUÉM ELEITO PELO PLENÁRIO DO STF,SEJA ELE OU ELA,PROBOS E LIMPOS ATÉ A TAIZ DOS SEUS CABELOS…VAMOS PARAR, COM ESSA VERGONHEIRO DE “CONGRESSO TIRICA”,POIS JAMAIS SE VIU TANTO DEBOCHE,EM HORAS E HORAS DE ANARQUIA, EM UM PODER QUE DEVERIA SER O ORGULHO DA PÁTRIA.ESTADO JUDICIÁRIO JÁ,ANTES QUE O MARTIRIO DE INOCENTES ,SEJA O MAIOR HOLOCAUSTODA HISTÓRIA DA HUMANIDADE…JÁ NÃO VEMOS MAIS O ANTES E O DEPOIS…É AGORA OU VAMOS TER UM NATA E ANO NOVO DE SANGRENTO TERRORISMO URBANO…O ALTAR DO SACRIFÍCIO JÁ ESTÁ ERGUIDO…AS VITIMAS SERÃO AS DE SEMPRE …AS POPULAÇÕES DAS COMUNIDADES EM ESTADO DE MISERABILIDADE…

  25. Flávio Bovo says:

    Ainda estou procurando quem sabe como se faz a “Canja Americana”, a cerca de um ano, uma pessoa passou um e-mail, informando que um tal de Zito que trabalha com Taxi na Rodoviária de Chapecó-SC, fazia a “Canja Americana”, fui até Santa Catarina, procurar o tal “Zito”. Achei o referido, que indagando ao mesmo, ele informou que fazia quase tudo que era doce, mas, canja americana não, que já tinha ouvido sobre esse doce que tirava da forma com faca e martelo de tão duro que era.

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] Década de 50 (ainda para os nostálgicos e iniciados), por Raul Caldas Filho […]

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *