Décio Couto, suas “artes” no rádio e no artesanato

O administrador Décio Carvalho Couto soma à sua longa folha de serviços como executivo da área de comunicação em empresas de energia elétrica em Santa Catarina, um cabedal de causos ligados ao rádio e seus personagens. Mas, é também exímio artesão criando e produzindo verdadeiras obras de arte sacra. Nossa amizade vem dos tempos da A. S. Propague em que tínhamos em comum o amigo-irmão, radialista e desportista Rozendo Vasconcellos Lima e sócio na fundação da agência. Mas, só agora estou descobrindo o seu lado bem humorado e contador de histórias sobre o rádio e seus personagens em Florianópolis.

Pois foi graças à sua fértil memória que vim a saber que o serviço de alto-falantes Guarujá – que deu origem à atual Rádio Guarujá – possuía, já em 1943 um auditório. Era no primeiro andar da então Confeitaria Chiquinho, na esquina das ruas Trajano com Felipe Schmidt. O Décio lembra que aos oito anos de idade vinha assistir programas ao vivo com artistas locais que se apresentavam para uma plateia que lotava as 10 poltronas do auditório.

Seu interesse pelo rádio levou-o a outras confidências. Anos mais tarde, já taludinho,  ia assistir os jogos do seu Avaí no Campo da Liga, ou Pasto do Bode, como os detratores dos adversários o chamavam. E numa dessas, o Décio flagrou o narrador Acy Cabral Teive chamando o repórter Dib Cherem para detalhar um lance do jogo. Só que ambos estavam um ao lado do outro, pois havia apenas um microfone para os dois.

E numa outra oportunidade ele foi o protagonista quando ganhou um relógio de ouro num programa da Rádio Guarujá. Esses dois causos você pode ouvir no podcast contados por ele mesmo.

*|*|*|

Sacro Ofício

Raquel Eltermann *

“O ofício de moldar quadros data de muitos anos, assim como o amor pela arte sacra. Pois foi na maturidade de seus 73 anos que Décio Carvalho Couto deu vazão à sua veia artística e imprimiu com maestria e sensibilidade imagens que são emolduradas com tanto esmero. Santa Catarina, Santo Antonio, São Francisco, Nossa Senhora de Lourdes são criatividade de um artista nato. Das cerca de alguns de seus companheiros que, silenciosos como pede a arte do ofício, ganham molduras e personalidade própria a cada obra que o artista completa. Décio Carvalho Couto é compenetrado, exigente e realiza um trabalho de fino acabamento, com delicadas rendas, tecidos com texturas, lindas estampas, e a criatividade de um artista nato. Das cerca de 250 obras que já confeccionou ao longo de três anos, nenhuma se repete. Cada obra ganha seu tônus próprio, e seu acabamento personalizado”.

* Raquel Eltermann, Jornalista. 2009

Categorias: Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

3 respostas
  1. Nina Couto says:

    Este e meu querido Pai, recheado de boas memorias!
    Amei escutar à conversa;-) Saudades de suas historias contadas e de tudo em volta.
    Bravo, este blog e uma mina de ouro!
    Abricos,
    Nina da França ….

  2. Jobel Silva Furtado says:

    Olá Antunes Severo, como é bom, rever o passado, falar do Sr.Décio, que conheço de longa data é não dizer tudo. Tenho o previlégio de ter na cabeceira de minha cama uma de sua obras sacras. Um abraço jobel

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *