Dia da Mulher: personagens femininas que marcam a TV

São exemplos de personalidades fortes, de espíritos lutadores e de quem não se deixa derrotar por nada.

Vilãs ou heroínas, uma coisa têm em comum: põem de lado as ideias pré-concebidas sobre a mulher e representam na perfeição toda a força que lhe está associada. No dia que se celebra a mulher, o Espalha-Factos relembra algumas caras das séries internacionais da nova season que provam a força feminina.

Jessica Jones

jessica-jones

Que a Marvel tem conquistado o mundo do cinema nos últimos anos, tudo graças aos grandes lucros de filmes como The Avengers, Captain America: The Winter Soldier ou Guardians of the Galaxy, já todos sabemos. Mas algo que tem incomodado muitos fãs é a falta de uma presença feminina forte.

Sim, temos a Black Widow e, mais recentemente, a Scarlet Witch, mas os estúdios continuam a não apostar numa super-heroína como foco principal de uma história. Pelo menos no cinema porque, se olharmos para a televisão, veremos Jessica Jones em toda a sua força a olhar para nós.

Protagonista da sua própria série homónima na Netflix, Jessica tinha a missão de continuar o lado mais sombrio e urbano da Marvel, iniciado com o também lançamento da Netflix, Daredevil.

E assim foi: com uma personalidade cativante, uma vontade enorme de ajudar os outros e uma boca que não hesita em dizer a verdade, a interpretação da atriz Krysten Ritter soube deixar a sua marca em 2015 como a prova viva de que, com muita força de vontade e o grupo certo de pessoas ao nosso lado, qualquer medo e trauma pode ser superado.

Marcia Clark

Marcia-ClarkPara aqueles que na altura já tinham idade suficiente para perceber o que estavam a ver, o dia 17 de junho de 1994 deu ao mundo dos eventos noticiosos mais mediáticos do século passado: a perseguição a O.J. Simpson em plena auto-estrada. Daí até ser capturado e levado a tribunal foi pouco tempo, e parecia que o seu destino estava selado, com acusações de duplo homicídio praticamente provadas.

A liderar a acusação estava Marcia Clark, uma advogada que trabalhava como procuradora para o Estado da Califórnia e que podemos conhecer melhor ao assistirmos à interpretação que Sarah Paulson faz em American Crime Story.

Dependendo de como veem toda esta história do julgamento do O.J., podem olhar para ela como uma heroína ou uma vilã, mas uma coisa é certa: Marcia atuou sempre com base naquilo que acreditava ser justiça. Lutou pelos seus ideais até ao fim do julgamento, sempre a tentar vingar a morte da jovem Nicole Simpson, uma mulher que, tal como Marcia, tinha dois filhos.

A indiscutível dedicação que Paulson dá a este papel é revigorante e revela-a como sendo uma das atrizes mais versáteis da sua geração.

Kimmy Schmidt

giphyEla é “unbreakable” e “strong as hell!”. Depois de ter passado 15 anos num bunker, raptada pelo manipulador líder de um culto (Jon Hamm), não se vai deixar abater pelas adversidades, sobretudo agora que está em liberdade.

De quem falamos? De Kimmy Schmidt, pois claro, a personagem brilhantemente interpretada por Ellie Kemper – que consegue, na perfeição, transmitir a simplicidade e resiliência de uma das melhores personagens de 2015.

A jovem Kimmy, com calças cor-de-rosa e ténis brilhantes, é adulta num mundo que não esperou por ela: agora há internet, smartphones, selfies e hashtags. E como se adapta Kimmy? Da melhor forma que sabe. E nós só suspiramos: oxalá conseguíssemos reagir como ela.

Kimmy vem mostrar-nos que a felicidade pode estar onde menos esperamos e que a vontade de aprender e a amizade (assim como os doces ao jantar) são a maior arma contra as dificuldades da vida.

Por trás de Unbreakable Kimmy Schmidt não podia deixar de estar outra grande mulher – Tina Fey que, juntamente com Robert Carlock, criou a série.

Até abril, Kimmy!

Condessa

lady-gagaCom a saída de Jessica Lange da série, Lady Gaga veio preencher o lugar de protagonista feminina na nova temporada de American Horror Story, no papel de Condessa. Uma estrela de Hollywood dos anos 20, diva dos filmes mudos, a Condessa é conhecida por ser uma sobrevivente.

Entre amores perdidos, um casamento que foi tudo menos por amor, o nascimento de um bebé deformado e a transformação em vampira, a Condessa acabou por se tornar aquilo pelo qual a conhecemos inicialmente: dona do Hotel Cortez e uma figura que certamente não queremos como nossa inimiga.

Se há algo de louvar nesta personagem é que ela não tem medo de lutar por aquilo que quer. Num misto de frieza perturbadora e de compaixão calorosa por aqueles que ama, a Condessa é uma mulher que não olha a meios para atingir fins.

Embora a vitória de Lady Gaga nos Globos de Ouro seja questionável, é de louvar a evolução que a artista teve enquanto atriz. É difícil brilhar numa série com um elenco tão talentoso e diversificado, mas Lady Gaga certamente marcou o seu lugar e deu a American Horror Story um glamour e um terror mudo como há muito não víamos.

Supergirl

supergirlSupergirl (Melissa Benoist), também conhecida como Kara Zor-El/Danvers, é a protagonista da série homónima da CBS. Baseada nos livros de quadradinhos da DC, Supergirl é a primeira série de super-heróis com uma mulher no principal papel desde a versão de 1975 de Wonder Woman.

Kara, prima de Superman, chegou à Terra vinda de Krypton e tem, desde então, tentado levar uma vida humana e normal, escondendo os seus poderes do mundo. As parecenças entre Kara e o primo são bastantes, incluindo uma identidade secreta que consiste num par de óculos e um emprego num jornal – já para não falar na inesgotável vontade de ajudar os outros.

Mas Supergirl conseguiu a proeza de escapar a clichés sexistas e não perde uma oportunidade para fazer com que Kara surpreenda tanto amigos como inimigos com a sua coragem e capacidades de luta. Kara é um bom exemplo para qualquer rapariga confrontada com escolhas difíceis e prova que, às vezes, basta aceitarmos quem realmente somos para fazer a diferença.

Reagan

megan-foxPara substituir Zooey Deschanel (Jess, em New Girl), que está a gozar licença de maternidade, a FOX anunciou há cerca de meio ano, que Megan Fox iria alugar o seu quarto no apartamento dos rapazes.

Contrastando com Jess, a personagem de Megan Fox veio causar outro tipo de impacto. Deixa-se a personagem trapalhona e weird que está personificada em Jess e traz-se uma mulher inteligente e segura.

Reagan é focada no seu trabalho e alcança o que quer com recurso à sua confiança e astúcia. Através da sua personalidade bem definida, consegue mesmo afetar os que a rodeiam e controlar sempre a situação onde se insere.

Pode ter chegado para substituir, mas está a causar sensação. Todas estas características definem uma mulher sem os tradicionais estereótipos e levam-na a comandar todas as áreas da sua vida. Aliando-se a outras personagens femininas (como Cece), Reagan é um ótimo exemplo para quebrar a ideia da fragilidade da mulher.

(Espalha Factos, 08/03/2016)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *