Diálogo, tolerância e paz para celebrar o Dia Mundial do Rádio

Para este Dia Mundial do Rádio, nós celebramos o poder único e de longo alcance que o rádio tem de ampliar os nossos horizontes e construir sociedades mais harmônicas.

Estações de rádio, das grandes redes internacionais às emissoras comunitárias, lembram hoje a importância do rádio para estimular o debate público, aumentar o envolvimento cívico e inspirar a compreensão mútua, sob o tema “Diálogo, tolerância e paz”.

Desde a sua invenção – mais de cem anos atrás –, o rádio produziu novas conversas e difundiu novas ideias para as casas das pessoas, assim como para cidades, universidades, hospitais e locais de trabalho. Até os dias atuais, o diálogo através das ondas aéreas pode oferecer um antídoto para a negatividade que por vezes parece predominar no universo online, e é por isso que a UNESCO trabalha em todo o mundo para melhorar a pluralidade e a diversidade das estações de rádio.

O rádio ainda é um dos meios de comunicação mais reativos e envolventes que existem, adaptando as mudanças do século XXI e oferecendo novas formas de interagir e participar nas conversas relevantes – em especial para os mais desfavorecidos.

As mulheres que vivem em áreas rurais, por exemplo, constituem um dos grupos mais sub-representados nos meios de comunicação. A probabilidade de elas serem analfabetas é duas vezes maior do que a dos homens e, por isso, o rádio pode ser a sua salvação, para que consigam se expressar e ter acesso à informação. A UNESCO oferece apoio a estações de rádio na África Subsaariana para que as mulheres sejam capacitadas a participar do debate público, inclusive a respeito de assuntos muitas vezes deixados de lado, como os casamentos forçados, a educação das meninas e o cuidado com as crianças.

Em antigas zonas de conflito, o rádio pode dissipar o medo e apresentar a face humana de antigos inimigos, como ocorre no noroeste da Colômbia, onde rádios comunitárias – apoiadas pela UNESCO – estão curando velhas feridas ao destacar as boas ações de combatentes desmobilizados, como a limpeza de cursos d’água poluídos.

A variedade linguística nas transmissões também é essencial – o direito de as pessoas se expressarem em suas próprias línguas, o que adquire um significado especial este ano, quando a UNESCO lidera a comunidade internacional nas celebrações do Ano Internacional das Línguas Indígenas.

Em todo o mundo – das estações de rádio para moradores de favelas no Quênia, para minorias na Mongólia ou comunidades indígenas no México –, a inclusão de populações diversificadas torna as nossas sociedades mais resilientes, mais abertas e mais pacíficas. Os desafios que nós enfrentamos – seja a mudança climática, os conflitos ou a ascensão de visões de mundo divergentes – dependem cada vez mais da nossa habilidade de dialogar com os outros e de encontrar soluções conjuntas.

Feliz Dia Mundial do Rádio!

(Unesco, 12/09/2018)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *