Dirceu Graeser e as Favoritas da Juventude

Memória | Capítulo 18 | Dirceu Graeser

Divulgação

Cantor, compositor, apresentador de programas e, acima de tudo, um ser humano possuidor de grandes virtudes, Dirceu Graeser era daquelas pessoas que todos desejavam ter por perto. Eu não fugi à regra e em 1966, quando dirigia a Rádio Clube Paranaense, tive o prazer de contratar esse grande amigo para apresentar o seu vitorioso programa “Favoritas da Juventude”. Dois anos antes, Dirceu havia gravado o seu primeiro disco com as músicas “Voltei para ficar” e “Ouvindo a chuva”, e estava na crista da onda. Nos anos seguintes ele gravou outros discos, entre os quais o LP “O Pássaro”, com a música do mesmo nome de autoria de Paulo Hilário, o ponto alto de sua carreira. Com ele a Bedois conseguiu um público antes arredio, o dos jovens ouvintes.

Para aproveitar a sua criatividade em constante ebulição, criamos e ele dirigiu o nosso Departamento de Promoções. Seu grande lance foi na comemoração do aniversário da Rádio Clube, em 1967, com a chamada “CHUVA DE PRÊMIOS BEDOIS”, quando foram distribuídos mil brindes. Após uma bem bolada preparação, com chamadas despertando o interesse do povo curitibano, Dirceu lançou de um avião sobrevoando a cidade milhares de folhetos, dos quais mil asseguravam os prêmios a serem recebidos na emissora. E do avião, Dirceu Graeser indicava os bairros sobre os quais se encontrava para lançar os folhetos, e a Bedois transmitia as suas palavras, causando uma revolução na cidade. O trânsito parava, as pessoas deixavam os carros, as casas, os locais de trabalho, e iam para as ruas apanhar folhetos. Um rebu que só o Dirceu poderia idealizar… e realizar. Essa foi a maior promoção com distribuição de prêmios realizada bela Bedois.

Frequentemente ele ia até minha sala, mas parava pouco. Estava sempre com pressa, talvez antevendo que bem cedo iria nos deixar e achando que ainda tinha muito que fazer.

Certo dia, ele estava gravando em fita a minha música “Bola, Bola” quando chegou Léo Vaz e disse: “Essa é minha. Essa eu vou gravar”. Dirceu estava gostando dela, mas não hesitou em ensinar seu colega que, realmente, depois gravou essa composição e fez sucesso.

Dirceu Graeser foi um grande revelador de talentos. Prestigiava os jovens e lhes dava oportunidade em seus programas. Dentre outros, lançou os repórteres Carlos Alberto R. Correia (Peninha), Jorge Cury, Josias Lacour e Paulo Mosimann (Foguetinho).

A vida de Dirceu Graeser foi um exemplo de abnegação e de amor ao próximo. Para aqueles que desejarem saber mais sobre esse grande curitibano, sugiro a leitura do livro “Dirceu Graeser, a paz de um pássaro”, escrito por Paulo Mosimann.

Ubiratan Lustosa. O Rádio do Paraná – Fragmentos de sua história. Curitiba: Instituto Memória, 2009.

 

Categorias: , Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *