Discurso de Vargas em 1949 no rádio é assunto no Todas as Vozes

Era abril de 1949. O repórter Murilo Antunes Alves e o técnico de som Paulo Fagundes, da Rádio Record de São Paulo, conseguiram encontrar o ex-presidente Getúlio Vargas em uma fazenda no Rio Grande do Sul, quase na fronteira com a Argentina. Getúlio estava distante da imprensa, após ter deixado a presidência do país em 1945 e o Senado em 1947.

Getúlio Vargas em 1940, durante o Estado Novo, ao lado do então governador de Minas Gerais, Benedito Valadares, e de Juscelino Kubitschek, então prefeito de Belo Horizonte.

Getúlio Vargas em 1940, durante o Estado Novo, ao lado do então governador de Minas Gerais, Benedito Valadares, e de Juscelino Kubitschek, então prefeito de Belo Horizonte.

Naquela tarde de 1949, Getúlio redigiu uma mensagem para os trabalhadores brasileiros e Murilo conseguiu convencer o ex-presidente a gravar o pronunciamento.

Vargas exerceu o mandato de senador em 1946 e 1947, quando proferiu cinco discursos relatando as realizações do Estado Novo e da Revolução de 1930 e criticando o governo Dutra.

Disse Vargas na gravação feita por Murilo em 1949: “Eu, que nada mais aspiro na vida pública, sou forçado a sair do meu silêncio e recolhimento para dizer que sofro com o povo as agruras da hora que passa. É preciso apenas viver para poder esperar. Venho, trabalhadores, para trazer-vos, com a minha voz, a presença do ausente, enquanto sentirem em vossos corações a ausência dos presentes”.

Getúlio acabou aceitando voltar à política no ano seguinte, entrando em campanha eleitoral: “recebi de vós, como de tantos outros pontos distantes do país, apelos para lançar-me nesta campanha que mobiliza o povo brasileiro na defesa dos direitos à liberdade e à vida!”. Getúlio foi eleito presidente da república, como candidato do PTB, em 3 de outubro de 1950, derrotando a UDN, que tinha como candidato Eduardo Gomes, e o Partido Social Democrático, do candidato mineiro Cristiano Machado.

Com colaboração do escritor, radialista e especialista com mercado da comunicação Fernando Morgado, o quadro ‘O rádio faz história’ do Todas as Vozes desta terça-feira (24) mostra depoimento de Murilo Antunes Alves e trecho do pronunciamento do ex-presidente da república, áudios veiculados pela Rádio Bandeirantes de São Paulo em 25 de setembro de 1989.

Todas as Vozes vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h20 às 10h, na Rádio MEC AM do Rio de Janeiro – 800 kHz, com apresentação do jornalista, professor e radialista Marco Aurélio Carvalho. Mande seu recado, pergunta ou sugestão para o nosso Whatsapp no número (21) 99864-0238 e participe do programa.


Por Fernando Morgado

Fernando Morgado é palestrante, consultor, professor da FACHA e professor convidado de instituições como Universidad Autónoma Metropolitana do México, ESPM e PUC-Rio. Autor do livro biográfico "Silvio Santos: a trajetória do mito" (Matrix, 2017). Tem outros seis livros como autor, coautor e colaborador. Mestrando em Gestão da Economia Criativa, pós-graduado em Gestão Empresarial e Marketing e graduado em Design com Habilitação em Comunicação Visual e Ênfase em Marketing pela ESPM. Entre suas atividades comunitárias, é articulista voluntário no site do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *