Do emblemático Nelson Almeida – Final

Não seria em apenas quatro comentários que se ousaria resgatar a legendária passagem de Nelson Almeida pelo rádio catarinense. Seu caminho foi muito mais longo, sua vida propiciou ensinamentos a muitos iniciantes em rádio, sempre com absoluta correção e competência.

Nelson foi um homem peculiar. Como empreendedor, esteve em três etapas distintas na área da comunicação radiofônica: Rádio Difusora de Laguna, Rádio Araranguá e Rádio Anita Garibaldi, esta, de Florianópolis.

Mas o que se constatou é que, após afastar-se de seu grande triunfo que foi a Rádio Difusora de Laguna, seu entusiasmo foi, aos poucos, arrefecendo.

Sempre tive a impressão de que ele jamais deveria ter deixado a primeira emissora, cuja instalação e manutenção contaram com amigos fiéis e pela qual ele alimentava incontestável orgulho.

Nelson, após vender a Rádio Difusora de Laguna, permaneceu ainda algum tempo providenciando sua transferência para Araranguá, onde já conseguira comprar quase 50% das quotas da ZYT-3 (uma modificação nos estatutos lhe proporcionaria a titularidade da emissora).

Já não foi mais o mesmo. Seguia como sócio da rádio, dificilmente ocupava o microfone. Confiava a gerência comercial ao locutor Asty Pereira; o jornalismo, a Osmar Cook e, posteriormente, a César Machado.

Ingressou no ramo imobiliário adquirindo, com um grupo local, ampla área destinada a um condomínio residencial. Líder nato (e absoluto), não se deu bem tendo de ouvir opiniões de sócios que nem sempre coincidiam com as dele.

Vendeu não somente suas quotas na rádio, como também no empreendimento imobiliário, e se transferiu para Florianópolis. Comprou a Rádio Anita Garibaldi, fundada e de propriedade inicial do popular médico lagunense Julíbio Jupy Barreto.

Levou consigo o jornalista César Machado, a quem já confiara o rádio-jornalismo anteriormente. Na mesma emissora atuaram muitos e reconhecidos valores, dentre os quais os conhecidos jornalistas/radialistas Cyro e Aibil Barreto.

Desde tenra idade Nelson teve um problema físico que o atormentava quando ocorriam contumazes crises: uma anomalia no joelho esquerdo.

Genro do bravo militar Coronel Trujilo Mello, sua esposa D. Flávia (irmã de Osny Melo) acabou viúva após alguns anos.

O idealismo que convertera Nelson Almeida em um verdadeiro mito desde tenra idade ficou como marca indelével para quem teve a grata oportunidade de desfrutar das criativas lições de um homem que, com incrível sensibilidade, nasceu para formar talentos.

Sou particularmente reconhecido à obra deste astro de primeira grandeza no rádio.

Nelson Alves de Paula Almeida há de estar em um bom lugar…

Categorias: Tags: , ,

Por Agilmar Machado

Iniciou suas atividades profissionais no rádio em 1950, tornando-se jornalista em 1969. Atuou nas principais emissoras do Sul de SC como redator, produtor e apresentador de programas jornalísticos. Historiador, é co-autor História da Comunicação no Sul de SC. É membro fundador da Academia de Letras de Criciúma/SC.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *