Do Tempo do Meu Avô

Tinha que escolher um tema ou um personagem para desenvolver em 2004 o meu projeto experimental em rádio do Curso de Jornalismo da Universidade do Sul de Santa Catarina, Unisul, Campus da Pedra Branca, em Palhoça, Grande Florianópolis.
Por Vanessa Martinelli

Por que não homenagear alguém que completaria naquele período 80 anos? Sim, o meu avô. Um dos jornalistas pioneiros da Capital Catarinense, que mergulhou profundamente nas ondas sonoras. Fiz, então, com ele uma entrevista de 10 minutos intitulada “Do Tempo do Meu Avô”.

Luiz Osnildo Martinelli, com apenas 20 anos de idade, já trabalhava como repórter na pequena Florianópolis. Martinelli nasceu em 28 de junho de 1924 e fez a faculdade de contador, mas seguiu sua intuição e tornou-se jornalista por opção, já que na época não havia academia para se formar no curso de jornalismo.
Foram 50 anos de dedicação completa à profissão que tanto lhe despertou paixão. Foi repórter de campo esportivo, plantonista, comentarista e apresentador. Cobriu bailes, festas, carnavais, acidentes e notícias de última hora.
Depois de tantas histórias, matérias e assuntos para serem relembrados, com satisfação e lucidez, Luiz Osnildo Martinelli nos dedicou um pouco do seu tempo. Foi uma viagem no túnel do tempo para reviver uma Florianópolis diferente, a história do rádio que nunca ninguém ouviu, curiosidades de gols, o rei Pelé presente no antigo estádio de futebol Adolfo Konder, o clássico Avaí e Figueirense, o início das emissoras de rádio na Rua Felipe Schmidt, a contextualização deste acontecimento histórico do jornalismo, o resgate dos alto-falantes.
Trazer recordações à tona alimenta a alma, enchendo-a de alegrias. Alegrias que estão no vasto campo da memória, lembranças que são antigas, mas que se renovam a cada vez que surgem na mente, nos proporcionando momentos de profunda felicidade.
Mesmo com tantas novidades da tecnologia, imagens e cores, o rádio mantém  seu público e supera as expectativas da guerra contra a imagem. O mistério da voz continua nas rádios e nos lares.
Fique na agradável companhia de meu avô, Luiz Osnildo Martinelli.
:: Áudio


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *