Edemar Annuseck: O Narrador Esportivo

O Começo
A importância de seu nome na história da narração esportiva brasileira foi sendo precocemente forjada. Aos 7 anos de idade, empoleirado num frondoso pé de tangerina, com uma lata vazia de fermento próxima à boca, o garoto nascido no Município catarinense de Blumenau em 11 de março de 1946,  já ensaiava seus primeiros gritos de gol, narrando um disputado jogo de futebol de botão.
Por Edemar Annuseck Júnior

Definitivamente seduzido pelo distante mundo povoado de vozes que a barulhenta faixa de 49 metros do pesado rádio de seu pai lhe apresentara durante toda a infância, Edemar Annuseck guarda na gaveta aquele seu “microfone de brinquedo”, e se profissionaliza, em 1964, ingressando no quadro de funcionários da Rádio Nereu Ramos.
Depois de imprimir seu estilo às transmissões domésticas de futebol, basquete, vôlei, boxe, atletismo e canoagem por oito anos, o jovem narrador deixa Santa Catarina, em 1972.

Edemar Annuseck, que completa em abril 43 anos de rádio.

A Consagração
Nesse ano, a convite do já famoso narrador esportivo Willy Fritz Gonser, Edemar Annuseck participa de uma dura maratona de testes, empunhando o microfone da Rádio Jovem Pan de S. Paulo.

Oficialmente contratado em 1o de janeiro de 1973, o jovem narrador é apresentado à equipe da Rádio Panamericana S/A, que, além do diretor Willy Gonser e do recém-chegado Osmar Santos, incluía então os nomes de Randal Juliano, Leônidas da Silva, Cláudio Carsughi, Orlando Duarte, Milton Neves, Cândido Garcia, Fausto Silva, João Bosco, Otávio Muniz, Aluane Neto, Israel Gimpel, Narciso Vernizzi, entre outros.

Adaptado à grandeza da nova cidade, Edemar Annuseck logo começa a ter seu talento reconhecido pelos ouvintes da Jovem Pan, e recebe do jovem Milton Neves a carinhosa alcunha de “Locutor Explosão”, que lhe realça o estilo singularmente dinâmico de transmitir as coisas do acelerado mundo da bola.

O ano é de 1975 quando da apresentação do programa Jornal de Esportes onde aparece de pé Cândido Garcia (faleceu em Dezembro de 2003). Sentados da esquerda para a direita: Cláudio Carsughi, Randal Juliano (falecido em 2006), Joseval Peixoto, Edemar Annuseck e Osmar Santos.

Em 1974, ao lado de Osmar Santos, Leônidas da Silva, Cláudio Carsughi e Cândido Garcia, embarca para a Alemanha, para cobrir a X Copa do Mundo, inaugurando seu currículo internacional de transmissões esportivas. Foi o único locutor brasileiro que transmitiu diretamente do Volksparkstadium o histórico jogo Alemanha Oriental 1 x 0 Alemanha Ocidental.

A partir daí, não parou mais. Sua presença nos grandes eventos do esporte mundial tornou-se rotina. Seus gritos de gol passaram a ecoar mundo afora.

Em 1978, Edemar Annuseck marcou presença na Copa do Mundo da Argentina. Em 1982, ele esteve no Mundial da Espanha, e quatro anos mais tarde, no do México.

Em 1988, levou o microfone da Rádio Jovem Pan de S. Paulo até Seul, para transmitir os XXIV Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Transmitiu o Campeonato Mundial de Basquete de 1975. Esteve ao lado do Esporte Clube Sírio, na histórica conquista do título mundial de basquete, em 1979.

Constam também dessa lista a cobertura de inúmeros jogos internacionais da seleção brasileira, do Campeonato Sul-Americano de Seleções, dos Jogos Pan-Americanos, do Campeonato Paulista, do Campeonato Brasileiro e da Taça Libertadores da América, desde 1973.

Foto de 1975 quando Fausto Silva (E) e Edemar Annuseck, prepararavam-se para almoçar, antes de uma transmissão, na Churrascaria Saci, no Beira-Rio em Porto Alegre.

Em 1989, a convite do famoso comentarista Barbosa Filho, Edemar Annuseck deixou o microfone da Rádio Jovem Pan, para assumir a chefia de esportes da Super Rádio Tupi de S. Paulo.

No ano seguinte, embarcou para Itália, onde comandou a maior rede de emissoras do país (Rede Brasileira dos Esportes), única a transmitir para o Brasil todos os jogos da XIV Copa do Mundo de Futebol.

Em 1991, com a inauguração da TV Jovem Pan, Edemar Annuseck amplia seu currículo, e estréia na locução televisiva, passando a transmitir, ao lado dos companheiros Milton Neves, Milton Leite, Vital Bataglia, Ubiratan Pereira Maciel e Mário Travaglini, inúmeras partidas de futebol, basquete, vôlei e futsal pelo Canal 16 UHF de S. Paulo.

Depois de uma breve passagem por sua terra natal, Edemar Annuseck é contratado pela Rádio Clube Paranaense, em 1994, voltando às grandes coberturas internacionais.

Amistosos da seleção brasileira, Copa América, Torneio de Toulon, Copa Umbro de Seleções, Torneio da França, o fazem girar novamente pelo mundo. Espanha, Holanda, Israel, Japão, Estados Unidos, Noruega, França, Inglaterra, Coréia são alguns dos países visitados, ao longo dessa nova fase.

O Presente
Em 2002, o experiente narrador esportivo retorna a S. Paulo, e assume, ao lado de Barbosa Filho, o comando das transmissões esportivas da recém-inaugurada Rádio News AM. Embora tenha alcançado consideráveis índices de audiência num curto espaço de tempo, a crise no mercado publicitário o forçou a abandonar o projeto, em 2004, quando voltou a Curitiba, onde mora atualmente.

A Experiência
Os muitos anos de militância profissional já lhe renderam passagens por inúmeros países, incluindo Alemanha, França, Inglaterra, Escócia, Itália, Espanha, Portugal, Holanda, Noruega, Suíça, Israel, Marrocos, México, Estados Unidos, Canadá, Japão, Coréia, Panamá, Peru, Paraguai, Colômbia, Uruguai, Equador, Argentina, Chile, Bolívia, Venezuela, entre outros.

A Família
Casado desde 1966 com dona Margot Kindermann, Edemar Annuseck tem três filhos, Sandra, Cláudia e Edemar

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *