Ele está completando 80 anos

Quem diria que ele já está com toda essa idade. Nasceu de pais bêbados, ou alcoolistas, mas sempre foi sóbrio.

logo-ALCOOLICOS-ANONIMOSSua sobriedade é conhecida em muitos países. Ele não é apenas famoso, ele ajuda muita gente. Aí tem algo intrigante, coisa que nós escritores e cronistas gostamos muito.

Como pode existir alguém internacionalmente famoso, que ajuda milhões de pessoas e ao mesmo tempo é anônimo? Pois existe, e sabemos seu nome. AA. Alcoólicos Anônimos.

Fundadores: Bill Wilson e Dr. Robert Smith (ou: Bill W e Dr. Bob S, nomes pelos quais também eram conhecidos)

Nascido em 10 de junho de 1935 nos Estados Unidos tem devolvido a paz, a serenidade, a vida a homens, mulheres e famílias.

Eu o conheci quando criança. Ouvi falar muito bem dele. Alguém que eu amava estava sofrendo e logo imaginei que ele poderia nos ajudar. Sempre soube sobre o sagrado direito ao anonimato. Mas a pessoa que eu queria ajudar me deu a liberdade de falar. A luta foi longa. Devia ter uns 6 ou 7 anos quando levei meu pai ao AA pela primeira vez. O nome do Grupo tinha tudo haver com o que minha família e eu precisaríamos – Esperança.

Foram muitas as idas sem resultados positivos. Algumas internações com retornos de alegria seguidos de frustrantes recaídas. Com o tempo qualquer recuperação nos trazia o medo de comemorar, pois a tristeza da recaída era dura demais. O tempo passou. Houve momentos em que fiz do álcool algo próximo demais. Comprava daqueles copos de cachaça. Contava as horas para ver meu pai sóbrio outra vez. Com 14 anos bebia muito.

A última vez que exagerei no álcool foi há mais de 20 anos. Quanto a cura de meu pai, valeu a pena trabalhar sem desistir embora algumas vezes parecia não haver mais Esperança. Aos 21 anos presenciei meu pai finalmente parar de beber para nunca mais voltar. Ele nunca mais voltou a beber e eu nunca mais a comemorar, apenas agradeço a Deus a cada dia. Em 2011 lancei um livro em que relato a luta do meu pai contra o alcoolismo, mas na visão do filho.

O título do livro – Um sonho de menino – meu terceiro livro e primeiro romance me fez recordar momentos difíceis, porém importantes. Há coisas no passado que é melhor não lembrar, já outras é preciso uma lembrança para uma nova reflexão. O AA teve parte importante. Meu pai me pediu por vezes para lhe entregar as fichas a cada vez que tinha o tempo de recebê-las, era sempre emocionante.

Quantos ainda bebem, dirigem e matam. Não é o destino, é imprudência. Pode ser alcoolismo, é doença. Não tem cura, mas tem tratamento para o resto da vida, por isso não comemoro, mas agradeço e apoio meu pai. Existem muitos que brincam com o álcool, pensam que sabem beber, estão se destruindo e fazendo sofrer quem os ama. Ou se é verdadeiramente moderado ou se é bêbado, alcoolista, se preferir. Parabéns aos alcoolistas em recuperação. Parabéns AA. Oitenta anos devolvendo a sobriedade a todos os dispostos a evitar o primeiro gole.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *