Mais para para migração de AMs

Emissoras de rádio AM ganham novo prazo para solicitar a migração para FM

As emissoras de rádio AM vão ganhar um novo prazo para pedir ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) a migração para a faixa de FM. O decreto que permitirá às emissoras fazer a solicitação será encaminhado nos próximos dias à Presidência da República, anunciou o ministro Gilberto Kassab nesta quarta-feira (6) durante o último mutirão do ano em que 50 emissoras de rádio assinaram o termo aditivo para migrar do AM para o FM.

Mais para para migração de AMs

Na cerimônia, o ministro destacou o sucesso do processo de migração, que chega ao fim deste ano com 620 estações de rádios de todo o país prontas para operar na faixa de FM. “A questão das rádios e das migrações estará totalmente solucionada ao longo de 2018”, garantiu Kassab.

Das 1.781 rádios AM do Brasil, 1.332 solicitaram a mudança de faixa. Com o decreto, será aberta uma nova chance para as demais emissoras pedirem para fazer a migração.

“Ao longo dos últimos meses, em um trabalho conjunto, tivemos resultados notáveis como em nenhum outro momento da radiodifusão”, afirmou o ministro, citando a migração das AMs, a desburocratização dos processos e a implantação do Sistema Brasileiro de TV digital, que já beneficiou uma população de mais de 70 milhões de pessoas.

O ministro explicou que a implantação da TV digital traz outros resultados importantes, como a expansão da tecnologia 4G e a liberação da faixa estendida. Com o desligamento do sinal analógico, os canais 5 e 6, que hoje são ocupados por canais de TV analógicos, serão desocupados e destinados à FM. Com isso, as FMs poderão ser sintonizadas na faixa de 76 MHz a 107.9 MHz. Kassab lembrou ainda que, a partir de janeiro de 2019, conforme prevê portaria do MCTIC, a indústria será obrigada a fabricar equipamentos compatíveis com a faixa estendida.

Avanço

Durante a cerimônia, o conselheiro da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) Flávio Lara Resende destacou que a migração para o FM é uma vitória do setor e representa o maior avanço do rádio brasileiro nas últimas décadas, beneficiando 25 milhões de ouvintes. “Esse processo é fundamental para a sobrevivência das rádios AM no Brasil.”

O diretor da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Álvaro Vasconcelos, reforçou que a mudança de faixa é uma oportunidade para as emissoras que vai repercutir no faturamento e na audiência das empresas. “Essas rádios vão continuar servindo a população de forma gratuita e com mais qualidade.”

Marco

No mutirão desta quarta-feira, a Fundação Emissora Rural, de Petrolina (PE), foi uma das contempladas. Para o representante da emissora, Daniel Campos, uma das principais vantagens é a possibilidade de que as AMs sejam sintonizadas em dispositivos tecnológicos, sem perder o alcance atual. “O evento de hoje é um marco tão importante quanto o de quando a emissora recebeu a permissão para começar a operar, há 55 anos.”

A cerimônia de migração de rádios AM para FM também contou com a participação da secretária de Radiodifusão, Vanda Nogueira, do governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, e de representantes das 50 emissoras que assinaram o termo aditivo para adaptação da outorga. Desde o ano passado, o MCTIC promoveu 14 mutirões de assinaturas em diferentes estados brasileiros.

(ACAERT, 06/12/2017)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *