Eno José Tavares, O Ilhéu

Colaborador prolífero, apaixonado e exigente, Eno José Tavares se rebelou com os ‘moderadores’ do Caros Ouvintes e parou de enviar suas mensagens ricas de carinho e ternura falando de escotismo, cidadania e cultura de Ilha de Santa Catarina que ele teima em chamar de Ilha Encantada. Passados dois meses da sua ‘renúncia’, eis que reaparece com o envio de cópia da gravação da entrevista que concedeu ao apresentador Cacau Menezes em agosto de 2005. E gato escaldado – juntou ao CD o seguinte bilhete: “22 de outubro de 2012. Caro amigo, em vossas mãos o CD/DVD com gravação na íntegra (de) entrevista no programa “O Ilhéu” na noite de 21/08/2005, portanto há mais de cinco anos, com o jornalista Cacau Menezes. Por ser assunto fora da pauta de “Caros Ouvintes” a remessa é à moda antiga, não pela internet. Não depende, pois de “moderação”, pois os ministros do STF, decorridos cinco anos lavam a alma nacional”. Caro Chefe Feijão (este seu nome no escotismo), também me considero de alma reluzente, límpida e serena ao constatar que nossas divergências estilísticas – ainda que meramente perfunctórias – não foram suficientes para abalar nossa amizade. Abraço do seu sempre admirador, Antunes Severo. Agora é som na caixa que a entrevista está na ponta da agulha, sem semblante porque este é um site que adora ser rádio para falar ao pé do seu ouvido e da galera nos que nos visita.

21 respostas
  1. eno josé tavares says:

    …QUEBRAM-SE VELHAS CADEIAS
    …ROJAM ALGEMAS PELO CHÃO…
    …DO POVO NAS EPOPÉIAS…
    …FULGE A LUZ DA REDENÇÃO..
    (estrofe do Hino do Estado de Santa Catarina)

  2. eno josé tavares says:

    CARO MODERADOR IMODERADO NOBRE COMENDADOR

    há tempos venho sopesando, aquela expresaãoIlha, que ele, Eno Feijão Tavares,teima em dizer, que é Encantada…Pois…Pois…Sou mais teimoso, que jegue faminto, com humor de jararaca nordestina….Eurides….depois Antunes…depois Severo…Ilhéu de carne ,osso,gênio vagabundo ,tal e qual o vento sul,não aceito ,é, que venham com inovações externas,chamar meu torrãozinho oceânico, de Floripa ,e, ILha da Magia…Não tem nada de mágico…Encantamento sim…Nossos tubarões ,são cações meigos, generosos e amorosos…Nossos jacarés ,não tem tamanhos de saurios e de dinossauros…Nossas mulheres nativas,são amáveis e carinhosas ,como as nossas flores silvestres…Nossa gente é doce, como o assucar mascavo, de nossos engenhos rurais…Nossos cuzcuz,comemos com a boca e não como os portuguêses…Somos mais alfacinhas, que açorianos atrasados…Nossas bruxas e homens da capa preta,eram amantes noturnos… bem no elementar,e,se uivavam e guinchavam,era para evitar de antemão, a curiosidade dos crédulos…Aquí,laranjas,araçás,laranjas ,aipins e tudo que em se plantando dá,não eram mágicas,eram o encantamento da vida, que nosso doce povo semeava,transplantava ,e, cuidava no crescimento…Aquí o melhor hotel do mundo,não chegava nem próximo, do gostoso dormir sobre uma esteiradetaboas,e, de ervas aromáticas,tais como o alecrim dourado,com portas e janelas abertas ,ao sabor e ao léu dos tempos…Por isso,nada de mágico ,mas, tudo de Encantamento de Nossa Ilha Menina,onde aprendemos no ato,os falares de outros povos do mundo ,que aquí apoitam…Então…aquele espaço que o Caros Ouvintes deu ao Escotismo,e,me transformou em narrador do Movimento em Movimento,Escoteiros do Mar,foi uma benesse desse nosso provecto e também ex escoteiro…Daí,o Ilha Encantada,Nação da Ilha Encantada,que tem hino belíssimo, fácilmente cantado pelo povo e não os tres hinos,Nacional,da Bandeira e de Santa Catarina,composto por pseudos intelectuais na letra e na música,compositores que não traziam à Nação Brasileira,o Doce Acalanto de um “Rancho de Amor à Ilha”…Daí meu Moderador,Comendador e Censor de Plantão,as crônicas escoteiras, ficaram gravadas em homenagem ao Paulinho,porém,homenagiei mais em segredo,os meus pequenos heróis,lobinhos escoteiros,seniores,pioneiros e chefes,que estes sim,viveram e absorveram em seus”eu”,os sabores da Ilha Encantada , que de magia não tem nada,mas,em sua meiguice é a terra amada, de todos os povos,raças,idades e idéias e filosofias…Meu pedacinho de terra perdido no mar do fim do mundo….Para muitos refugiados das ditaduras portuguesa eespanhola e sul americanas,a quem ardilosamente deiperigoso exilio e mais tarde fuga para a Serra da Caraça em Minas Gerais,essa ILHA ENCANTADA foi emocionadamente,tratado como Pátria de Todos os Povos,segundo um padre espanhol,um dos meus refugiados…Então o “Rancho de Amor à Ilha”não é só um hino mais uma prece de nosso Anjo Zininho…

  3. eno josé tavares says:

    MARAVILHOSA, É A POSSIBILIDADE DA BELA FLOR DO LÁCIO SE TRANSFIGURAR

    só tomei conhecimento da expressão CASSAR,durante o Regime”64″.Alguém dos estrategistas, e, por certo linguistas(tinha muito velho bom de língua)de oportunidade,que disseram aos brutamontes,que CASSAR E CASSADORES,eram expressões exclusivas da REDENTORA.Depois,emprestaram a expressão CAÇADOS E CAÇADORES,aindo no tempo do Instituto Nacional do Pinho,depois IBDF e depois e até hoje IBAMA,que foram criados para tornar legal a destruição de nossas mais preciosas fortunas ambientais…Recente estatística, de um Instituto de Assuntos Estratégicos ,da Europa,informam com dados exatos que de 1960 até os dias atuais os DESMATAMENTOS BRASILEIROS,já representam mais de 1.000.000%,sobre a morte de araucárias,vegetação do cerrado e hiléia amazônica,desde o primeiro “scraper”,da construção de Brasília ,e, a Rede Rodoviária Nacional…Assim,QUEM CAÇAVA PARA SOBREVIVER,ERA CASSADO POR SUAS IDÉIAS CABELUDAS,DITAS DE ESQUERDA…Atualmente,toda pessoa que não concorda com os tais famigerados e cruéis Planos Diretores,é taxado com o O

  4. eno josé tavares says:

    POR FAVOR,NÃO ME PERGUNTEM MAIS ,SE EU SOU O ENO JOSÉ TAVARES,TÁ?SE NÃO ,VÃO PENSAR COISAS DE MIM…NADA A ESCONDER,NADA A RESPONDER E NADA A DIZER…eno josé tavares…Feijão para os amigos de futebol de peladas e escotismo…Tá?

  5. eno josé tavares says:

    ILHA ENCANTADA E ILHANDÊS

    observa ô estranho,que mesmo saboreando essa rara oportunidade,de teres sido aceito por aqui,que todo canto do mundo ,tem suas peculiaridades intrinsecas e extrinsecas…Fala-se hoje um idioma em cada lugar,que se fosse na Europa,logo classificariam como dialeto.Quem vai aos Alpes,Ilhas Gregas e a Europa ainda esburacada por guerras,como da deterioração da Iugoslávia,vem de lá,esses matutos ,novos ricos,cantando lôas,e,extasiados por tanto monturo,de trágicas recordações de eventos muito recentes e dolorosamente sangrentos…E ainda não acabou,como vemos no caso da Ucrânia x Rússia…Aqui,nesta Ilha Encantada,onde o estrangeiro se acoita e o peregrino é recebido, com honras de hospitalidade sagrada,não perdemos nossos estilos de vida ,ou, linguísitcos,porém no apoderamos ,de seus falares e seus bons costumes,transformando suas expressões idiomáticas,em uma nova expressão local…Sua culinária,seus cantares,seus trejeitos,incorporados aos já existentes,formam o que digo e muitos não aceitam,a Ilha Encantada onde se fala o perfeito Ilhandês…

  6. eno josé tavares says:

    Então nosso dinâmico “Comendador” foi sargento do exército?!
    Inicialmente fiquei surpreso e em seguida numa dúvida cruel. Afinal, “Três Corações” seria uma canção de acalanto, um novo livro a ser lançado, pelo nosso valoroso moderador deste democrático sitio?
    Refeito da dúvida, dei-me conta: o que de prático conheço é uma cidade do Sul de Minas Gerais, romanticamente batizada de Três Corações, e onde o Exército Brasileiro cultiva a ESA – Escola de Sargentos das Armas.
    Temeroso de cometer mais uma de minhas histriônicas gafes, porém, acostumado a conhecer cada faceta desse diamante semi burilado, que é o Eurides Antunes Severo, pois em fugaz texto, me parece que eu vi uma referência a esse artista das comunicações, estar no Serviço Militar em Três Corações, e, irrequieto, envolveu-se com uma rádio local (Rádio Clube) e se consagrou como Animador de Auditório, na referida rádio comercial.
    E quanto ao “diamante semi burilado”, é por que, mesmo aos 82 quilates, ainda continua brilhando mais que pirilampo gaudério nos pampas riograndinos e tirando suas lasquinhas de brilho pétreo.
    Moral da Estória: em certos casos, como recruta, antes de falar com o Sargento Severo, vou tilintar os cascos e caprichar na continência, apesar das minhas incontinências… Exército… Braço Forte… Mão Amiga…

  7. Antunes Severo says:

    Caro,
    no início pensei que você só entendesse de “Cabo de Guerra”. Vejo agora que você foi além, pois não é a todos os vis mortais que é dada a honra de colar na manga do verde-oliva uniforme as tiras simbólicas do primeiro degrau do poder de nossas gloriosas forças militares.
    De fato, fui escolhido para apresentar um programa de calouros que a Escola (ESA) mantinha na Rádio Clube e que pelo sucesso alcançado, acabei concluindo que meu futuro estava no rádio e não nas trincheiras.

  8. eno josé tavares says:

    TRINCHEIRA DE” PIRIQUITO”,É BOTAR A CENSURA BURRA A CORRER

    na verdade,cabo de guerra,pula pula,e cara pintada em combate noturno,foram atividades típicas de um novel Sargento da Esa,Sgt.Edgar,nos fazia exercitar, antes do rancho matinal…Aquela pose de general de”três lagartixas”,faziam o Sargento Negão ,pensar que era um caçador de guerrilheiros tupiniquins…Então aí está…No Dia 25 de Agosto,Dia do Soldado Brasileiro,muitos camaradas de farda, improvisados de locutores,artistas de teatro mambembe,tocadores de flauta e clarinete,descobriram que na vida civil, teriam mais futuro….Imagina,o Eurides…o Antunes….o Severo…Meter na cabeça, que era um De Gaulle à Brasileira…Hoje seria Capitão na Reserva,obscuro e sem ter tantos sucessos a registrar,em beneficio de uma população carente, de artistas nascidos no meio do povo…O Exército perdeu um Sargentão,mas,a Ilha Encantada,pelo menos,ganhou um artista multifacetário,professor extraordinário,e,comunicador acima do máximo….Mais catarinense que gaúcho,de fato,o grande agregador de talentos,tomou uma importante decisão:trocou a corneta e o corneteiro de plantão,por microfones e vídeos,com o valor dos talentosos….Senhor Sargento Severo,o Recruta 973, da CCS,pede licença para encerrar o texto…Exército Brasileiro…Braço Forte …Mão Amiga!!!

  9. eno josé tavares says:

    Reedição do “Menino do arroio Itapeví”, será benéfica ao amplo círculo de comunicadores, estudantes e mais lições de vida, mesmo que editada eletronicamente a obra servirá como manual, para estudantes ,como instrumento, para o público da comunicação social e sem pretender se transformará mais uma vez em livro de auto ajuda, força para os indecisos e aqueles que se acham menores diante do Mestre. Na certeza de que a edição em livro impresso virá com mais cheirinho de papel, pois os “traças de livros” se ressentem muito de ter que se fixar diante de uma tela da máquina maluca vira um livro em “pocket book”. Quem venham as novas reedições, melhoradas, e com aquele doce e suave perfume de mulher. Aguarde-se…Cumpra-se…

  10. eno josé tavares says:

    Ô EURIDES…O ANTUNES..O SEVERO… O COMENDADOR..O MENINO DO ITAPEVÍ
    na verdade,entre esportes estranhos, como rolar pau morro acima,competição de corrida de saco,arremesso de sogra em poço de jacaré,o tal de cabo de guerra,o pico da penca ,e, outros procedimentos”esportivos”mais exóticos,aportaram por aquí durante o “milagre econômico”,que trouxe para a Ilha Encantada,um novo tipo de população, que conseguiu até na última década,fazer um tipo de carnaval com foliões liberados no geral.Vai daí,que hoje,certos esportes não olimpicos,assustam nosso Povo Ilhéu ,com a força do explícito e do ostensivo…O tal cabo de guerra,muito praticado no século XIX,nas universidads anglo saxônicas,aportaram por aquí,quando as forças armadas brasileiras,adotaram certos costumes castrenses meio “delicados”.Quando prestei meu serviço militar,cabo só o graduado,pois nossos exercícios,eram voltados ao enfrentamento das guerrilhas urbanas ,e, não havia quaquer “aplicativo”,para o cabo de guerra tão querido de alguns moçoilos…vez ou outra, aparecia um sargento recém saído da ESA e ou do Corpo de Paraquedistas,para renovar nossos ímpetos guerreiros patrióticos ,contra os “comunistas tupiniquins”…Neca de cabo de guerra, Ô MÔ MENINO DO ITAPEVÍ…

  11. eno josé tavares says:

    NOSSO MODERADOR,NÃO SEI EM QUE INVERNO ELE NASCEU,ANDA ESCABRIADO?Ou foi abduzido?

    depois da confissão expontanea,de que se formou sargento ,da ESA,e,que adorava “cabo de guerra”,nosso VENERANDO COMENDADOR ,dá… a impressão, de estar a antecipar o Outono…E com ele,as geadas nos altiplanos catarinenses,e, eventual reduto litorâneo mais afeito,pois nada mais produziu de dinâmico neste 2014…Acorda”Omi”,que as bruxarias de transições térmicas, já estão acontecendo…No tocante,a estória de cabos de guerra,é respeitarmos,certas preferências herdadas de povos estranhos e alienígenas, às nossas culturas, pois são opções pessoais…Assim seguem,as “pencas do ribeirão”,beijinhos à moda campeira,e, por aí vai…Mas dá sinal de vida,MÔ AUGUSTO MODERADOR…De fininho,meio de fininho, ao pé “d´ouvido”conta só para o teu insubordinado Feijão,quais são os lances desse venerável Mago das Comunicações…Será um novo assunto diferente do Menino do Itaoeví?Ou será uma obra de ficção histórica,da Nação que Enganou a s´pi Própria…?”Tá alevanta…Maria Bonita…Tá Alevanta divagà…Qui o dia já veim raiando,e a puliça já tá di pé”( ?)Como sabe bem o nosso Mestre Antunes,é canção atribuida ao Bando de Lampião…Hoje a música é outra…Bate estacas,hip hop e outras misérias mentais por aí…Acorda Mestre,que o ano é eleitoral,de copa do outro mundo, e ,de ajustes de contas,pois essas badernas,desordem e anarquia,não sobreviverão…Eles não passarão

  12. eno josé tavares says:

    QUANDO CEDEMOS AOS MAUS…QUANDO ENTREGAMOS NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL, A CERTOS GRUPELHOS ,QUE FAZEM DA CHANTAGEM DO MEDO, Á MODA CAMISAS NEGRAS DE HITLER(FOI ASSIM QUE SE IMPLANTOU O TERCEIRO REICH NO MUNDO),NÃO MERECEMOS O RESPEITO DE NOSSOS NETOS,FILHOS E DEMAIS FAMILIARES…EM UMA GUERRA, CONTRA O ANARQUISMO E BADERNAS,TODOS NÓS,TENHAMOS A IDADE QUE TEMOS,A PROFISSÃO QUE EXERCEMOS E OU AS IDÉIAS QUE PROFESSAMOS,SE NÃO REAGIMOS E NÃO NOS AGIGANTAMOS, Á INIQUIDADE E AO BANDITISMO OFICIAL E DO CRIME ORGANIZADO,NÓS PROVAMOS QUE NOSSA VINDA AO MUNDO, NÃO FOI UM ATO NATURAL,FOMOS E SOMOS SERES CRUELMENTE ABORTADOS,PARA SERMOS OS PIORES INIMIGOS,QUE UMA COMUNIDADE NACIONAL PODER TER…ALERTA BRASIL…ELES E ELAS NÃO PASSARÃO…DIREITOS HUMANOS, PARA HUMANOS DIREITOS…VIVA O BRASIL…FORA COM A CANALHA TRAVESTIDA DE AUTORIDADE MORAL…LIXO COM FORMA DE GENTE…DEFECADOS POR NATUREZA…O DE VOCES JÁ ESTÁ A CAMINHO!!!

  13. eno josé tavares says:

    A MAL AMADA E ANALISTA INDEPENDENTE,MINHA VISINHA

    passa um vendedor de camarões, na rua,e lá vem ela à minha cerca:”…não compra…tá podre…”Vem o carteiro, dois dias atrazado:”merda de funciuonário público,que não respeita nossa ansiedade”.Rojam jornais e revistas ,em seu jardim mal cuidado…sacana de mensageiro,que é que ele quer?Se é aquilo,de mim ele não ganha…Ruge o vento sul,estrepita a trovoada de terra a dentro…Porcaria de tempo,não vai me deixar ir á novena….Óia…Óia…Quem tá na porta…O senhô mô marido,já todo lambuzado da marvada…Drumir cum um istepori assim,prifiro morrê vrige…Mas não,tô toda doidinha ,prá dá pro padeiro…pro peixero não,qui ele num toma banho ,nem iscova us dente…”Assim,é minha visinha mal amada,que aos sessenta anos,aceitou casar com o atual marido,por que seu nome era Virgulino-igual ao Lampeão…Mas ò dúvida…ó dor…ó engano…o homi alí no leito nupicial,não gostava da coisa…Dizem os psicólogos de martelinho de canha:”…o que faz a amargura de uma mulher ,é homem mal lavado…mal vestido e mal cheiroso…E homem mal bebido….Então o desenlace:”Mádemira”Mal Amada…Cultivando sonhos estrambólicos com o açougueiro da esquina:”…esquartejando a Virgulina…”

  14. eno josé tavares says:

    ESSE TEMPO TÃO APRESSADO,QUE ENVELHECE PRECOCEMENTE MEUS MENINOS

    acessando meu arquivo memorial,vejo os últimos sessenta anos, repletos de jovens figuras…E levo um susto…Pensava,que o inexorável senhor dos tempos,agia tão sómente,sobre minha carcaça…Mas não…Vejo vez por outra, como o Césinha Evangelista,meu Lobinho,de Toga e Beca ,no Desembargo da Vida…Vejo Olice Caldas,meu Escoteiro ,que de tanso não tem nada,comovido homenageando a saudade da querida mãe…E assim,desfilam meus meninos hoje avôs e talves bisavôs,não em passo de ganso ,ou ,correndo uma trilhas,mas escaneando suas vidas de violeiros,saudosos karmanGhyas, e, por ai vão…Na Idade do Diamente,desse elenco de artistas de antanho,rememoro a felicidade de conviver ,com aquela multidão de meninos ,de calças curtas e lenços escoteiros,idealistas por excelência,participando de campanhas pró flagelados de enchentes,de vacinação,acolhimento a desvalidos e encaminhamentos ao único hospital da cidade…A eles,construí um mausoléu ,que se eternizará para sempre…Eles os já referidos ,e, seus irmãos da fraternidade, do Grupo Escoteiros do Mar de Florianópolis,uma eterna homenagem pelos heróicos serviços prestados à população catarinense…Outras Entidades e Instituições nos substituíram,mas,esse Velho Chefe,que aprendeu mais que ensinou, a seus irmãos mais jovens,a essência de amor ao próximo,aos animais e às plantas,dizer, espalhados pelos eitos da vida…VOCÊS SÃO INESQUECÍVEIS,SUPERIORES AOS TEMPOS E ETERNOS JOVENS, MESMO QUE A IDADE IMPLACÁVEL,OS FAÇA CONHECER OS MÉRITOS DE UMA VELHICE RESPEITÁVEL…SEMPRE ALERTA ,IRMÃOS!!!

  15. eno josé tavares says:

    CORREIO SURREALISTA,ONDE INTERNO ABANDONADO ESCREVE PARA O OUTRO EU

    há muito tempo,nos meus tempos de curiosidade, sobre como agiam o Internos da Colônia SANTÁNNA,entrei em uma realidade tão cruel,que de tão prosaica,virava humor negro…A começar por três casos,onde os pacientes contaram para mim quase a mesma história,mas,de locais diferentes…Por respeito às suas mem´rias,não vou dar-lhes nomes…O Paciente “A”,tinha fugido de umas quantas”Casas de Repouso”-eufemismo de época,quando uma familia não queria mais seu membro,e,o internava em um manicômio particular…Lá , era injeção na espinha e choque elétrico,para curar o doido…Tudo por causa de um briga de herança,de femosa indústria paulista…Com muito dinheiro,era fácil o processo de interdição,do indesejável da familia…O Paciente “B”militar de carreira,começou publicamente a se declar simpatizante de Napoleão ,e,incorporando o dito cujo…Figura hilária,a principio,tornou -se incoveniente com as sucessivas trapalhadas históricas,em um período que o Brasil da Década de “20”a “30”teve suas agitações das Grande Marchas,em 22,24 e por iam as tropelias dos”patriotas…Nosso Paciente “B”,dado o posto militar que ostentava, e chegou a ocupa conseguiu alguns gatos pingados ,e, chegou a ocupar simbólicamente,o Corpo da Guarda,de uma Guarnição Federal de Fronteira…Foi inicialmente internado em uma Ilha na Baía da Guanabara e depois trazido para o Hospital Psiquiátrico.O Paciente “C”,mantinha pilhas e pilhas contábeis,de suas centenas de mandas bovinas ,em vasta fazendo nos Altiplanos Lageanos…Fli o bastante,para que os outros herdeiros dos milhões de terras,e ,os milhares de cabeças de gado ,dados como garantia para importar luxuoiso automóvel amerciano de época.Pimba no cocoruto do indigitado….Dilapidador dos bens da família,apropriação indébita de propriedades alheias…Interna o homem que ele tá doido…Declarado incapaz,para exercer a própria sobrevivência,foi entregue ao ESTADO,para que cuidasse do dito cujo…Outros,esquecidos de propósito, pelas familias,viviam escrevendo cartas e como não recebiam resposta,escreviam cartas para si mesmo…Era o Correio Tan Tan,mais tarde copiado não se sabe como,para o nome de uma Rádio Clandestina,em uma dessas casas de repouso,agora no interior paulista…Será ,que teremos que aplicar o mesmo sistema,para esses governos que prometem obras faraônicas,jamais realizadas e cujas verbas acabam aparecendo em Paraisos Fiscais?È coisa de doidos ,ou ,de ladrões de colarinho branco?O Brasil tem milhares de Ilhas em Arquipélagos,fora do Mar Territorial Brasileiro…Quem sabe mandamos nossos ladrões travestidos de malucos,para esses exilios marítimos,como fizeram com Napoleão?Dá para criar um correio submarino,né?Vai ser doido,
    lá na Conchichina…

  16. eno josé tavares says:

    MEUS MENINOS DE ANTANHO, FICARAM VELHOS E SEM AQUELE OLHAR

    quando me impingiram a Chefia do Grupo de Escoteiros do Mar de Florianópolis,por que achavam que não tinham outro à mão,o Pedro, o Guy e o Darcy por certo não sabiam que estavam jogando às minhas costas,uma mochila enorme de responsabilidades e riscos de diversas natureza.Tão logo encerrrei a avaliação do cenário do Grupo,constatei que minha vida seria como a de burro de quartel…Tem problema?Descarrega no burro…Falta tudo,cobra do burro e aí,um guri de vinte anos,com a responsabilidade de tirar o melhor de si, para dar a quarenta meninos, da faixa de dez a dezessete anos,ou seja,escoteiros juniores,seniores,lobinhos e pioneiros…E eles vinham,esperançosos por encontar um irmão mais velho,um jovem ainda menino aos vinte anos de idade,para passar-lhes a filosofia de Baden Powel.Foram momentos excepcionais,onde o uso dos “Meios de Firtuna”,eram riquissimas fontes de apoio…Tudo era planejado pelo improviso…Pratos eram,antigas lata de marmelada,,,Copos,latinhas de leite condensado ou de masa de tomate…Panelas,com capacidade de cinco litros,com uma alça de arame…E por aí vai…Meninos de familias de boa jaça,iam à loucura,com o sabor campestre das gororobas,preparadas por eles mesmos…Hoje,encontro essas sombras,fortuitamente,e ,para minha tristeza,a maioria dá a impressão que perderam a alegria de viver….Nem aquele jeitinho vadio que eles tinham,na hora dos jogos noturnos,não lhes estampa os rostos….Muitos,envelheceram precocemente…Outros,olham com o olhar dos ausentes…Tempus fugit….

  17. eno josé tavares says:

    MENESTREL OU BEIJA-FLOR IMORTALIZADO NA IMORTALIDADE DA VIDA
    Dessa redundância prosaica,temos um Eurides Antunes Severo formatado pelas bigornas da vida. A maioria de nós, simples mortais, nascemos e berramos ao mundo que exigimos o sopro da vida. Aí vem a folclórica palmada no popô nascituro para que a criatura viva… Os imortais natos, chegam com a berraçda já resolvida… Outros, transformam suas vidas em imensos Olimpos, em que a cada ato, nasce uma obra de efetivo valor… Dizemos que multifacetários que são, não se concentram em reduzidas fronteiras, universalizam suas obras, multiplicam-se suas ações desde o mero ato de escrever, e o fazem magistralmente, pois são ícones da comunicação humana. Do alto de uma cátedra,ou da simplicidade de uma aula rotineira, abrem horizontes para seus educandos até então incógnitos mesmo quando os ambientes são inóspitos… A cultura, o saber e o conhecimento, são como pássaros itinerantes para os quais não existem grades ou gaiolas. São os símbolos da liberdade humana. Assim tem sido Eurides Antunes Severo, que precisa das reverberações luminosas alheias de entidades e instituições recolhidas em si próprias. Gente como o Antunes, tem luz própria que a cada instante compõem seus hinos e canções à vida e à felicidade humanas… Nós seus modestos admiradores, nos sentimos também imortais, mesmo que a libertação do espírito aconteça no ato da separação corporal… A Academia Catarinense de Letras e Artes, não o declarou Imortal, que já é, mas ganhou um Ente Inigualável em seus rastros de vida…É como aquela frase tão querida: ELE passou por aqui e deixou as marcas de seus pés,na límpida, branca e acolhedora das praias, dos oceanos da vida… AVE EURIDES… AVE ANTUNES… SEVERUS EST…

  18. Antunes Severo says:

    Caro Eno,
    generosidade sua, caro amigo e companheiro de muitas jornadas.
    De escoteiro à jornalista, de jornalista à colega de fé e esperança.
    Puro encanto de coração bondoso, como é o seu.
    Grato irmão de sonhos e de ideal.
    Gratíssimo de alma e coração.

  19. eno josé tavares says:

    NESSE MOMENTO TRISTE, QUEM SABE CONVOCAMOS NOSSOS SÁBIOS ANCIÃOS…

    Nas múltiplas lendas e histórias de todos os povos, temos os CONSELHOS DOS SÁBIOS IDOSOS,com diversas nuances… Além da OAB, CNI e CONSELHOS FEDERAIS, ESTADUAIS, MUNICIPAIS,REGIONAIS, DE PROFISSIONAIS E EMPRESARIAIS. Quem sabe a CNBB não estará se omitindo, com suas mentes privilegiadas, ou quem sabe, as numerosas ACADEMIAS DE LETRAS E ARTES, algumas localizadas em regiões quase sumidas no Mapa Nacional… E a Academia Brasileira de Letras e Artes,onde estão retraídos, nossos sábios maiores? Ou vão ficar à margem de acontecimentos e fatos deprimentes? Essa Quinzena Natalina e de Ùltimos Dias do Ano 2015, o Ano que não deveria ter acontecido, é o último recurso de auto preservação? No momento dos encontros de premiações ou de renovação de propósitos, não será a oportunidade de irmos para a ação e usarmos esses momentos místicos de elevado simbolismo para gritarmos o nosso “BASTA” E ASSUMIRMOS A TUTELA DA PÁTRIA, excluindo os ranços partidários e enganosamente ideológicos em favor da NAÇÃO BRASILEIRA?

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *